Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/2760
Tipo: doctoralThesis
Título: Violência na escola: um estudo sobre conflitos
Autor(es): Santos, Janete Cardoso dos
Orientador: Bastos, Maria Helena Câmara
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Educação
Data de Publicação: 2010
Palavras-chave: EDUCAÇÃO E SOCIEDADE
VIOLÊNCIA NAS ESCOLAS
CULTURA
NÃO-VIOLÊNCIA
COMPLEXIDADE
Resumo: A tese tem como objetivo central analisar a relação entre conflito e violência e as potencialidades da escola em criar uma cultura que tenha como base o diálogo e a aprendizagem. A pesquisa envolve os conceitos de violência, conflitos, cultura, não-violência, ação comunicativa e processos culturais presentes nas escolas de educação básica, sendo a cultura uma categoria importante apresentada para o processo de análise e para o aprofundamento e compreensão dos processos de violência na escola. A premissa de Edgar Morin – de que nada está fora do todo, mas todas as partes são igualmente importantes – é aprofundada a partir dos dados empíricos. São realizadas reflexões e análises subsidiadas pela teoria da complexidade de Edgar Morin e pela construção teórica de violência abordada por Hannah Arendt, destacando como as relações nas escolas são desencadeadores de violência. Assumi como pressuposto que as relações estabelecidas na escola e a configuração da violência são construções que conferem elementos para estudos na área da educação. A investigação coletou dados empíricos em cinco escolas de educação básica da Rede Pública do Distrito Federal, por meio de entrevistas e observações com diretores e grupos focais de adolescentes entre 11 e 16 anos. O pensamento complexo defendido por Morin possibilitou a compreensão de que a relação entre conflito e violência é tênue no sentido de que a violência, pela sua expressão, pode esconder o sujeito que está produzindo a violência. A partir da complexidade, é possível incluir todos os elementos que compõem as relações que são produtoras de cultura, inclusive os conflitos.O estudo enfatiza a necessidade de perspectivas teóricas que incluam a dimensão antropológica nos processos da escola, tendo como referenciais que o contexto é produzido pelas relações sociais e que, portanto, a violência está na esfera da ação humana. A resolução dos conflitos de forma não-violenta constitui contribuição significativa para os processos da educação básica hoje, e apontam para uma mudança de paradigma – a começar pelos educadores.
The thesis aims at examining the relationship between conflict and violence and the school potential of creating a culture that is based on dialogue and learning. The research involves the concepts of violence, conflicts, culture, non-violence, communicative action and cultural processes present in the schools of basic education, being culture an important category presented to the review process and the deepening and understanding of violence processes in the school. The premise of Edgar Morin - that nothing is out of the whole, but all parts are equally important - is further from the empirical data. Reflections and analysis subsidized by the theory of complexity of Edgar Morin and the theoretical construction of violence addressed by Hannah Arendt are performed emphasizing how the relationships in schools can initiate the violence. I assumed the premise that the relations established in the school and the setting of violence are constructions that give evidence for studies in education. The research collected empirical data from five elementary schools in the public schools in the Federal District, through interviews with principals and focus groups of teenagers between 11 and 16 years. The complex thinking supported by Morin allowed us to understand that the relationship between conflict and violence is tenuous in that the violence, by its expression, can hide the guy who is producing the violence. From the complexity, it is possible to include all the elements that compose the relations which are cultural producers, including the conflicts.The study emphasizes the need for theoretical perspectives that include the anthropological dimension in the processes of school, with a reference to the context being produced by social relations and therefore, the violence is in the sphere of human action. The resolution of conflicts in a non-violent way is a significant contribution to the processes of basic education today, and point to a paradigm shift - starting with the educators.
URI: http://hdl.handle.net/10923/2760
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000423716-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo4,07 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.