Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://hdl.handle.net/10923/4552
Tipo: masterThesis
Título: Efeitos de um programa de reabilitação acelerado após o tratamento cirúrgico da ruptura aguda do tendão de Aquiles
Autor(es): Ott, Rafael Duvelius
Orientador: Mottin, Cláudio Corá
Editor: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Medicina e Ciências da Saúde
Fecha de Publicación: 2010
Palabras clave: MEDICINA
SISTEMA MUSCULOSQUELÉTICO
TENDÃO DO CALCÂNEO
REABILITAÇÃO (MEDICINA)
PROTOCOLOS CLÍNICOS
Resumen: Objetivo: Avaliar os efeitos de um protocolo acelerado de reabilitação (ACE) versus um protocolo tradicional de imobilização do tornozelo (TRA) sobre a função muscular e articular, após o tratamento cirúrgico da ruptura aguda do tendão de Aquiles. Método: 37 pacientes com diagnóstico de ruptura aguda do tendão de Aquiles foram submetidos ao tratamento cirúrgico aberto com reparo término-terminal pela técnica de Krackow. Após a cirurgia, foram divididos em dois grupos: no grupo ACE foi utilizada órtese removível e programa de exercícios a partir do 15o dia; no grupo TRA foi utilizado método tradicional de imobilização gessada por seis semanas, seguido de programa de exercícios domiciliares. Variáveis quantitativas referentes à perimetria da perna, amplitude de movimento (ADM) do tornozelo, área de seção transversa do tendão, torque máximo ativo isométrico e isocinético foram obtidas em intervalos regulares para comparar o lado operado ao saudável e detectar possíveis diferenças entre os grupos durante seis meses de pósoperatório. Resultados clínicos foram avaliados utilizando a escala para tornozelo e retropé da American Orthopaedic Foot and Ankle Society (AOFAS). Resultados: Dos 37 pacientes, quatro foram excluídos ao longo do estudo. Nenhuma reruptura, trombose venosa profunda ou infecção profunda foi observada. Não foram observadas diferenças significativas entre os grupos nas variáveis quantitativas estudadas, com exceção da ADM total do tornozelo aos 45 (p=0,014) e 90 dias (p=0,021) de pósoperatório, favorecendo o grupo ACE. Neste grupo, os escores AOFAS foram superiores (90,2 ± 4,3) ao grupo TRA (81,2 ± 12,6) na aferição realizada aos 90 dias, permanecendo superiores aos 180 dias (grupo ACE = 92,6 ± 4,9; grupo TRA = 82,2 ± 12,8).Conclusões: A adoção de um protocolo de exercícios iniciado a partir do 15o dia póstratamento cirúrgico da ruptura aguda do tendão de Aquiles proporciona uma recuperação da mobilidade articular mais rápida e escores AOFAS superiores quando comparado ao método tradicional de imobilização gessada.
Purpose: This study aimed at evaluating the effects of an accelerated rehabilitation (ACE) protocol versus a traditional rehabilitation protocol (TRA) on muscular and joint function after surgical treatment of acute Achilles tendon rupture Methods: 37 patients diagnosed with acute rupture of the Achilles tendon received open surgical treatment with end-to-end Krackow technique. After the surgery, patients were divided in two groups: on the ACE group a removable orthesis was used and a rehabilitation program was initiated 15 days after surgery; on the TRA group a traditional cast immobilization method was used during 6 weeks followed by a home based rehabilitation program. Quantitative measurements related to calf circumference, tendon cross-sectional area, ankle joint range of motion (ROM), maximal isokinetic and isometric torques were obtained at regular time intervals in order to compare the operated with the healthy side and detect possible differences between the groups during 6 months of follow-up. Clinical results were evaluated using the American Orthopaedic Foot and Ankle Society (AOFAS) scale. Results: Four patients were excluded from the study. No re-ruptures, deep venous thrombosis or deep infections were observed. No significant differences were observed on the quantitative measurements between the two groups, except for the total ankle ROM at 45 days (p=0. 014) and 90 days (p=0. 021) post-surgery, favoring the ACE group. In this group, AOFAS scores were higher (90,2 ± 4,3) compared to the TRA group (81,2 ± 12,6) on the 90th day and remained elevated at 180 days (ACE group = 92,6 ± 4,9; TRA group = 82,2 ± 12,8).Conclusions: Adoption of a rehabilitation protocol 15 days after surgical treatment of acute Achilles tendon rupture leads to faster recovery of the ROM and higher AOFAS scores when compared to the traditional method of cast immobilization.
URI: http://hdl.handle.net/10923/4552
Aparece en las colecciones:Dissertação e Tese

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción TamañoFormato 
000423172-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo3,32 MBAdobe PDFAbrir
Ver


Todos los ítems en el Repositorio de la PUCRS están protegidos por derechos de autor, con todos los derechos reservados, y están bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional. Sepa más.