Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/10859
Tipo: masterThesis
Título: A vida danificada em Theodor Adorno: dos afetos da economia política à economia política dos afetos
Autor(es): Souza, Talins Pires de
Orientador: Souza, Ricardo Timm de
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Filosofia
Data de Publicação: 2017
Palavras-chave: ADORNO, THEODOR W. - CRÍTICA E INTERPRETAÇÃO
ÉTICA
INDÚSTRIA CULTURAL
TECNOCRACIA
RACIONALISMO
Resumo: O pequeno libelo ensaístico investiga a economia social que se realiza ao determinar uma racionalidade e também dispositivos que tornam a relação humana eminentemente danificada e até mesmo, no mais das vezes, concretamente impossibilitada. Nesse sentido, mostrar-se-á ‘a vontade de controle das afecções e das tessituras de domesticação da humanidade’ como o problema central a ser tratado à luz da crítica de Theodor Adorno e Max Horkheimer lançada à “indústria cultural” do capitalismo tardio. Não obstante, pela demanda do ‘controle’, a ética, condição humana, é caluniosamente atacada. Em decorrência do problema central, mostrar-se-á também o propósito da neutralização da ética nas relações humanas. Evidentemente, tal empresa coercitiva apaga o ‘tempo’, portanto também quer coibir mudanças como, por exemplo, através de ‘pactos sociais’ que, por sua vez, tratam-se de presunção comportamental à manutenção da eternidade de certa política. Tal apagamento, por insistência ontológica, é a disposição de controle da diferença, é o que a impede de se manifestar concretamente. O ‘tempo’ testemunha a ética ao mesmo tempo que é seu lugar de realização. Procurar-se-á, então, criticar essa racionalidade que inibe o rutilar da diferença, que neutraliza o tempo e a ética e, por que não dizer, tem o propósito de domesticar a vida enredando-a a formalismos.
The next words investigate the social economy that is recognized when a rationality is determined and also they tell about devices that turn the human relationship eminently damaged and even concretely unable. In that sense, the text intends to show 'the desire of affections control and the organization to humanity domestication' as the major subject, based on Theodor Adorno’s and Max Horkheimer’s criticism about the "cultural industry" of the late capitalism. In spite of it, because the 'control', the ethics (human condition) is attacked and misunderstood. Due to the central problem, it will show the purpose of ethics neutralization into human relationships. Of course such a coercive employment turns off the ‘time’, therefore it also wants to avoid changes like 'social pacts' that means presumption behavior to keep going with certain politicy. This deletion, for ontological emphasis, is the disposition of difference control, that doesn’t give a way to manifest itself concretely. ‘Time’ testifies the ethics at the same time that is where the ethics takes place. This argumentation aims to criticize the rationality that shut up the difference, neutralizes time and ethics and also wants to tame life, entangling it in formalisms.
URI: http://hdl.handle.net/10923/10859
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000485512-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo1,01 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.