Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10923/10049
Type: doctoralThesis
Title: Autonomia do idoso: avaliação da capacidade da tomada de decisão e associação com depressão maior
Author(s): Silva, Anelise Crippa
Advisor: Terra, Newton Luiz
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Graduate Program: Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Biomédica
Issue Date: 2017
Keywords: IDOSOS
DEPRESSÃO
BIOÉTICA
GERONTOLOGIA
MEDICINA
Abstract: INTRODUÇÃO: No Brasil, nas últimas décadas, a população de idosos cresceu significativamente, elevando-se a média etária de expectativa de vida ao nascer. Os agravos de doenças, principalmente mentais, nessa faixa etária são de preocupação geral, sendo a depressão a mais frequente, já considerada problema de saúde pública. Decorrentes do aumento do número desses indivíduos ocorrem reflexos em diversas áreas, sendo a jurídica uma delas, carecendo maior cuidado e respaldo devido a sua vulnerabilidade. Assim, instrumentos jurídicos de proteção devem estar relacionados com a realidade vivenciada pelos idosos e seus agravos de saúde, que podem afetar as questões legais. OBJETIVO: O presente trabalho teve como objetivo criar e validar um instrumento capaz de avaliar a capacidade de decisão, além de aplicá-lo em idosos com depressão maior atual antes e após o tratamento. MÉTODO: Para sua realização, esta pesquisa foi dividida em três etapas: criação, validação e aplicação em idosos com depressão maior atual. Na etapa I, criou-se um instrumento que foi avaliado por juízes avaliadores, sendo as respostas baseadas na Escala Likert. Foram avaliadas clareza, ambiguidade, pertinência e se cada uma das perguntas correspondia a apenas uma resposta. Na etapa II, foi aplicado esse instrumento em idosos que faziam parte do Programa de Envelhecimento Cerebral (PENCE) da Estratégia Saúde da Família de Porto Alegre, em parceria com a PUCRS. Os idosos não podiam ter déficit ou declínio cognitivo, nem doenças neuropsiquiátricas, sendo aplicado os instrumentos Vellori e GDS para essa verificação. Na etapa III, foi realizado uma coorte, em que idosos com depressão maior atual e sem declínio ou déficit cognitivo foram atendidos pela equipe de psiquiatras do HSL-PUCRS, no ambulatório do PENCE.Estes realizaram tratamento por seis meses. A escala desenvolvida na etapa I e validada na etapa II foi aplicada nesses idosos, antes e após o tratamento. Foram utilizados os testes Vellori, GDS, MINI-PLUS e Addenbroocke. Esta pesquisa somente teve início após a aprovação no Comitê de Ética em Pesquisa da PUCRS. RESULTADO: Na etapa I, se obteve um instrumento com 30 questões finais. Na etapa II, para cada pergunta desenvolvida foram entrevistados 10 idosos, totalizando 300 idosos ao final. A validação desse instrumento se deu pelo cálculo de alfa de Crombach, em um total do alfa de 0,814, mostrando confiabilidade e validade da escala desenvolvida. Esse instrumento, após o cálculo do alfa de Crombach, foi finalizado com 18 questões e está dividido em quatro domínios: atividade diária, gestão financeira, autogestão e bem-estar. Resultou assim a ESCADE: Escala de Avaliação de Capacidade de Decisão. Na etapa III, foram entrevistados 48 idosos com depressão maior atual, antes e após o tratamento. Eles também foram comparados com indivíduos do grupo-controle. Foi possível verificar que há alteração na autonomia dos idosos no momento em que foram diagnosticados com depressão maior atual, havendo melhora após o tratamento. Quando comparados ao grupo-controle, o resultado não se alterou. CONCLUSÃO: Após o desenvolvimento da presente pesquisa, foi possível concluir que se está diante de um instrumento capaz de auxiliar tanto a equipe da área da saúde, em especial os médicos que necessitam realizar laudos, quanto os magistrados que se deparam, não raras as vezes, com casos em que requer sua decisão sobre a incapacidade. Hoje a ESCADE se faz ainda mais relevante diante da tomada de decisão apoiada, uma vez que é possível, pelos domínios apresentados, identificar a área exata em que necessita de um apoiador.
INTRODUCTION: In recent decades, the elderly population in Brazil has increased significantly, raising the average life expectancy at birth. Diseases are a general concern for this age group, particularly mental illness, with depression being the most common and already considered a public health issue. The growing elderly population affects a variety of areas including the legal field, requiring greater care and support due to their vulnerability. Thus, legal instruments governing elderly rights should be related to the reality experienced by this group and their illnesses, which can affect legal issues. OBJECTIVE: The present study aimed to create and validate an instrument capable of assessing decision-making ability and apply it to elderly individuals suffering from major depressive disorder, before and after treatment. METHOD: The study was divided into three stages creation, validation and application to elderly participants suffering from major depressive disorder. In stage one, an instrument was designed and assessed by magistrates, with answers based on the Likert Scale. Aspects assessed were clarity, ambiguity, relevance and whether each of the questions corresponded to only one answer. In stage two, the instrument was applied to elderly participants in the Cerebral Aging Program (PENCE) of the Porto Alegre Family Health Strategy in partnership with the Pontifical Catholic University of Rio Grande do Sul (PUCRS). Exclusion criteria were cognitive deficit or impairment and neuropsychiatric diseases, assessed using the Vellore Screening Instrument for Dementia and the Global Deterioration Scale (GDS). Stage three consisted of a cohort study in which elderly patients with major depressive disorder and no cognitive deficit or impairment were treated by the HSL-PUCRS psychiatric team at the PENCE clinic for six months.The scale designed in stage one and validated in stage two was applied to participants before and after treatment. The Vellore, GDS, MINI-PLUS and Addenbroocke screening instruments were used. The study was approved by the PUCRS Research Ethics Committee. RESULTS: Stage one produced in an instrument containing 30 questions. In stage two, 10 participants were interviewed for each question devised, totaling 300 elderly subjects. The instrument was validated by calculating Cronbach’s alpha, obtaining a total alpha of 0.814, demonstrating its reliability and validity. Next, the instrument was finalized with 18 questions and divided into four domains: daily activity, financial management, self-management and well-being. This produced the ESCADE: Assessment Scale for Decision-Making Capacity. In stage three, 48 elderly subjects suffering from major depressive disorder were interviewed before and after treatment and compared to individuals from the control group. A change was observed in the autonomy of the elderly patients from the moment of diagnosis with major depressive disorder, indicating improvement after treatment. This result remained the same on comparison with the control group. CONCLUSION: It was concluded that the instrument developed in this study is capable of assisting both health care teams, particularly doctors required to provide reports, and magistrates who often deal with cases that require them to rule on incapacity. The ESCADE is highly relevant in terms of supported decision-making, since the domains presented make it possible to identify the exact area in which support is required.
URI: http://hdl.handle.net/10923/10049
Appears in Collections:Dissertação e Tese

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
000483178-Texto+Parcial-0.pdfTexto Parcial6,24 MBAdobe PDFOpen
View


All Items in PUCRS Repository are protected by copyright, with all rights reserved, and are licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License. Read more.