Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://hdl.handle.net/10923/3043
Tipo: masterThesis
Título: O processo de significação da experiência museal: um estudo sobre o contexto pessoal de professores de ciências
Autor(es): Soares, Charles Tiago dos Santos
Orientador: Silva, Ana Maria Marques da
Editor: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática
Fecha de Publicación: 2010
Palabras clave: EDUCAÇÃO
CIÊNCIAS - ENSINO
PROFESSORES - FORMAÇÃO PROFISSIONAL
MUSEU DE CIÊNCIAS - RIO GRANDE DO SUL
APRENDIZAGEM
Resumen: Diversos pesquisadores vêm estudando os resultados cognitivos e afetivos das experiências de visitas de grupos escolares aos museus de ciências, assim como os fatores que ampliam a experiência de aprendizagem nestes espaços de educação não-formal. No entanto, poucas investigações têm analisado o papel do professor na iniciativa de realização de uma visita ao museu com seu grupo de alunos. Este trabalho se propõe a investigar as percepções dos professores que visitam o MCT-PUCRS com seus alunos, sob a ótica do processo de construção de significados da experiência museal, dentro do contexto pessoal do professor, analisando suas expectativas, motivações, estratégias e conexões pretendidas entre a visita ao museu e o ensino de ciências na escola. A pesquisa foi orientada por uma abordagem quantitativa e qualitativa, com entrevistas feitas com os professores visitantes. Os discursos foram analisados utilizando a análise discursiva textual. Os resultados mostram que os professores, em sua maioria, freqüentam o museu anualmente e suas primeiras experiências de visita remetem a memórias de sua adolescência, como alunos da educação básica ou superior, sempre marcadas por emoções positivas e pelo encantamento. Os professores revelam motivações intrínsecas para a visita, como a ampliação de conhecimentos e uma formação continuada, assim como justificativas ligadas ao crescimento e aprendizagem dos alunos. Motivações extrínsecas, como atividades planejadas pela escola são utilizadas por uma minoria. As expectativas dos professores estão diretamente relacionadas às suas motivações, incluindo modificações em sua prática docente.O prazer e diversão esperados na visita não estão desvinculados da aprendizagem, assim como a ampliação do interesse e a curiosidade dos alunos em ciências e a complementação de conteúdos. Sobre as práticas de visitas dos professores e suas perspectivas de relação com o ensino formal, encontra-se uma grande diversidade de opções de escolha e controle das atividades dos alunos, que revelam diferentes concepções de aprendizagem. As atividades planejadas no retorno às escolas, relacionadas à visitação, incluem relatos orais e escritos e organização de mostras ou feiras de ciências. Todos esses mecanismos de avaliação pós-visita mostram uma preocupação com a preservação e contextualização da experiência museal em outros contextos, como na escola. Os resultados da pesquisa mostram que o Modelo Contextual de Aprendizagem, de Falk e Dierking (2000), apresenta-se como uma base teórica útil na organização e análise das investigações sobre a aprendizagem em espaços de educação não formal.
Many researchers have studied the results of cognitive and affective experiences of school field trips to science museums, as well as factors that enhance the learning experience in these areas of non-formal education. However, few investigations have examined the role of the teacher's initiative to hold a museum visit with a group of students. This study aims to investigate the perceptions of teachers who visit the MCT-PUCRS with their students, from the perspective of the meaning making museum experience within the personal context of the teacher, analyzing their expectations, motivations, strategies and connections between the visit to the museum and science education in school. The research was guided by a qualitative and quantitative approach with interviews with the visiting teachers. The reports were analyzed using the textual discourse analysis. The teachers mostly attend the museum each year and their first visiting experiences refer to memories of their adolescence, as basic or higher education, always marked by positive emotions and enchantment. Teachers reveal intrinsic motivation, such as the improvement of knowledge and continuous training, as well as justifications related to growth and students’ learning. Extrinsic motivation, such as activities planned by the school, is used by a minority. Teachers' expectations are directly related to their motivations, including changes in their teaching practice. Pleasure and entertainment, expected in the visit, are not separated of learning and the expansion of interest and curiosity of students in science and complementary content are reported.On the practices of the museum visits and their future relationship with formal education, the teachers report a great diversity of choice and control mechanisms for students' activities, which reveal different conceptions of learning. The planned activities when returning for schools related to visitation, including oral and written reports and organization of exhibitions and science fairs are described. All of these mechanisms for the post-visit show a concern for the preservation and contextualization of museum experience in other contexts, such as school. The results show that the Contextual Model of Learning from Falk and Dierking (2000) is a useful theoretical framework to organize and analyze the learning surveys from non-formal education.
URI: http://hdl.handle.net/10923/3043
Aparece en las colecciones:Dissertação e Tese

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción TamañoFormato 
000428083-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo1,11 MBAdobe PDFAbrir
Ver


Todos los ítems en el Repositorio de la PUCRS están protegidos por derechos de autor, con todos los derechos reservados, y están bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional. Sepa más.