Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/2024
Tipo: masterThesis
Título: Os 300 espartanos de Frank Miller: traço, cor e nankin reinterpretam o mito na pós-modernidade
Autor(es): Moura, Elvis Dion Domingues
Orientador: Rahde, Maria Beatriz Furtado
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: COMUNICAÇÃO SOCIAL
COMUNICAÇÃO VISUAL
PÓS-MODERNIDADE
IMAGEM
HISTÓRIA EM QUADRINHOS
MILLER, FRANK - CRÍTICA E INTERPRETAÇÃO
Data de Publicação: 2010
Resumo: O presente trabalho discute as imagens de Frank Miller enquanto comunicação. Tais imagens representam uma linguagem visual através da narrativa das histórias em quadrinhos contemporâneas, uma vez que percebemos a identificação da visualidade pós-moderna no estilo de Frank Miller. A Hermenêutica de Profundidade referida por John Thompson foi a metodologia escolhida para possibilitar o desenvolvimento desta dissertação. Inicialmente aborda-se a história em quadrinhos e suas principais características, estilos e gêneros. Apresenta-se seu quadro evolutivo durante as décadas e seus modos de produção e interpretação. Após, tratam-se questões teóricas relacionadas à comunicação visual e à modernidade. Durante a classificação das eras da história em quadrinhos, aborda-se outros autores dos anos 1980 que evidenciam os marcos iniciais da visualidade pós-moderna na arte sequencial. As imagens de Alan Moore e Neil Gaiman comparadas às de Frank Miller e o aprofundamento sobre Pop Art reiteram o contexto sócio-histórico da pós-modernidade. Assim, refere-se à trajetória de Frank Miller na produção de história em quadrinhos, e suas contribuições imagísticas. A visualidade de Frank Miller é analisada e interpretada à luz da Hermenêutica de Profundidade de Thompson, revelando multiplicidades, hibridações e apropriações contextualizadas na visualidade pós-moderna. Essas noções ligam a obra de Frank Miller à comunicação visual contemporânea. Percebeu-se a sobrevivência do mito na visualidade de Frank Miller e suas possibilidades de interpretação na comunicação visual.
This paper discusses the images of Frank Miller as communication. These images represent a visual language through the narrative on contemporary Comic Books. We can see the visual identification of post-modern in Frank Miller style. The Hermeneutics interpretation reported by John Thompson was the methodology chosen for enable the development of this paper. Initially we talk about the Comic Books and their main features, styles and genres. Evolutive aspects through the decades and productions mode and interpretations. After there are issues theory related to visual communication and modernity. During the classification of the ages of Comic Book history, we talk about other authors of the 80’s that represent the initial visual in the postmodern sequential art. The images of Alan Moore and Neil Gaiman were compared to Frank Miller and the Pop Art are reiterated as a socio-historical context of postmodernity. We refer to Frank Miller’s career in the production of Comic Book and his imagistic contributions. The visuality of Frank Miller is analyzed and interpreted with the Hermeneutics of Thompson revealing multiplicities, hybridization, and appropriation contextualized in the postmodern visuality. This notions mix the work of Frank Miller and the contemporary visual communication. We can see the survival of the mythology on Frank Miller’s visuality and his possibilities of interpretations on visual communication.
URI: http://hdl.handle.net/10923/2024
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese (Comunicação Social)

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000427392-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo14,27 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.