Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/3656
Tipo: masterThesis
Título: Perfil de risco imunológico e resposta humoral ao citomegalovírus e associação com o estado cognitivo funcional em idosos
Autor(es): Correa, Bruna Luz
Orientador: Bauer, Moisés Evandro
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Biomédica
Data de Publicação: 2012
Palavras-chave: MEDICINA
GERIATRIA
GERONTOLOGIA
IDOSOS
ENVELHECIMENTO
IMUNOLOGIA
CYTOMEGALOVÍRUS
Resumo: Introduction: The immune risk phenotype (IRP), as shown by increased CD8+ and low CD4+ T cell counts, and cognitive impairment have been associated with increased morbidity and mortality in very old subjects. Recent evidence suggests that persistent viral infections of the herpesviridae family such as cytomegalovirus (CMV) are likely to be involved with these specific T cell changes. This study aims to identify the IRP and investigate possible associations with viral infections, cognitive and functional states of elderly in Brazil. Material and Methods: 360 elders aged between 60-103 years were recruited from the public health care system in Porto Alegre, Brazil. Peripheral blood was collected and lymphocyte subsets (CD4+, CD8+, NK, NK T, B and CD8+CD28-) assessed by multi-color flow cytometry. CMV and Epstein-Barr virus (EBV) serologies were determined by ELISAs. Cognitive function was evaluated by the word list memory and constructional praxis from the standard neuropsychological battery of Consortium to Establish a Registry for Alzheimer’s Disease and Mini Mental Status Examination (MMSE) inventory. PFEFFER Functional Activities Questionnaire was used to determine activities of daily living. Results: 59 individuals were defined with IRP (CD4/CD8 ratio < 1). Increased IgG titers to CMV (p<0. 01) but not to EBV were found in the IRP+ group as compared to non-IRP. The IRP+ elders had a greater late-memory deficit (p<0. 05) and more functional disability and dependency (p=0. 01) when compared with the non-IRP group. Subjects with both IRP and cognitive impairment did not show synergist effects upon lymphocytes or viral serologies. Conclusions: The IRP was identified in 16% of the Brazilian community dwellers. Our data further indicate the association of CMV with IRP and both cognitive and functional disability/dependency during aging.
Introdução: O fenótipo risco imunológico (IRP) tem sido demonstrado pelo aumento de células T CD8+ e baixa contagem de T CD4+, e o comprometimento cognitivo têm sido associado com aumento da morbidade e mortalidade em idivíduos muito velhos. Evidências recentes sugerem que infecções virais persistentes da família Herpesviridae como o citomegalovírus (CMV) são mais propensos a desenvolverem estas alterações nas células T específicas. Este estudo visa identificar o IRP e investigar possíveis associações com infecções virais, e com o estado cognitivo e funcional em idosos do Brasil. Material e Métodos: 360 idosos com idades entre 60-103 anos foram recrutados a partir do sistema público de saúde em Porto Alegre, Brasil. O sangue periférico foi recolhido e os subconjuntos de linfócitos (células T CD4 +, CD8 +, células NK, NK T, B e CD8+CD28-) foram avaliados por citometria de fluxo. A sorologias para CMV e para o vírus de Epstein-Barr (EBV) foram determinadas por ELISA. A função cognitiva foi avaliada através da lista de palavras e praxia construtiva do Consortium to Establish a Registry for Alzheimer’s Disease (CERAD), do teste de memória verbal e lógica de Wechesler, e do Mini Exame de Estado Mental (MEEM). O questionário de Atividade Funcionais PFEFFER foi utilizado para determinar as atividades da vida diária. Resultados: 59 indivíduos foram definidos com IRP. Títulos aumentados de IgG para CMV (p <0,01), mas não para o EBV foram encontrados no grupo IRP+ grupo quando comparados ao grupo Non-IRP. Idosos com IRP+ apresentaram um maior déficit de memória tardia (p <0,05) e maior dependência e incapacidade funcional (p = 0,01) em relação ao grupo Non-IRP. Indivíduos com IRP e com déficit cognitivo não demonstraram efeitos sinérgicos sobre as populações de linfócitos ou sorologias virais. Conclusões: O IRP foi identificado em 16% dos moradores de comunidades brasileira. Nossos dados ainda indicam uma importante associação do CMV com IRP e ambos com o estado cognitivo e funcional deficiência/dependência durante o envelhecimento.
URI: http://hdl.handle.net/10923/3656
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000443857-Texto+Completo-0.pdfTexto Parcial102,2 kBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.