Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10923/1274
Type: masterThesis
Title: Evolução temporal da função renal entre pacientes criticamente doentes: papel dos polimorfismos I/D e -262A>T do gene da enzima conversora de angiotensina (ECA)
Author(s): Pedroso, José Alberto Rodrigues
Advisor: Alho, Clarice Sampaio
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Graduate Program: Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecular
Issue Date: 2006
Keywords: BIOLOGIA CELULAR
BIOLOGIA MOLECULAR
INSUFICIÊNCIA RENAL
POLIMORFISMO GENÉTICO HUMANO
Abstract: A disfunção de múltplos órgãos e a Insuficiência renal aguda compartilham muitos dos fatores fisiopatológicos envolvidos na sua instalação. Estudos recentes correlacionam a herança genética com a suscetibilidade à disfunção de orgãos entre pacientes criticamente doentes. Muitos consideram que o gene da ECA poderia ser um potencial candidato a fator de risco genetico em pacientes de UTI. Em nosso estudo, examinamos os efeitos dos polimorfismos I/D e -262A>T do gene da ECA na função renal em pacientes criticamente doentes de uma UTI do sul do Brasil. Um escore de disfunção multiorgânico mundialmente reconhecido, o SOFA (avaliação seqüencial da disfunção do órgão), foi empregado para determinar o estado basal da saúde no primeiro dia de admissão à UTI. Considerando o escore SOFA da admissão e a tendência da função renal (através do escore diário do SOFA renal, determinado pela medida diária da creatinina sérica e da diurese), nós consideramos a hipótese de que os polimorfismos I/D e -262A>T do gene ECA poderiam influenciar na tendência da função renal em pacientes de ICU. Um total de 153 pacientes adultos, criticamente doentes (79 homens e 77 mulheres), foi incluído neste estudo.Nós monitoramos os pacientes diariamente durante sua permanência na UTI e hospitalar (período máximo de observação de 224 dias). Foi observada a progressão à disfunção renal (valores 3 e 4 de escores SOFA) nos primeiros sete dias da internação em UTI e a necessidade de diálise durante este período. As freqüências genotípicas totais em nossa amostra foram II=0. 17; ID=0. 46; DD=0. 37 e AA=0. 30; AT=0. 55; TT=0. 15, e as freqüências alélica foram I=0. 40; D=0. 60 e A=0. 56; T=0. 44. Este é o primeiro estudo delineado para verificar a influência de polimorfismos I/D e -262A>T do gene ECA na disfunção renal aguda entre pacientes de UTI. Nenhuma associação significativa foi encontrada entre a evolução da função renal durante a primeira semana de internação na UTI e os genótipos ou freqüências alélicas dos polimomrfismos em questão. Os polimorfismos I/D e -262A>T não apresentaram nenhum impacto significativo na tendência da função renal durante a primeira semana de internação na UTI, igualmente, não houve influência da herança genética sobre a mortalidade nos pacientes criticamente doentes estudados.
URI: http://hdl.handle.net/10923/1274
Appears in Collections:Dissertação e Tese

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
000392208-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo664,55 kBAdobe PDFOpen
View


All Items in PUCRS Repository are protected by copyright, with all rights reserved, and are licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License. Read more.