Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10923/3698
Type: masterThesis
Title: Estudo da participação do sistema dopaminérgico na formação da memória de reconhecimento em ratos
Author(s): Rodrigues, Viviane Bogdanov
Advisor: Schröder, Nadja
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Graduate Program: Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Biomédica
Issue Date: 2006
Keywords: GERONTOLOGIA
GERIATRIA
MEMÓRIA - IDOSOS
ENVELHECIMENTO
RATOS - EXPERIÊNCIAS
Abstract: It is widely known that the Dopaminergic System plays a relevant role in memory formation and consolidation, however little is known about its role in recognition memory. Thus, the purpose of the present study was to evaluate the effect of dopamine receptors manipulation on memory consolidation of the novelobject recognition task in rats. In the first group of experiments, Wistar adult rats were given either D1 or D2 dopaminergic agonists (SKF 38393 and Quimpirol, 1mg/Kg and 5mg/Kg), immediately after training on the novel-object recognition task. Rats that received Quimpirol, at both doses, and SKF 38393 (lowest dose) showed no significant differences when compared with the control group. However, rats that received the highest dose of SKF 38393 (5 mg/Kg), showed an improvement in the retention of long-term memory, in the task. When rats were tested 72 hours after training, the same effect was observed. In the second group of experiments, rats were submitted to the treatment with two dopaminergic antagonists (SCH 23390, a D1 antagonist; and Raclopride, a D2 antagonist) in different doses, concomitantly with Apomorphine, that is a mixed agonist (D1 and D2), in the dose of 0,05 mg/Kg. The use of SCH 23390 alone, with vehicle or in combination with Apomorphine, showed no effect on memory. The same is observed when Raclopride was used with vehicle. However, rats that received the antagonist Raclopride (dose of 0,5 mg/Kg), concomitantly with Apomorphine, showed an improvement in the retention of longterm memory. These results, taken together, demonstrate the involvement of dopaminergic system in recognition memory consolidation, and that this effect occurs mainly through D1 receptors subtype. This research will be able to serve as base for future studies of aging; since it demonstrated that the studied system plays an important role in recognition memory, which is substantially affected in this life phase. Therefore, through the present results, new therapeutical strategies could be developed for the control of neurodegenerative diseases, as well as tests of new drugs with potential neuroprotective action.
Sabe-se que o Sistema Dopaminérgico está envolvido na formação e consolidação de diversos tipos de memórias, no entanto pouco se sabe a respeito de sua participação na formação da memória de reconhecimento. Portanto, o objetivo do presente trabalho foi investigar a participação de receptores dopaminérgicos sobre a consolidação na tarefa de reconhecimento do objeto novo em ratos. No primeiro grupo de experimentos, ratos Wistar adultos foram tratados com dois agonistas dopaminérgicos (SKF 38393, um agonista de receptores da família D1; e Quimpirol, um agonista dos receptores da família D2) nas doses de 1 mg/Kg e 5 mg/kg administradas via intraperitonial, após a sessão de treino da tarefa do reconhecimento de objeto novo. Os ratos tratados com Quimpirol (em ambas as doses) e SKF 38393 (na menor dose), não apresentaram nenhuma diferença significativa em relação ao grupo controle. No entanto, ratos que receberam a maior dose do SKF 38393 (5 mg/Kg), apresentaram uma melhora na retenção da memória de longa duração (24 horas), nesta tarefa. Com o objetivo de investigar se aconteceria o mesmo efeito, caso os ratos fossem testados 72 horas após a sessão de treino, utilizou-se mais uma vez o agonista D1, e novamente observou-se uma melhora na retenção da memória de longa duração. No segundo experimento, os ratos foram submetidos ao tratamento com dois antagonistas dopaminérgicos (SCH 23390, um antagonista dos receptores da família D1; e o Raclopride, um antagonista dos receptores da família D2) em diferentes doses, concomitantemente com a Apomorfina, que é um agonista misto (D1 e D2), na dose de 0,05 mg/Kg. O uso do SCH 23390 sozinho, com o veículo ou juntamente com a Apomorfina, não evidenciou nenhuma alteração na memória.O mesmo é observado quando se administra o Raclopride combinado ao veículo. No entanto, os ratos que receberam o antagonista Raclopride (na dose de 0,5 mg/Kg), concomitantemente com a Apomorfina, demonstraram uma melhora na retenção da memória de longa duração. A análise conjunta dos resultados demonstra o envolvimento do sistema dopaminérgico na formação e consolidação da memória de reconhecimento, que não era amplamente estudada; e que este efeito se dá, principalmente, pelos receptores dopaminérgicos da família D1. Este trabalho poderá servir como base para estudos futuros sobre envelhecimento; já que foi demonstrado que o sistema estudado faz parte da formação da memória de reconhecimento, que está substancialmente afetada nesta fase da vida. Por conseguinte, através dos resultados apontados, poderão ser desenvolvidas novas estratégias terapêuticas para o controle de doenças neurodegenerativas, assim como testes de novas drogas com possível ação neuroprotetora.
URI: http://hdl.handle.net/10923/3698
Appears in Collections:Dissertação e Tese

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
000383300-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo410,4 kBAdobe PDFOpen
View


All Items in PUCRS Repository are protected by copyright, with all rights reserved, and are licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License. Read more.