Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/3726
Tipo: doctoralThesis
Título: Impacto da intervenção farmacêutica na adesão à prescrição médica por idosos em tratamento para dislipidemia
Autor(es): Werlang, Maria Cristina
Orientador: Moriguchi, Yukio
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Biomédica
Data de Publicação: 2006
Palavras-chave: GERONTOLOGIA
GERIATRIA
IDOSOS
MEDICAMENTOS
FARMACOLOGIA
HIPERLIPIDEMIA
Resumo: Introduction: Dyslipidemia is a major cardiovascular risk factor that needs a lifelong intervention that includes drug therapy in many cases that do not respond adequately only to lifestyle modification. The prevalence of dyslipidemia increases with aging. The constant growing of the elderly population makes their adherence to the therapeutic intervention a great challenge, causing an important public health problem. A possible solution for the problem of lack of adherence may be the implementation of an instrument of pharmaceutical intervention. This study aimed at investigating if the pharmaceutical intervention contributes to adherence to medical prescription by the elderly under treatment for dyslipidemia, and if they use memory strategies to remember the administration of their medications. Method: It was performed a case-control study with patients of the outpatient clinic of the Institute of Geriatrics and Gerontology of the Pontifical Catholic University of Rio Grande do Sul, in Porto Alegre (Brazil), that were under pharmacological treatment for dyslipidemia for at least 3 months. The patients were investigated in three stages, from February 2004 to October 2005. The case group was constituted by 33 volunteers that received orientation about the pharmacological therapy and major lifestyle related risk factors for dyslipidemia, 3 months after medical appointment. The control group, constituted by 37 volunteers did not receive orientation at the same stage of the study. Adherence to medical prescription was examined through selfreport, whose results were compared to lipid profile and arterial pressure levels of the participants. Results: Total of 70 participants was evaluated with the mean age of 72. 72±6. 05 years, where 77. 1% (n=54) were women and the average number of medications ingested per person was 6. 14±2. 04.All of them used some memory strategies to remember the ingestion of their medication, being the internal-retrospective ones the most used. The frequency of the elderly adherence to prescription was 40. 5% and 36. 4 % (p=0. 720) in the control and intervention groups, respectively. The frequency of adherence patients increase 24,3% (p=0. 02) between first and the third stage of the study in the group that received the orientation pharmaceutical. The adherence average score in the three stages displayed a significant improvement in the intervention group (p=0. 02). Among the patients who had lipid basal profile out of the normality limits, there was a reduction in average levels of total cholesterol from 220. 0±16. 8 mg/dL for 194. 1±27. 0 mg/dL (p=0. 02) and of triglicerídeos of 229. 35±76. 7 mg/dL for 182. 35± 56. 4 mg/dL (p=0. 03) in the group intervention. In this group, still verified a trend for reduction in the LDL-cholesterol levels of 156. 8±32. 1 mg/dL for 110. 1±50. 2 mg/dL (p=0. 05) in the evaluated period. In the control group, there was not observed significantly differences. There was a reduction in the average values of diastolic arterial pressure of 83. 7±12. 4 for 77. 1±10. 3; p=0. 04 in the intervention group. Conclusions: Pharmaceutical intervention seems to contribute to adherence to lipid lowering medications reducing the impact of a major risk factors to cardiovascular diseases, contributing to the promotion of the quality of life for the elderly.
Introdução: A dislipidemia é um importante fator de risco cardiovascular que necessita de intervenção durante toda a vida, incluindo a terapia farmacológica em muitos casos em que somente as modificações no estilo de vida não respondem adequadamente. A prevalência de dislipidemia aumenta com o envelhecimento, e o constante crescimento desse contingente populacional faz de sua adesão à terapêutica um grande desafio, causando um importante problema de saúde pública. Uma possível solução ao problema da falta de adesão pode ser a implementação de um instrumento de intervenção farmacêutica. Este estudo objetivou investigar se a intervenção farmacêutica contribui com a adesão à prescrição médica por pacientes idosos em tratamento para dislipidemia e se esses utilizam estratégias de memória para lembrarem da administração dos seus medicamentos. Método: Foi realizado um ensaio clínico aberto com pacientes do ambulatório de Geriatria do Instituto de Geriatria da PUCRS, em Porto Alegre (Brasil), que se encontravam em tratamento farmacológico para dislipidemia por, no mínimo, 3 meses. Os pacientes foram investigados entre fevereiro de 2004 e outubro de 2005 em três etapas. O grupo intervenção foi constituído por 33 voluntários que receberam orientações, três meses após a consulta médica, acerca da terapia farmacológica e principais hábitos de vida que representam fatores de risco para dislipidemias, enquanto o grupo controle foi composto por 37 voluntários que não receberam essa orientação na mesma etapa do estudo. A adesão à prescrição médica foi examinada por meio de auto-relato, cujos resultados foram comparados com o perfil lipídico e com os níveis de pressão arterial dos participantes. Resultados: Foram estudados 70 pacientes com média de idade de 72,72±6,05 anos, sendo que 77,1% (n=54) eram mulheres e o número médio de medicamentos consumidos por pessoa foi de 6,1±2,04.Todos estavam utilizando alguma estratégia de memória para lembrarem do uso dos seus medicamentos, sendo mais empregadas as internasretrospectivas. A freqüência de idosos aderentes à prescrição foi de 40,5% e 36,4% (p=0,720), entre os grupos controle e intervenção, respectivamente. Já entre a primeira e a terceira etapa do estudo verificou-se um aumento de 24,3% (p=0,02) na freqüência de pacientes aderentes do grupo que recebeu a orientação farmacêutica. O escore médio de adesão verificado entre as três etapas do estudo apresentou uma melhora significativa no grupo intervenção (p=0,02). Dentre os pacientes que se encontravam com o perfil lipídico basal fora dos limites da normalidade, entre a primeira e a última etapa de coleta de dados, houve redução nos níveis médios de colesterol total de 220,0±16,8 mg/dL para 194,1±27,0 mg/dL (p=0,02) e de triglicerídeos de 229,35±76,7 mg/dL para 182,35±56,4 mg/dL (p=0,03) no grupo intervenção. Neste mesmo grupo, ainda verificou-se uma tendência para x redução nas taxas de LDL-colesterol de 156,8±32,1 mg/dL para 110,1±50,2 mg/dL (p=0,05) no período avaliado. No grupo controle, não foram observadas diferenças estatisticamente significativas. Os valores médios de pressão arterial diastólica reduziram de 83,7±12,4 para 77,1±10,3; p=0,04 no grupo intervenção. Conclusões: A intervenção farmacêutica parece contribuir com a adesão aos fármacos hipolipemiantes, reduzindo o impacto dos principais fatores de risco associados às doenças cardiovasculares e contribuindo para a promoção da qualidade de vida dos idosos.
URI: http://hdl.handle.net/10923/3726
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000382636-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo477,31 kBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.