Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/14905
Tipo: doctoralThesis
Título: Desgaste do aço inoxidável AISI 440BC na presença de misturas diesel-biodiesel utilizando dispositivo pino-sobre-disco
Autor(es): Venzke, Arlei Franz
Orientador: Santos, Carlos Alexandre dos
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Tecnologia de Materiais
Data de Publicação: 2018
Palavras-chave: AÇO INOXIDÁVEL
BIODIESEL
ENGENHARIA DE MATERIAIS
Resumo: Com o desenvolvimento do Programa Nacional para a Produção e Uso de Biodiesel (PNPB), muitos grupos de pesquisa têm estudado a eficácia deste combustível, abordando aspectos econômicos, tecnológicos, ambientais e sociais. A carência de informações na literatura sobre o comportamento do aço inoxidável AISI 440BC na presença do biodiesel e suas misturas é o principal motivador da presente pesquisa. Assim, o objetivo foi analisar o desgaste do aço inoxidável AISI440BC nas condições recozido, temperado e revenido a 100ºC e 300ºC, sem lubrificação (seco) e com lubrificação de diesel comercial (B7 – diesel com 7% de biodiesel), biodiesel (B20), biodiesel (B30), biodiesel (B50) e biodiesel puro (B100). Os ensaios foram realizados em um tribômetro do tipo pino-sobre-disco, com rotação de 300 rpm, 15 N (1,5 kg) de carga e 4400m de distância percorrida, seguindo as recomendações da norma ASTM G99-04.As amostras foram caracterizadas por análises metalográficas em microscopia óptica (MO), microscopia eletrônica de varredura (MEV), espectroscopia de energia dispersiva (EDS) e difração de raios X (DRX), e ensaios mecânicos de dureza, microdureza e desgaste, antes e após os tratamentos térmicos. O material recozido e sem lubrificação apresentou o maior coeficiente de desgaste (k = 0,6667.10-2) e a amostra recozida e lubrificada com B50 apresentou o menor coeficiente de desgaste (k = 0,0370.10-2). As amostras temperadas e revenidas a 100ºC apresentaram os seguintes valores: B20 (k = 0,0665.10-2), B30 (k = 0,0624.10-2), B50 (k = 0,0579.10-2) e B100 (k = 0,1462.10-2), enquanto as amostras temperadas e revenidas a 300ºC apresentaram: B20 (k = 0,1077.10-2), B30 (k = 0,0458.10-2), B50 (k = 0,0576.10-2), e B100 (k = 0,0678.10-2). Os resultados indicaram uma tendência de diminuição de desgaste com o uso do biodiesel B100, e desgastes muito parecidos entre os biodieseis B7, B20, B30 e B50.
With the development of the Brazilian Program of Biodiesel Production and Use (PNPB), many research groups have been studied the effectiveness of this fuel focuses on economical, technological, environmental and social aspects. The lack of information in the literature about the behavior of the AISI 440BC stainless steel in the presence of biodiesel and its blends is the main motivation of the present research. The aim of this work was to analyze the effect of biodiesel and diesel-biodiesel blends on the sliding wear behavior of the AISI 440BC martensitic stainless steel without lubrication (dry) and lubricated with the commercial diesel (B7 – diesel with 7% biodiesel), biodiesel (B20), biodiesel (B30), biodiesel (B50), and pure biodiesel (B100), in the following conditions: annealed, quenched and tempered at 100ºC and at 300ºC. The tests were performed on a pin-on-disc device, at a 1.8 m/s sliding speed, 14.7 N load, and 4400-m sliding distance, following the ASTM G99-04 Standard. The samples were characterized by optical microscopy (OM), scanning electron microscopy (SEM), dispersive energy spectroscopy (EDS) and X-ray diffraction (XRD), and by mechanical tests to determining the hardness, microhardness and wear, before and after heat treatments. The annealed material without lubrication presented the highest wear coefficient (k = 0.6667x10-2), while when lubricated with B50 presented the lower wear coefficient (k = 0.0370x10-2). The tempered and quenched at 100ºC material showed the following values: B20 (k = 0.0665x10-2), B30 (k = 0.0624x10-2), B50 (k = 0.0579x10-2), and B100 (k = 0.1462x10-2).The tempered and quenched at 300ºC material presented: B20 (k = 0.1077x10-2), B30 (k = 0.0458x10-2), B50 (k = 0.0576x10-2), and B100 (k = 0.0678x10-2). The results indicated a tendency to decrease wear with the use of biodiesel B100, and wear behaviors very similar among B7, B20, B30 and B50.
URI: http://hdl.handle.net/10923/14905
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000494042-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo6,07 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.