Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/451
Tipo: masterThesis
Título: Alterações dentárias e esqueléticas decorrentes do tratamento da classe II, divisão 1
Autor(es): Souza, Maíra Massuia de
Orientador: Lima, Eduardo Martinelli Santayana de
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Odontologia
Data de Publicação: 2008
Palavras-chave: ODONTOLOGIA
OCLUSÃO DENTÁRIA
ORTODONTIA
MALOCLUSÃO
APARELHOS ORTODÔNTICOS
Resumo: O objetivo desse estudo foi avaliar os efeitos decorrentes do tratamento da Classe II, divisão 1 sobre a maxila; a posição dos primeiros molares e dos incisivos centrais permanentes superiores; e a relação maxilo-mandibular. O grupo experimental foi composto por 38 pacientes brasileiros brancos (14 meninos e 24 meninas) com idade média de 11 anos e 2 meses, no início, e 14 anos e 5 meses, ao final do tratamento, realizado com arco extrabucal tração cervical associado ao aparelho fixo, em ambas as arcadas. O grupo controle foi composto por 39 indivíduos canadenses (14 meninas e 25 meninos), participantes do Burlington Growth Study, Universidade de Toronto, Canadá, tratados somente por supervisão e manutenção de espaços. Cada paciente do grupo experimental apresentava uma telerradiografia inicial (T1) e uma final (T2). Na amostra controle, telerradiografias seriadas obtidas aos 9, 12, 14 e 16 anos forneceram os dados para a comparação com a amostra experimental. Na análise estatística, o teste t de Student proporcionou as comparações entre os valores iniciais e finais dos grupos experimental e controle, bem como a comparação entre as variações ocorridas em cada grupo. Os resultados indicaram que o tratamento realizado gerou restrição do deslocamento anterior e giro horário da maxila, em ambos os gêneros, provocou extrusão dos primeiros molares e dos incisivos centrais permanentes superiores, nos pacientes do gênero masculino, impediu a rotação anti-horária natural da mandíbula, principalmente no gênero masculino e promoveu a melhora da relação maxilo-mandibular.
The aim of this study was to evaluate the effects of Class II division 1 treatment during facial growth on the maxilla, permanent maxillary first molars and central incisors, as well as the maxillomandibular relationship. The experimental sample comprised 38 Brazilian white patients (14 males and 24 females) with mean age of 11 years 2 months at treatment onset and 14 years and 5 months at the end of the treatment. The treatment consisted of cervical headgear associated to full fixed appliances. The control group included 39 Canadian individuals (25 males and 14 females) from the Burlington Growth Study, University of Toronto, Canada, treated only by space supervision or space maintenance. Each patient in the experimental group had a lateral cephalogram obtained at treatment onset (T1) and completion (T2). In control group, lateral cephalograms were available at the ages of 9, 12, 14, 16 years, providing data for comparison with the experimental group. In addition, it was made comparisons between initial and final values of experimental and control subjects, as well as comparison of variations in each group, by the Student’s t test. The results indicated restriction of forward displacement and clockwise rotation of the maxilla in both genders, and extrusion of permanent maxillary first molars and central incisors in males. Treatment also prevented the natural counterclockwise rotation of the mandible, especially in males and improved the maxillomandibular relationship.
URI: http://hdl.handle.net/10923/451
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000399334-0.pdfTexto Completo1,66 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.