Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/3707
Tipo: doctoralThesis
Título: Prevalência de diabete mellitus na população de idosos de Porto Alegre e suas características sociodemográficas e de saúde
Autor(es): Viegas, Karin
Orientador: Silva Filho, Irênio Gomes da
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Biomédica
Data de Publicação: 2009
Palavras-chave: MEDICINA
GERONTOLOGIA BIOMÉDICA
GERIATRIA
GERONTOLOGIA
IDOSOS
ENVELHECIMENTO
DIABETES MELLITUS
SAÚDE DO IDOSO
Resumo: The demographic change associated with technological resources result in the survival of people with diabetes in old age. However, the increased incidence of diabetes in the world brings consequences to public health systems, as well as the entire population. This work has as main objective to study the prevalence of diabetes mellitus (DM) in the elderly of Porto Alegre and the characteristics and health status of this population. It was developed from a cross-sectional study conducted in a population-based sample of elderly with 60 years or more, developed on data from the Multidimensional Study of the Elderly in Porto Alegre (EMIPOA), conducted by the Institute of Geriatrics and Gerontology (IGG) of the Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). The methodology of sampling was stratified random and proportional, including the residences of each census tract, as stipulated by the IBGE to Porto Alegre in 2000, with estimates of population in 2005. The study was carried out from December 2005 to September 2006 and covered two phases. In the first phase were assessed in 1078 elderly, through a household survey. All respondents were invited to attend the second phase of the study, in which 424 elderly attended. At this stage evaluation has been conducted by professionals multidisciplinary the faculties of medicine, physiotherapy, pharmacy, nursing, psychology, physical education and nutrition. We used the instruments of the scale of the capacity for Diabetic Self-care (ECDAC), subscale III, Scale of Barthel Index (BI) and Quality of Life (WHOQOL-Bref), farmacoterápico profile and physical examination. For the measurement of blood glucose, the elderly were the collection of plasma glucose, and were classified as diabetics according to the criteria of the Brazilian Society of Diabetes. The results were analyzed by SPSS 11. 5 statistical program. The elderly have signed the Statement of Free and Informed Consent. The results showed that 71. 8% are women, age ranged from 60 to 96 years, averaging 7. 8 years, 39. 2% are widowed and 36. 5% are married, 83. 1 % white71. 7 and 10. 9% black and 66. 8% had not completed the first grade. The prevalence of diabetes in the elderly population of 25. 7% (CI = 21,8-30,1) and, when adjusted for age and sex for the city, is 25. 4%. Of these, 20. 4% know the disease, and those who knew, 46. 2% were not any kind of treatment. The socio-economic conditions, quality of life and the characteristics of health of the elderly, are associated with the prevalence of diabetes. The absence of previous affect the elderly diabetic, raising the rates of mortality, co morbidity and functional disability. The relevance to seek such information serves to support and understand the whole process of the disease and devising programs that address public health burden of reducing the prevalence of diabetes. The results presented point to new possibilities, while they provide elements of reflection on the elderly population of Porto Alegre.
As transformações demográficas associadas aos recursos tecnológicos resultam na sobrevivência de pessoas com diabetes em idades avançadas. No entanto, o aumento da incidência de diabetes em todo o mundo, traz conseqüências aos sistemas públicos de saúde, bem como toda a população. O presente trabalho tem como objetivo principal estudar a prevalência de diabetes mellitus (DM) nos idosos de Porto Alegre, bem como as características e condições de saúde desta população. Foi desenvolvido a partir de um estudo transversal, realizado em uma amostra de base populacional com idosos de 60 anos ou mais, desenvolvido com base nos dados oriundos do Estudo Multidimensional dos Idosos de Porto Alegre (EMIPOA), realizado pelo Instituto de Geriatria e Gerontologia (IGG) da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). A metodologia de amostragem foi estratificada proporcional e aleatória, contemplando as residências de cada setor censitário, conforme estipulados pelo IBGE para Porto Alegre em 2000, e com estimativas de variação populacional para 2005. O estudo foi realizado no período de dezembro de 2005 a setembro de 2006 e abrangeu duas fases. Na primeira fase foram avaliados 1078 idosos, através de um inquérito domiciliar. Todos os entrevistados foram convidados a participar da segunda fase do estudo, no qual compareceram 424 idosos. Nesta etapa foi realizada uma avaliação multidisciplinar por profissionais das faculdades de medicina, fisioterapia, farmácia, enfermagem, psicologia, educação física e nutrição. Foram utilizados os instrumentos da Escala de Capacidade do Diabético para o Autocuidado (ECDAC), subescala III, da Escala de Índice de Barthel (IB) e de Qualidade de Vida (WHOQOL-Bref), perfil farmacoterápico e exame físico, para avaliação dos idosos. Para a mensuração da glicemia, os idosos foram submetidos a coleta de glicose plasmática e, foram classificados como DM conforme os critérios da Sociedade Brasileira de Diabetes. Os resultados foram analisados pelo programa estatístico SPSS 11,5. Os idosos assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Os resultados mostraram que, 71,8% são mulheres, com idade média de 71,7+- 7,8 anos, 39,2% são viúvos e 36,5% são casados, 83,1% brancos e 66,8% não tinham o primeiro grau completo. A prevalência de diabetes na população de idosos de 25,7% (IC=21,8-30,1) e, quando ajustada pela faixa etária e sexo para o município, foi de 25,4%. Destes, 20,4% desconheciam a doença e, dos que sabiam, 46,2% não faziam nenhum tipo de tratamento. As condições sócio-econômicas, a qualidade de vida e as características de saúde do idoso, estão associadas com a prevalência de diabetes. A ausência de diagnósticos prévios prejudica os idosos diabéticos, elevando as taxas de mortalidade, comorbidades e incapacidade funcional. A relevância em buscar essas informações, serve para compreender e subsidiar todo o processo da doença e delinear programas públicos de saúde que visem diminuir o ônus da prevalência do diabetes. Os resultados apresentados apontam para novas possibilidades, ao mesmo tempo em que fornecem elementos de reflexão sobre a população idosa de Porto Alegre.
URI: http://hdl.handle.net/10923/3707
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000408727-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo1,7 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.