Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://hdl.handle.net/10923/10326
Tipo: doctoralThesis
Título: Violência e relações de gênero: vivências de mulheres de uma casa-abrigo
Autor(es): Winck, Gustavo Espíndola
Orientador: Strey, Marlene Neves
Editor: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Psicologia
Fecha de Publicación: 2017
Palabras clave: RELAÇÕES DE GÊNERO
VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER
PSICOLOGIA SOCIAL
Resumen: A presente tese é composta por estudos que visam discutir e problematizar a violência e as relações de gênero, a partir das vivências de mulheres em uma casa-abrigo. Essas participantes constituíram-se tanto de mulheres em situação de violência, abrigadas na instituição, quanto da equipe multidisciplinar que a constituía, denominada “cuidadoras”. Sua escritura fundamenta-se em poder viabilizar a reflexão e a abordagem das questões relacionadas ao gênero em nossa realidade, pautada histórica, social e culturalmente pela produção e reprodução de inequidades de poder, bem como por mecanismos de opressão às mulheres. Objetivo: Discutir as percepções sobre violência e relações de gênero a partir das perspectivas das mulheres em situação de violência e de suas cuidadoras, bem como abordar dados que caracterizam o funcionamento da casa-abrigo, inseridas no atendimento ao grave problema social constituído pelas diferentes formas de violências contra as mulheres em nosso País. Método: Foram realizados três estudos para a composição desta tese, todos concebidos em um desenho observacional descritivo transversal, e dentro de um delineamento qualitativo-descritivo. O primeiro foi elaborado a partir de entrevistas individuais junto às mulheres em situação de violência, realizadas a partir dos preceitos da Entrevista Narrativa, e analisadas segundo os pressupostos da Análise de Discurso. O segundo estudo foi originado tendo como foco principal as entrevistas com as cuidadoras, tanto individualmente quanto em grupo de reflexão. Para tanto, foram adotados os pressupostos da Entrevista Semi-Estruturada, a fim de nortear com maior especificidade o processo de coleta, e os dados foram tratados, novamente, a partir da Análise de Discurso.Por fim, o terceiro estudo trata-se de um levantamento quanto aos atendimentos realizados pela casa-abrigo, entre os anos de 2006 e 2013, discutindo como os mesmos foram caracterizados após a implementação da Lei 11.340/06, mais conhecida como “Lei Maria da Penha”. Resultados: Foi possível, através dos estudos realizados, discutir como as percepções acerca da violência e das relações de gênero, tanto para mulheres em situação de violência quanto para suas cuidadoras, pode representar os modos de significação de gênero que historicamente regem nossa sociedade, bem como refletir acerca do trabalho das casas-abrigo enquanto elementos essenciais para uma rede de apoio social que vise a interrupção e a prevenção da violência de gênero.
The present thesis is composed of studies that aim to discuss and problematize violence and gender relations, from the experiences of women in a shelter house. These participants were both women in situations of violence, sheltered in the institution, and its multidisciplinar team of professionals, called "caregivers". The writing is based on being able to make possible the reflection and the approach of questions related to gender in our reality, historically, socially and culturally ruled by the production and reproduction of inequities of power, as well as by mechanisms of women’s oppression. Objective: To discuss perceptions about violence and gender relations from the perspectives of women victims of violence and their caregivers, as well as to address data that characterize the shelter functioning, as part of the serious social problem constituted by the different forms of violence against women in our country. Method: Three studies were carried out to compose this thesis, all conceived in a transverse descriptive observational design, and within a qualitative-descriptive lineation scope. The first one was elaborated from individual interviews with women who were victims of violence, based on the precepts of the Narrative Interview, and analyzed according to the assumptions of the Discourse Analysis. The second study was based on interviews with caregivers, both individually and in a thinking-based group. In order to do so, the assumptions of the Semi- Structured Interview were adopted in order to guide the collection process more specificially, and the data were again treated from the Discourse Analysis method.Finally, the third study is characterized by a data survey based on the attendances provided by the shelter-house between 2006 and 2013, discussing how they were characterized after the implementation of 11.340/06 Law, better known as "Maria da Penha Law". Results: It was possible, through the studies carried out, to discuss how perceptions about violence and gender relations, both on women in situations of violence and on their caregivers, can represent the gender signification modes that historically command our society, as well as to consider the work of shelterhouses as essential elements for a social support network aimed at disrupting and preventing gender-based violence.
URI: http://hdl.handle.net/10923/10326
Aparece en las colecciones:Dissertação e Tese

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción TamañoFormato 
000483879-Texto+Parcial-0.pdfTexto Parcial115,33 kBAdobe PDFAbrir
Ver


Todos los ítems en el Repositorio de la PUCRS están protegidos por derechos de autor, con todos los derechos reservados, y están bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional. Sepa más.