Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10923/1988
Type: masterThesis
Title: A retórica da intransigência brasileira: uma análise do discurso da oposição durante o primeiro governo Lula
Author(s): Menezes, Daiane Boelhouwer
Advisor: Dias, Marcia Ribeiro
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Graduate Program: Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais
Issue Date: 2008
Keywords: CIÊNCIAS SOCIAIS
SILVA, LUIZ INÁCIO LULA DA - POLÍTICA E GOVERNO
PARTIDOS POLÍTICOS - BRASIL
OPOSIÇÃO (POLÍTICA)
DIREITA E ESQUERDA (CIÊNCIA POLÍTICA)
ANÁLISE DO DISCURSO POLÍTICO
Abstract: Esta dissertação realiza uma análise do discurso dos dois principais partidos de direita e, pela primeira vez, de oposição no âmbito federal – o Partido da Frente Liberal (PFL) e o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) –, durante a 52ª Legislatura da Câmara dos Deputados (1º/02/2003 a 1º/02/2007), ou seja, durante o primeiro governo de Luís Inácio Lula da Silva. O corpus de pesquisa foi composto pelos pronunciamentos proferidos em plenário pelos deputados federais líderes desses dois partidos, pois sabendo a indicação da liderança do partido, há fidelidade partidária na Câmara dos Deputados suficiente para poder prever em mais de 90% dos casos o resultado das votações. A análise deste corpus baseia-se nos conceitos da Escola Francesa de Análise de Discurso. A pesquisa busca saber quais das teses propostas por Albert Hirschman foram mais utilizadas pela oposição durante o primeiro mandato de Lula. A tese da perversidade sustenta que ações para melhorar a ordem econômica, social ou política só pioram a situação que se deseja remediar. A tese da futilidade defende que as mudanças são sempre ilusórias, já que as estruturas da sociedade permanecerão as mesmas. A tese da ameaça argumenta que o custo de determinada ação é muito alto, porque coloca em perigo outra realização anterior. A hipótese, baseada na conclusão de André Singer de que é característica da direita brasileira a aversão a qualquer tipo de mudança que ocorra via contestação da ordem e do direito de repressão do Estado no que diz respeito aos movimentos sociais, era que a tese da ameaça referente à ligação do governo com os movimentos sociais fosse a mais representativa.O número de pronunciamentos que utilizam o argumento da ameaça vinda da mobilização social confirma a hipótese, pois se trata do maior percentual, respondendo por 33,93% da retórica da intransigência brasileira. Além disso, ficou claro que o PFL foi o opositor mais contundente e deu preferência ao argumento da ameaça, enquanto o PSDB utilizou-se mais da tese da futilidade e dos efeitos perversos.
This dissertation present an analysis of the speech of the two main right parties and, for the first time, opposition parties in the federal field – the Party of the Liberal Front (PFL) and the Party of Brazilian Social Democracy (PSDB) – during the 52nd Legislature (1st /02/2003 of 1st /02/2007), or during the first government of Luis Inácio Lula da Silva. The research was composed of the pronouncements made by the federal deputies leaders of the two parties, because knowing the indication of the leadership of the party, we have party loyalty enough to be able to foresee in more than 90% of cases the result of the vote. The analysis of this corpus is based on the concepts of the French School of Analysis of Speech. The research seeks to know which of the thesis proposed by Albert Hirschman were more used by the opposition during the first Lula government. The thesis of perversity argues that actions to improve the economic, social or political order only worsen the situation that you want to heal. The thesis of futility argues that the changes are always illusory, because the structures of society remain the same. The argument of the threat argues that the cost of an action is too high, because it put in danger another preceding achievement. The hypothesis, based on the conclusion of André Singer that among the main features of the Brazilian right is the aversion to any kind of change that occurs by opposing the order and the right of the State repression with regard to social movements, was that the thesis of the threat from the connection of the government with the social movements was the most representative.The number of pronouncements using the argument of the threat coming from the social mobilization confirms the hypothesis, because it is the largest percentage, accounting for 33. 93% of the rhetoric of the Brazilian intransigence. Besides, it is clear that PFL was the hardest opponent and chose the thesis of threat, while PSDB preferred the futility and the perversity argument.
URI: http://hdl.handle.net/10923/1988
Appears in Collections:Dissertação e Tese

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
000401474-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo499,05 kBAdobe PDFOpen
View


All Items in PUCRS Repository are protected by copyright, with all rights reserved, and are licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License. Read more.