Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/2011
Tipo: doctoralThesis
Título: As representações visuais do mal na comunicação: imaginário moderno e pós-moderno em imagens de A Divina Comédia e do filme Constantine
Autor(es): Cappellari, Márcia Schmitt Veronezi
Orientador: Rahde, Maria Beatriz Furtado
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social
Data de Publicação: 2007
Palavras-chave: COMUNICAÇÃO SOCIAL
COMUNICAÇÃO E IMAGINÁRIO
IMAGENS - REPRESENTAÇÃO
COMUNICAÇÃO VISUAL
BEM E MAL
Resumo: This thesis aims at investigating the visual representations of evil, focusing on the analysis of Gustave Doré’s illustrations to Dante Alighieri’s The Divine Comedy and the images of Francis Lawrence’s motion picture Constantine. With the objective of understanding how such images were embedded in both modern and postmodern imaginaries, this study is grounded on the philosophical conception of evil, as means of understanding its both complexity and adaptability. In order to proceed the necessary investigations and obtain outcomes that could prove this thesis, the depth hermeneutics of John B. Thompson (1995) was employed as an effective path. This methodology enabled the analyses of the images as symbolic forms, and, from formal-discursive and socio-historical analyses, it was possible to develop an interpretation/re-interpretation of the subject matter. Therefore, the purpose of this thesis is fullfilled, as its results shows that visual representations of evil are subjected to the imaginary accordingly to the period in time. During modernity, they carried a strong load of morality; in postmodernity, they are influenced by a less determinist way of life, causing a proximity between the concepts of good and evil.
A presente tese dispôs-se a investigar as representações visuais do mal, definindo como focos de análise as ilustrações de Gustave Doré para A Divina Comédia de Dante Alighieri e as imagens do filme Constantine, de Francis Lawrence. Para compreender como tais imagens se inseriram nos imaginários moderno e pós-moderno, buscamos na Filosofia o conceito de mal, de modo a compreender sua complexidade e adaptabilidade. Encontramos na Hermenêutica de Profundidade de John B. Thompson (1995) um caminho metodológico considerado eficaz para proceder as investigações necessárias e chegar aos resultados obtidos de modo a confirmar nossa tese. Através desta metodologia foi possível analisar as imagens como formas simbólicas e a partir das análises formal-discursiva e sócio-histórica proceder uma interpretação/reinterpretação do objeto pesquisado. Deste modo, cremos ter confirmado nossa proposta, chegando aos resultados de que as representações visuais do mal estão sujeitas ao imaginário de seu tempo. Na modernidade, carregam uma forte carga moral decorrente do discurso racionalista e, na pós-modernidade, são influenciadas por um modo de vida menos determinista, que provoca uma aproximação entre os conceitos de bem e de mal.
URI: http://hdl.handle.net/10923/2011
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000399213-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo16,33 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.