Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10923/3603
Type: masterThesis
Title: Rede de apoio social, resiliência e marcadores imunológicos em idosos cuidadores de pacientes com demência
Author(s): Lampert, Simone Steyer
Advisor: Bauer, Moisés Evandro
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Graduate Program: Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Biomédica
Issue Date: 2009
Keywords: GERONTOLOGIA
GERIATRIA
ENVELHECIMENTO
IDOSOS
DEMÊNCIA
CUIDADORES
PSICONEUROIMUNOLOGIA
Abstract: Introdução: O cuidado diário de pacientes com demência constitui um modelo naturalístico de estresse crônico. A investigação de aspectos psiconeuroimunológicos envolvidos no complexo sistema de resposta ao estresse crônico e a sua relação com fatores com potencial protetivo como a rede de apoio social e a resiliência psicológica, contribui para a descoberta de formas eficazes de intervenção preventiva em uma população de idosos. Metodologia: Participaram deste estudo 20 cuidadores com idades entre 55 e 78 anos (média 64,7 ± 7,18) e 20 indivíduos não cuidadores com idades entre 54 e 84 anos (média 70,35 ± 9,18), selecionados conforme os critérios de inclusão. Os inventários de depressão, estresse e ansiedade foram avaliados como indicadores de sobrecarga emocional ao estresse crônico. A escala de resiliência e Diagrama de escolta da rede de apoio social foram avaliados como fatores com potencial protetivo ao estresse. Níveis de cortisol salivar foram mensurados ao acordar (30 e 60 minutos depois de acordar) e ao longo do dia (16h e 21 h). Sangue periférico foi coletado pela manhã para avaliação de proliferação de linfócitos T e sensibilidade celular a glicocorticóides (DEX).Resultados: Os cuidadores apresentaram pontuação mais alta nos escores de estresse e depressão (p < 0,0001). Os níveis de cortisol foram mais baixos nos cuidadores (p < 0,0001) e apresentaram declínio nos 30 e 60 minutos após acordar (p < 0,0001). Não houve diferença entre os grupos na proliferação linfocitária e sensibilidade celular a glicocorticóides. A rede de apoio social e resiliência estavam relacionadas inversamente a depressão (p< 0,0001) e estresse (p < 0,05) nos cuidadores, mas não apresentaram relação com a resposta neuroendócrina e imunológica. Conclusões: O estresse crônico está relacionado a sobrecarga emocional nos cuidadores. Níveis mais baixos de cortisol e alta pontuação no escore de exaustão do inventário de estresse no grupo de cuidadores podem estar relacionados a exaustão psicológica e adrenal. As respostas psiconeuroendócrinas não se refletiram em alterações imunológicas. A resiliência e rede de apoio social atenuaram alguns efeitos do estresse crônico na sobrecarga emocional dos cuidadores.
Introduction: The daily care of demented patients constitutes a naturalistic model of chronic stress. The study of psychoneuroimmunological aspects involved with chronic stress response and their relation with potential protective factors, like social support and resilience, shed some light to the discovery of efficient preventive interventions in the elderly. Methods: Twenty caregivers between 55 and 78 years old (64. 7 ± 7. 18) and 20 noncaregivers between 54 and 84 years old (70. 35 ± 9. 18) were recruited. Depression, anxiety and stress inventories were used to measure emotional distress. The resilience and social support diagram inventories were evaluated as potential protective factors to stress. Awakening cortisol levels were measured across three points (awakening, 30 minutes and 60 minutes later) and two points (16h and 21h) across the day. Peripheral blood samples were collected in the morning to evaluate T-cell proliferation and cellular sensitivity to dexamethasone (DEX).Results: Caregivers were more stressed and depressed than controls (p < 0. 0001). Cortisol levels were lower in caregivers (p < 0. 0001) and showed a progressive decline at 30-60 min following awakening (p < 0. 0001). There were no differences regarding lymphocyte proliferation and sensitivity to glucocorticoids. The social support and resilience variables were inversely correlated with depression (p < 0. 0001) and stress (p<0. 05) in the caregiver group. However, these variables were not correlated to neuroendocrine and immunological responses. Conclusions: Chronic stress is related to significant emotional distress in caregivers. Lower levels of cortisol response and high exhaustion scores on stress inventory could be related to adrenal and psychological overdrive in caregivers. The psychoneuroendocrine responses were not correlated to immunological changes. Resilience and social support reduced some chronic stress effects on emotional distress.
URI: http://hdl.handle.net/10923/3603
Appears in Collections:Dissertação e Tese

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
000412870-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo2,88 MBAdobe PDFOpen
View


All Items in PUCRS Repository are protected by copyright, with all rights reserved, and are licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License. Read more.