Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/3716
Tipo: masterThesis
Título: A influência da dor crônica na qualidade de vida do idoso
Autor(es): Lorenzini, Marta
Orientador: Goldim, José Roberto
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Biomédica
Data de Publicação: 2006
Palavras-chave: MEDICINA
GERIATRIA
GERONTOLOGIA
IDOSOS
ENVELHECIMENTO
QUALIDADE DE VIDA
DOR
Resumo: Introduction: Elderly people with chronic painful disorder may suffer major changes in their quality of life. Pain is one of the most important problems that considerably impair autonomy and independence in the everyday life of elderly people. The purpose of this study was to assess the influence of pain in the quality of life of elderly people, observing its effects in four domains: physical, psychological, social relations and environment. Methods: This was a transversal research with a convenience sample made up of 43 elderly individuals 60 years old or older, with chronic pain clinical diagnosis. The World Health Organization Quality of Life Assessment Instrument, WHOQOL-bref, was used, as well as the Pain Visual Analogue Scale. Results: Among the clinical alterations found, we verified: 41,1% patients with arthrosis; 34. 9% with back disorders; 23. 2% with tendinopathies; 2. 3% with osteoporosis and 2. 3% rheumatoid arthritis. In the pain visual analogue scale it was observed that both sexes showed a moderate pain pattern. We could observe that there was negative influence of chronic pain in the quality of life of elderly people in the physical domain and in the social relations domain compared to the control volunteers. Discussion: The reduction in the quality of life in the physical and social relations domain in elderly people with chronic pain may also affect the maintenance of autonomy of old people, in that they may stop or limit the performance of their functions in everyday life, becoming dependant in a social, economical and cultural context.
Introdução: O idoso com distúrbio doloroso crônico, pode sofrer alterações importantes na sua qualidade de vida. A dor é um dos problemas mais importantes, que dificultam consideravelmente a autonomia e a independência no cotidiano dos idosos. Objetivos: O objetivo deste estudo foi avaliar a influência da dor crônica na qualidade de vida do idoso, observando suas repercussões em quatro domínios: físico, psicológico, relações sociais e meio ambiente. Métodos: Este foi um estudo transversal, com uma amostragem de conveniência composta por 43 idosos, com idade igual ou superior a 60 anos de idade, com diagnóstico clínico de dor crônica. Foram utilizados o Instrumento de Avaliação de Qualidade de Vida da Organização Mundial de Saúde, o WHOQOL-bref e a Escala Análogo Visual de Dor. Resultados: Dentre as alterações clínicas encontradas, verificamos: 41,1% pacientes com artrose; 34,9% com distúrbios da coluna; 23,2% com tendinopatias; 2,3% com osteoporose e 2,3% com artrite reumatóide. Na escala análogo visual de dor foi observado que ambos os sexos mostraram um padrão de dor moderada. Podemos observar que houve uma influência negativa da dor crônica na qualidade de vida dos idosos no domínio físico no domínio das relações sociais em relação aos voluntários–controle. Discussão: A diminuição na qualidade de vida nos domínios físico e de relações sociais dos idosos com dor crônica, pode afetar também a manutenção da autonomia do idoso, na qual ele poderá deixar ou limitar o desempenho de suas funções do cotidiano, tornando-se dependente dentro de um contexto social, econômico e cultural.
URI: http://hdl.handle.net/10923/3716
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000381792-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo359,03 kBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.