Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://hdl.handle.net/10923/3702
Tipo: doctoralThesis
Título: Manifestações dermatológicas em idosos ambulatoriais, internados e institucionalizados de Porto Alegre - RS
Autor(es): Eidt, Letícia Maria
Orientador: Silva Filho, Irênio Gomes da
Editor: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Biomédica
Fecha de Publicación: 2012
Palabras clave: MEDICINA
GERONTOLOGIA BIOMÉDICA
DERMATOLOGIA
MANIFESTAÇÕES CUTÂNEAS
IDOSOS
DERMATOPATIAS
MEDICINA AMBULATORIAL
HOSPITALIZAÇÃO
ENVELHECIMENTO
Resumen: Introduction: the growth of the elderly population worldwide presents a challenge for active aging with quality of life. As a consequence of increased life expectancy, several organs of the human body age, including the skin. Therefore, the aging population is also a challenge for dermatologists, since the demographic transition also increases skin diseases and changes which need to be managed. This study is justified by the scarceness of epidemiological studies among us, regarding the prevalence of skin manifestations that affect the elderly and their importance as a foundation for the care of geriatric patients. Objectives: To study dermatological problems in elderly residents at a Long Stay Institution (LSI) and in those seen at an Outpatient Clinic and in a ward of a Geriatric Center of Reference in Porto Alegre, state of Rio Grande do Sul (RS), Brazil. Methods: cross-sectional, descriptive and analitcs study performed between August/2010 and May/2011. The people invited to participate in the study were all the elderly residents of a long-stay institution of Porto Alegre from August/2010 to October/2010, all the elderly patients of the Geriatrics Ambulatory of Hospital São Lucas from October 2010 to May /2011, and all the elderly hospitalized at the Geriatrics Unit Care of Hospital São Lucas from December/2010 to May/2011, 60 years old or over. Data on age, sex, race, schooling, associated illnesses and medications used were surveyed in the patients’ files. The elderly person or their representative was asked about the family history of skin diseases, and the dermatological manifestations were collected by dermatological exam (inspection and palpation), complemented by the dermatoscopic and histopathological exams when necessary. The descriptive analysis of the data was done by frequencies, means, medians and standard deviations. The Chi-square test was used to compare the frequencies of dermatological manifestations to the frequencies of demographic characteristics and to the frequencies of co-morbidities. Results: Three hundred and twelve elderly people participated in the study, 30. 1% male and 69. 9% female. The age varied from 60 to 103 years, the mean was 78. 4 years (SD=8. 9), and the median 79 years. Out of the total number, 60. 9% were white, 55. 0% had not completed elementary school, 94. 6% had associated co-morbidities, and 94. 2% used some kind of medication. One hundred and twenty-eight dermatological manifestations were observed, comprising skin, nail and hair changes. The mean number of dermatological manifestation per person was calculated as 18. 5 (SD=3. 7) and the margin of variation was from 7 to 28 manifestations per elderly person surveyed. Solar melanosis, guttate hypomelanosis, cherry hemangioma, longitudinal striae on the nails, wrinkles, melanocytic nevi, seborrheic keratosis, male androgenetic alopecia, cutaneous xerosis, telangiectasias, absent lunula, interdigital intertrigo of the toes, skin atrophy and poichilodermia were present in over 50% of the participants in this study. Actinic keratosis, white hair, hirsurtism, rhomboid skin, supraciliary madarosis, onycholysis, purpura, onicodystrophy, stellar scar, ochre dermatitis, acrochordon, dermatosis papulosa nigra, comedo and keratosis of the elbows and knees were present in 30 to 50% of the subjects in this study. Dilated pores, female androgenetic alopecia, hypertrichosis of the ears, seborrheic eczema, milium cysts, melasma, plantar callosities, different types of scar, plantar calluses, leukonychia, folliculitis and sebaceous hyperplasia were found in 10 to 30% of the elderly who participated in this study. Solar melanosis was the most prevalent manifestation (97. 8%). Seborrheic keratosis (75. 0%) was less prevalent among blacks (P=0. 006) and in the elderly with DPOC (P=0. 