Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/3501
Tipo: doctoralThesis
Título: A decaída em ser e tempo: explicitação de um existencial esquecido
Autor(es): Veiga, Itamar Soares
Orientador: Stein, Ernildo Jacob
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Filosofia
Data de Publicação: 2007
Palavras-chave: FILOSOFIA ALEMÃ
SER E TEMPO - CRÍTICA E INTERPRETAÇÃO
ONTOLOGIA
HEIDEGGER, MARTIN - CRÍTICA E INTERPRETAÇÃO
METAFÍSICA
Resumo: The present thesis aims at investigating the constitution of human being, the Dasein, through one of his existentials: the fallenness. Following a specific reflection about the most important contents of Being and Time, between them stand out these existentials: affectedness, understanding and care, the study seeks explicit the fallenness with two guide axles: the thematized quotidian and concealment of being. The thematized quotidian assumes the form of everyday, that is studied in Being and Time. The concealment of being is repaired in a reading of the lecture What’s metaphysics?, realized in 1929, with his introduction (1949) and his posface (1934). Thus, the concealment of being acquired an enlarge degree in all philosophical history. In this comprehension, it is possible to specify the guide axle through some conceptions of theories of knowledge into an analysis’existential analytic and the fallenness. The thesis works with theexistentials understanding and affectedness and also with the methodological resource of Heidegger’s formal indications. The utilization of formal indications shows a difference between Heidegger and philosophically traditions und makes possible keeps factic life under investigation. The thematized quotidian goes through all analysis, specially when it refers to Being and Time. So, the thematized quotidian shows itself as distinguish factor between an interpretation based on the existential analytic and a concealed interpretation based on metaphysics. The thesis analyses the existentials and principals conditions of the Dasein, between then being-in-the-world and being-in. Showing through the thematized quotidian and concealment, which can reveal a range in the understating of existential fallenness. The thesis shows that elements into to fallenness can utilized to make an analysis’ philosophical tradition, when this shows concealment of being. The philosophical tradition, under the conceptions of theory of knowledge, is compared with existentials, specially with the existentials understanding and affectedness. The analysis investigates how the mode of being-there flees from his thrownness (Geworfenheit). The flight, thematized by fallenness, determines a concealment of being’s mode this beings (Seiende). The concealment can showed through the knowledge’s mode, wich means critical entrance in the philosophical tradition. The knowledge’s mode is a mode of being-in, this situation of knowledge is acquired through reading of History of the Concept of Time: Prolegomena. In this work, Heidegger claims that the knowledge is a mode of being-in. This mode of being-in is not fundamental of being-in-the-world in the case of knowledge. The mode being-in open the possibility of knowledge’s resource into the reading of Being and time, under the form of fallenness. So, the fallenness’s explanation is achieved, showing the importance of this existential.
A presente tese investiga a constituição do ser humano, o Dasein, na forma de um dos seus existenciais: a decaída. A partir de uma leitura de Ser e tempo, onde se destacam os existenciais compreensão, sentimento de situação e cuidado, busca-se explicitar a decaída através de dois eixos condutores: o cotidiano tematizado e o encobrimento do ser. O cotidiano tematizado assume a forma da cotidianidade que é tratada em Ser e tempo. O encobrimento do ser é destacado pela contribuição de uma leitura da conferência O que metafísica? feita em 1929, juntamente com a sua introdução (1949) e posfácio (1943). Desta forma, o encobrimento do ser atinge um grau ampliado, além da dimensão da analítica do Dasein. A partir desta compreensão do encobrimento, torna-se possível especificar o eixo condutor pela temática do conhecimento, utilizando-se alguns constructos das teorias do conhecimento. A tese trabalha com os existenciais compreensão e sentimento de situação e também na maneira como se insere o recurso metodológico de Heidegger sob a forma dos indícios-formais. A utilização dos indíciosformais marca uma diferença entre Heidegger e a tradição e determina a possibilidade de manter a vida fática sob o foco de investigação. A tematização do cotidiano percorre toda a análise, principalmente quando esta se remete à própria obra Ser e tempo. Assim, o elemento da tematização do cotidiano se mostra como fator discriminador entre uma interpretação baseada na analítica existencial e uma interpretação encobridora baseada na metafísica. A tese analisa os existenciais e as principais condições do Dasein entre elas o ser-em e o ser-no-mundo, mostrando através deles o cotidiano tematizado e o encobrimento, que podem revelar um alcance na compreensão do existencial decaída.A tese demonstra que os elementos contidos na decaída podem ser utilizados para realizar uma análise da tradição filosófica, na medida em que esta se mostra encobridora do ser. A tradição filosófica, tomada na forma de constructos da teoria do conhecimento, é confrontada com o trabalho dos existenciais, principalmente, dos existenciais compreensão e sentimento de situação. O trabalho de análise investiga a forma do ser-aí fugir diante do seu estar-arrojado ao mundo. Esta fuga, tematizada pela decaída, determina um encobrimento do caráter de ser deste ente. Este encobrimento pode ser mostrado através do modo de ser do conhecer. O modo de ser do conhecer é um modo do ser-em, esta situação do conhecer é obtida através de uma leitura da obra Prolegômenos para a história do conceito de tempo. Nesta obra, Heidegger afirma que o conhecer é um modo de ser do ser-em. Este modo de ser do ser-em não é, um modo de ser fundamental do ser-no-mundo. Este elemento do ser-em abre a possibilidade da pesquisa do conhecimento ser inserida dentro da leitura de Ser e tempo, na forma do existencial decaída. Assim se alcança uma explicitação da decaída, mostrando o quanto este existencial ainda pode ser explorado.
URI: http://hdl.handle.net/10923/3501
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000389366-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo1,12 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.