Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10923/4556
Type: masterThesis
Title: Prevalência de sintomas psiquiátricos em pacientes com lúpus eritematoso sistêmico de um centro de referência
Author(s): Beltrão, Sônia Maria da Rosa
Advisor: Staub, Henrique Luiz
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Graduate Program: Programa de Pós-Graduação em Medicina e Ciências da Saúde
Issue Date: 2010
Keywords: MEDICINA
LUPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO
TRANSTORNOS MENTAIS
TECIDO CONJUNTIVO - DOENÇAS
Abstract: A frequência de manifestações neuropsiquiátricas no lúpus eritematoso sistêmico (LES) é variável na literatura. Este estudo transversal avalia originalmente a prevalência de sintomas psiquiátricos em pacientes com LES através do Questionário de Morbidade Psiquiátrica para Adultos (QMPA). O diagnóstico de LES foi estabelecido de acordo com os critérios do Colégio Americano de Reumatologia de 1997. Oito ou mais respostas afirmativas no QMPA identificaram indivíduos com morbidade psiquiátrica. A prevalência de alterações do QMPA no LES foi comparada com a de controles da comunidade. A ocorrência de anormalidades psiquiátricas no LES foi correlacionada com atividade da doença (medida pela SLEDAI), histórico de psicose e/ou convulsões, idade de início da doença, tempo de evolução da doença, nível de escolaridade e renda familiar destinada ao paciente. Setenta e dois pacientes com LES foram estudados, sendo 69 (93%) do sexo feminino. A média de idade foi de 46 anos. A amostra de pacientes da comunidade foi de 2. 384 indivíduos (55% do sexo feminino, média de idade de 42 anos). A prevalência de alterações de QMPA foi de 89% em pacientes com LES e de 13% em indivíduos da comunidade (P < 0, 001, não ajustado).Entre os 64 pacientes lúpicos com QMPA alterado, 93,7% apresentavam transtornos mentais comuns, principalmente ansiedade e somatização. Não houve correlação de morbidade psiquiátrica com doença ativa (P = 0,46; rs = 0,09) ou com histórico de psicose e/ou convulsões (P = 1,0). Alterações psiquiátricas também não se correlacionaram com idade de início da doença (rs= - 0,16) ou duração da doença (rs= - 0,11). Houve associação de morbidade psiquiátrica com baixo nível de escolaridade (P = 0,02), mas não com renda familiar destinada ao paciente. (P = 0,24). Em conclusão, a prevalência de morbidade psiquiátrica medida pelo QMPA foi significativamente mais alta em pacientes com LES do que em controles da comunidade. Na população lúpica, as alterações do QMPA não se correlacionaram com doença ativa, histórico de psicose e/ou convulsões, idade de início da doença, duração da doença ou renda familiar destinada ao paciente, mas se associaram com baixa escolaridade.
The frequency of neuropsychiatric manifestations in systemic lupus erythematosus (SLE) is variable in the literature. This cross-sectional study originally evaluates the prevalence of psychiatric symptoms in SLE patients by using the Adult Psychiatric Morbidity Questionnaire (QMPA). SLE diagnosis was established according to the 1997 American College of Rheumatology criteria. Eight or more affirmative answers in the QMPA identified individuals with psychiatric morbidity. The prevalence of QMPA alterations in SLE was compared with that of community controls. The occurrence of psychiatric abnormalities in SLE was plotted to disease activity (measured by the SLEDAI), history of psychosis and/or seizures, age of begin of disease, duration of disease, education level, and familial income available to the patient. Seventy-two SLE patients were studied, 69 (93%) females, The mean age was 46 years, The community controls sample included 2,384 individuals (55% females, mean age 42 years,) The prevalence of QMPA changes was of 89% in SLE patients and 13% in community controls (P < 0. 001, non-adjusted). Of the 64 SLE patients with altered QMPA, 93,7% had common mental disturbs, mostly anxiety and somatization. There was no co-relation of psychiatric morbidity with active disease (P = 0. 46; rs = 0. 09), or history of psychosis and/or seizures (P = 1. 0). Psychiatric abnormalities also did not co-relate to age of begin of disease (rs= - 0. 16) or duration of disease (rs= - 0. 11).There was an association of psychiatric morbidity with low education level (P = 0. 02), but not with familial income available to the patient. (P = 0. 24). In conclusion, the prevalence of psychiatric morbidity measured by the QMPA was significantly higher in SLE patients than community controls. In the SLE population, changes of QMPA did not co-relate to active disease, history of psychosis and/or seizures, age of begin of disease, duration of disease or familial income available to the patient, but they did associate with low education level.
URI: http://hdl.handle.net/10923/4556
Appears in Collections:Dissertação e Tese

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
000423254-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo1,15 MBAdobe PDFOpen
View


All Items in PUCRS Repository are protected by copyright, with all rights reserved, and are licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License. Read more.