Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/4249
Tipo: doctoralThesis
Título: Mito e absurdo no moderno drama francês e em Nelson Rodrigues
Autor(es): Ceccagno, Douglas
Orientador: Mello, Ana Maria Lisboa de
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Letras
Data de Publicação: 2012
Palavras-chave: LITERATURA - HISTÓRIA E CRÍTICA
TEATRO BRASILEIRO - HISTÓRIA E CRÍTICA
TEATRO FRANCÊS - HISTÓRIA E CRÍTICA
MITOLOGIA GREGA
IMAGINÁRIO
DRAMA
Resumo: This thesis aims at investigating, in its first part, how new meanings are produced through the use of Greek myths in the French drama between wars and during World War II, when France was under German occupation. The research focuses on the mythical plays of Jean Giraudoux, Jean Cocteau, Jean Anouilh and Jean-Paul Sartre, in which this dissertation analyzes the tensions between the feeling of absurdity, representative of the time of the two Great Wars and systematized by Albert Camus in The Myth of Sisyphus (1942), and the possibilities of Greek mythology to produce new meanings in a society where myths are reframed, other than those conveyed by the ancient literature, especially the Attic tragedy. Another aim is to propose a mythical interpretation, under the same perspective, to the four plays of the Brazilian writer Nelson Rodrigues written between 1945 and 1949. The comparison reveals differences of meaning in the reframed myths. Although they are written in the same period of time, the plays reflect societies with different historical backgrounds. The first chapter of the thesis discusses relevant concepts for analysis, as myth, tragic and absurd, as well as notions derived from the theory of imaginary. The second chapter, reserved to the study of French plays, examines historical and cultural transformations occurred in France in the 1930s and 1940s, and presents the analysis of the plays written by Giraudoux, Cocteau, Anouilh, and Sartre in the same period, with subjects taken from Greek mythology. The third chapter is devoted to Brazilian history and culture in the same decades, with special emphasis on the Brazilian theater of the period, and the role played by Nelson Rodrigues in this cultural context; and, in individual sections, the four mythical plays of this author are analyzed under the perspective of the reframing of Greek myths. Finally, the conclusion provides a comparison between the plays analyzed and the senses conveyed by the French and the Brazilian mythical drama at the same historical moment. This research is based on the theory of imaginary. Its main references are Gilbert Durand and Gaston Bachelard’s writings, with the support, in a transdisciplinary perspective, of the researches on mythology done by Mircea Eliade and Joseph Campbell, and sources from historiography, philosophy and theatrical studies.
O presente trabalho tem o objetivo de investigar, num primeiro momento, como se produzem novos sentidos através da utilização dos mitos gregos no drama francês da época entreguerras e do período em que a França esteve sob a Ocupação alemã devido aos acontecimentos da Segunda Guerra Mundial. O objeto de pesquisa são as peças míticas de Jean Giraudoux, Jean Cocteau, Jean Anouilh e Jean-Paul Sartre, nas quais este trabalho analisa as tensões entre o sentimento do absurdo, representativo da época das duas Grandes Guerras e sistematizado por Albert Camus em O mito de Sísifo, de 1942, e as possibilidades de a mitologia grega conferir novos sentidos para a sociedade em que os mitos são ressignificados, diferentes daqueles veiculados pela literatura antiga, especialmente pela tragédia ática. Em seguida, procede-se uma interpretação das quatro peças míticas do escritor brasileiro Nelson Rodrigues, escritas entre 1945 e 1949, a partir das mesmas perspectivas, levando à constatação das diferenças de sentido promovidas pelas ressignificações dos mitos em uma mesma época, em sociedades com experiências históricas diferentes. A tese é iniciada pela discussão de conceitos relevantes para a análise, como mito, trágico e absurdo, além de noções oriundas da teoria do imaginário. O capítulo seguinte, reservado ao estudo das peças francesas, é constituído por algumas páginas introdutórias dedicadas às transformações históricas e culturais da França entre as décadas de 1930 e 1940 e pela análise das peças com temas da mitologia grega escritas por Giraudoux, Cocteau, Anouilh e Sartre no mesmo período. Outro capítulo é destinado à história e à cultura brasileira nos mesmos decênios, com especial ênfase ao teatro brasileiro do período e ao papel desempenhado por Nelson Rodrigues nesse contexto cultural, além de, em seções individuais, analisarem-se as quatro peças míticas do autor sob o viés da ressignificação dos mitos gregos. Ao final, a conclusão estabelece um comparativo entre as peças analisadas e os sentidos veiculados pelo drama mítico francês e pelo brasileiro da mesma época. Esta pesquisa é embasada na teoria do imaginário, tendo como principais referências os escritos de Gilbert Durand e Gaston Bachelard e, como apoio, numa perspectiva transdisciplinar, as pesquisas sobre mitologia empreendidas por Mircea Eliade e Joseph Campbell, além de fontes oriundas da historiografia, da filosofia e dos estudos teatrais.
URI: http://hdl.handle.net/10923/4249
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000437573-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo1,62 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.