Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://hdl.handle.net/10923/4705
Registro completo de metadatos
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorPiva, Jefferson Pedroen_US
dc.contributor.authorLago, Patrícia Miranda doen_US
dc.date.accessioned2013-08-07T19:06:59Z-
dc.date.available2013-08-07T19:06:59Z-
dc.date.issued2007pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10923/4705-
dc.description.abstracten_US
dc.description.abstractResumo de Limitação no Suporte de vida Objetivo: Avaliar a incidência de limitação de suporte de vida (LSV) e as condutas médicas nas últimas 48 horas de vida de crianças internados em 7 UTIP de 3 regiões brasileiras. Desenho: Estudo transversal, multicêntrico e retrospectivo por revisão de prontuário. Local (setting): 7 UTIP de hospitais universitários e terciários localizados em 3 regiões Brasileiras, em Porto Alegre (2), São Paulo (2) e Salvador(3) Pacientes: todos pacientes que faleceram nas 7 UTIP no período entre Janeiro de 2003 e dezembro de 2004. Métodos e principais resultados: Dois residentes de cada serviço preencheram um protocolo padrão com dados demográficos, classificando o óbito (reanimação completa, ordem de não reanimar ou retirada de tratamento) e as condutas tomadas nas últimas 48 horas de vida. Os dados foram comparados utilizando teste t de Student, Anova, Qui quadrado e RR. Dos 561 óbitos, foram excluídos 36 com menos de 24 horas de internação, 61 com morte encefálica e 36 prontuários não localizados. Em 56,5% dos óbitos foram oferecidas manobras de ressuscitação cardiopulmonar, com diferença entre região sudeste e nordeste (p<0,001). A maior faixa etária (p=0,025) e maior tempo de internação na UTIP (p=0,001) foram fatores associados a não reanimação. Em apenas 52,7% dos pacientes com LSV houve descrição de plano no prontuário. O óbito sem suporte respiratório ocorreu em apenas 14 pacientes. Em 66,1% pacientes com ordem de não reanimar as drogas inotrópicas foram mantidas ou aumentadas. Conclusão: A incidência de LSV tem aumentado nas UTIP brasileiras, havendo diferenças entre regiões. A ordem de não reanimação ainda é a pratica mais em nosso meio, havendo tímidas iniciativas de retirada de suporte. Resumo de Morte encefálica Objetivo: Avaliar a incidência de Morte Encefálica (ME) bem como as condutas e protocolos adotados após esta confirmação diagnóstica em 7 UTIP localizadas em 3 regiões Brasileiras. Método: Estudo transversal e multicêntrico baseado na revisão e análise retrospectiva de prontuários de todos os óbitos ocorridos entre janeiro de 2003 e dezembro de 2004 em 7 UTIP localizadas em Porto Alegre (2), São Paulo (2) e Salvador (3). Dois residentes de cada serviço previamente treinados preencheram protocolo padronizado avaliando dados demográficos, a causa do óbito, critérios para diagnostico de ME e a conduta médica adotada. Resultados: Identificamos 525 óbitos, sendo 61 (11,6%) com diagnóstico de ME. A incidência de ME diferiu entre as 7 UTIP (24,2% a 4,5%; p=0,015), porém, sem diferença nas 3 regiões (12% x 15% x 7%; p=0,052).A causa mais freqüente foi Hemorragia Intracraniana (31,1%). Em 80% dos casos o diagnostico clinico de ME foi confirmado por exame complementar (100% na região sul, 68% na sudeste e 72% na nordeste, p=0,02). A retirada de suporte vital após diagnostico de ME diferiu nas 3 regiões, sendo mais rápida (p=0,04) no sul (1,8 ±1,9 hs) que no Sudeste (28,6 ±43,2hs) e Nordeste (15,5 ±17,1hs). Apenas 6 (9,8%) crianças com ME foram doadoras de órgãos. Conclusão: Apesar da lei que define critérios para Morte Encefálica existir no Brasil desde 1997, verificamos que ela não é obedecida uniformemente. Consequentemente, suporte vital desnecessário é ofertado a indivíduos já mortos, existindo ainda um modesto envolvimento das UTIP com doações de órgãos.pt_BR
dc.language.isoPortuguêspt_BR
dc.publisherPontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.subjectUNIDADES DE TERAPIA INTENSIVA PEDIÁTRICApt_BR
dc.subjectMORTE ENCEFÁLICApt_BR
dc.subjectÉTICA MÉDICApt_BR
dc.subjectDOAÇÃO DE ÓRGÃOSpt_BR
dc.titleIntervenções médicas nas últimas 48 horas de vida de pacientes internados em UTIP em três regiões do Brasilpt_BR
dc.typedoctoralThesispt_BR
dc.degree.grantorPontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.degree.departmentFaculdade de Medicinapt_BR
dc.degree.programPrograma de Pós-Graduação em Pediatria e Saúde da Criançapt_BR
dc.degree.levelDoutoradopt_BR
dc.degree.date2007pt_BR
dc.publisher.placePorto Alegrept_BR
Aparece en las colecciones:Dissertação e Tese

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción TamañoFormato 
000389153-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo5,04 MBAdobe PDFAbrir
Ver


Todos los ítems en el Repositorio de la PUCRS están protegidos por derechos de autor, con todos los derechos reservados, y están bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional. Sepa más.