047). Cutaneous xerosis was present in 70. 8% of the people researched. Guttate hypomelanosis (82´. 7%), poichilodermia (50. 3%), dilated pores (26. 6%) and melasma (15. 4%) were less prevalent in LSI (Long Stay Institutions for the Elderly) (P<0. 001), and purpura (38. 1%) was more frequent in hospitalization (P<0. 001). Interdigital intertrigo of the toes (52. 6%) occurred more frequently in males (P=0. 001), in the brown and black races (P=0. 001) and in those with diabetes (P=0. 011). Actinic keratosis (46. 5%) was more prevalent in the white race (P<0. 001) and its prevalence increased with the older age groups (P<0. 001). Most frequent ungueal changes were longitudinal striae (81. 2%), more prevalent in the LSI (P<0. 001), in males ((P=0. 003), in the brown race (P=0. ,032) and in the older age groups (P<0. 001). Supraciliary madarosis (40. 1%) was more prevalent in hospitalized patients (P=0. 036), in the older age groups (P=0. 001) and in those vascular encephalic accident (P=0. 011) and pneumonia (P=0. 002). Seborrheic eczema (22. 4%) was more frequent in males (P<0. 001) and in those with dementia (P=0. 020). Plantar callosities (12. 8%) were less prevalent in hospitalization (P=0. 058) and in diabetes (P=0. 022). On the other hand, plantar callosities (14. 7%) were more prevalent in the Outpatient Clinic (P<0. 001). Folliculitis (11. 2%) was more prevalent in men (P<0. 001). Sebaceous hyperplasia(10. 6%) was more prevalent in elderly cancer patients (P=0. 030).Conclusion: the variety of dermatological manifestations found in this study reminds one of the need to include skin care in the broad geriatric assessment and in integral care of the elderly. The presence of manifestations secondary to skin aging, infectious lesions, both pre-malignant and malignant, that can be prevented justify measures of Education for Health of the Elderly, for the caregiver, the health teams and the young age groups of the population Considering the skin manifestations observed, the high prevalence of ungueal involvement and the association between sebaceous hyperplasia and cancer in our work, it is suggested that further research be done in this field.
Introdução: o aumento da população de idosos em todo o mundo, traz o desafio do envelhecimento ativo com qualidade de vida. Como consequência ao aumento da expectativa de vida, vários órgãos do corpo humano envelhecem, inclusive a pele. Logo, o envelhecimento populacional é um desafio também enfrentado pelos dermatologistas, pois a transição demográfica aumenta as doenças e alterações cutâneas que necessitam ser manejadas. A escassez de estudos epidemiológicos em nosso meio sobre a prevalência das manifestações cutâneas que acometem o idoso e a importância destes para embasar o atendimento ao paciente geriátrico justificaram a realização desta pesquisa. Objetivos: estudar as manifestações dermatológicas em idosos residentes em uma Instituição de Longa Permanência para Idosos (ILPI) e naqueles atendidos no Ambulatório e na Internação de um Centro de Referência em Geriatria de Porto Alegre – RS.Métodos: estudo transversal, descritivo e analítico, realizado entre agosto/2010 e maio/2011. Foram convidados todos os idosos residentes em uma ILPI de Porto Alegre no período de agosto/2010 a outubro/2010, todos os idosos internados no ambulatório de referência em geriatria do Hospital São Lucas no período de outubro/2010 a maio/2011 e todos os idosos atendidos na enfermaria geriátrica do Hospital São Lucas no período de dezembro/2010 a maio/2011, com 60 anos de idade ou mais. Dados referentes à idade, ao sexo, à raça, à escolaridade, às doenças associadas e medicações em uso foram pesquisados nos prontuários dos pacientes. O histórico familiar de doenças de pele foi indagado ao idoso ou seu representante e as manifestações dermatológicas foram coletadas através do exame dermatológico (inspeção e palpação) complementado pelos exames dermatoscópico e histopatológico, quando necessário. A análise descritiva dos dados foi feita através de frequências, médias, medianas e desvios padrões. Para comparação das frequências das manifestações dermatológicas, com as frequências das características demográficas e com as frequências das comorbidades foi utilizado o teste do qui quadrado. A pesquisa iniciou após aprovação pelo Comitê de Ética e Pesquisa e os idosos ingressaram no estudo após concordância e assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Resultados: participaram da pesquisa 312 idosos (103 da ILPI, 104 do Ambulatório e 105 da Internação), 30,1% do sexo masculino e 69,9% do feminino. A idade variou dos 60 aos 103 anos, sendo a média de 78,4 anos (DP=8,9) e a mediana de 79 anos. Do total, 60,9% eram brancos, 55,0% não haviam completado o nível fundamental, 94,6% apresentavam doenças associadas e 94,2% usavam algum tipo de remédio. Foram observadas 128 manifestações dermatológicas, compreendendo alterações de pele, unhas e pelos. Calculando-se a média do número de manifestações dermatológicas por idoso, seu valor foi de 18,5 (DP=3,7) e a margem de variação de 7 a 28 manifestações dermatológicas por idoso pesquisado. Melanose solar, hipomelanose gotata, nevo rubi, estrias longitudinais das unhas, rugas, nevos melanocíticos, ceratose seborreica, alopecia androgenética masculina, xerose cutânea, telangiectasias, ausência de lúnula, intertrigo interdigital dos pododáctilos, atrofia cutânea e poiquilodermia estiveram presentes em mais de 50% dos participantes deste trabalho. Ceratose actínica, canície, hirsutismo, pele romboidal, madarose supraciliar, onicólise, púrpura, onicodistrofia, cicatriz estelar, dermatite ocre, acrocórdon, dermatose papulosa nigra, comedão e ceratose de cotovelos e joelhos estiveram presentes entre 30 e 50 % dos sujeitos deste estudo. Poros dilatados, alopecia androgenética feminina, hipertricose das orelhas, eczema seborreico, cistos de millium, melasma, calosidades plantares, diferentes tipos de cicatrizes, calos plantares, leuconíquia, foliculite e hiperplasia sebácea foram constatadas entre 10 e 30 % dos idosos que fizeram parte desta pesquisa. Melanose solar foi a manifestação mais prevalente (97,8%). Ceratose seborreica (75,0%) foi menos prevalente na raça negra (P=0,006) e nos idosos com DPOC (P=0,047). Xerose cutânea esteve presente em 70,8% dos pesquisados. Hipomelanose gotata (82,7%), poiquilodermia (50,3%), poros dilatados (26,6%) e melasma (15,4%) foram menos prevalentes na ILPI (P<0,001) e a púrpura (38,1%) foi mais frequente na Internação (P<0,001). Intertrigo dos pododáctilos (52,6%) foi mais frequente nos homens (P=0,001), nas raças parda e negra (P=0,001) e naqueles com diabetes (P=0,011). Ceratose actínica (46,5%) foi mais prevalente na raça branca (P<0,001) e aumentou sua prevalência de acordo com o aumento das faixas etárias (P<0,001). As alterações ungueais mais frequentes foram as estrias longitudinais (81,2%), mais prevalentes na ILPI (P<0,001), no sexo masculino ((P=0,003), na raça parda (P=0,032) e nas faixas etárias mais altas (P<0,001). Madarose supraciliar (40,1%) foi mais prevalente na internação (P=0,036), nas faixas etárias mais altas (P=0,001) e naqueles com AVE (P=0,011) e pneumonia (P=0,002). Eczema seborreico (22,4%) foi mais frequente no sexo masculino (P<0,001) e naqueles com demência (P=0,020). Calo plantar (12,8%) foi menos prevalente na Internação (P=0,058) e no diabetes (P=0,022), já a calosidade plantar (14,7%) foi mais prevalente no Ambulatório (P<0,001). Foliculite (11,2%) apresentou maior prevalência nos homens (P<0,001). A hiperplasia sebácea (10,6%) foi mais prevalente nos idosos com câncer (P=0,030).Conclusão: a variedade de manifestações dermatológicas presentes nesta pesquisa remete à necessidade de inserir o cuidado com a pele na avaliação geriátrica ampla e no atendimento integral à saúde do idoso. A presença de manifestações secundárias ao envelhecimento cutâneo, lesões infecciosas, pré-malignas e malignas passíveis de prevenção justificam medidas de Educação para a Saúde ao idoso, ao cuidador, às equipes de saúde e às faixas etárias mais jovens da população. Face às manifestações dermatológicas observadas, à elevada prevalência de acometimento ungueal e à associação entre hiperplasia sebácea e câncer em nosso trabalho, sugere-se a realização de futuras pesquisas nesta área.
URI: http://hdl.handle.net/10923/3702
Aparece en las colecciones:Dissertação e Tese

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción TamañoFormato 
000440855-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo1,45 MBAdobe PDFAbrir
Ver


Todos los ítems en el Repositorio de la PUCRS están protegidos por derechos de autor, con todos los derechos reservados, y están bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional. Sepa más.