Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/4891
Tipo: masterThesis
Título: Autonomia na adolescência e sua relação com os estilos parentais
Autor(es): Reichert, Claudete Bonatto
Orientador: Wagner, Adriana
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Psicologia
Data de Publicação: 2006
Palavras-chave: PSICOLOGIA DO ADOLESCENTE
PAIS E FILHOS
AUTONOMIA (PSICOLOGIA)
ADOLESCENTES - EDUCAÇÃO
Resumo: Essa dissertação estuda, numa abordagem psicossocial, o construto da autonomia na adolescência e os estilos disciplinares adotados pelos pais nesta etapa do ciclo evolutivo. Inicialmente, este trabalho apresenta o PROJETO DE PESQUISA, que foi elaborado no primeiro ano do curso de mestrado e teve como objetivo estudar a autonomia atitudinal, funcional e emocional na adolescência e suas diferentes associações aos estilos educativos autorizante, autoritário, negligente e indulgente adotados pelos pais. A seguir, é apresentado o PRIMEIRO ARTIGO, intitulado CONSIDERAÇÕES SOBRE A AUTONOMIA NA CONTEMPORANEIDADE, que faz um resgate teórico a respeito do constructo autonomia. Apresenta definições, discute e reflete os principais aspectos envolvidos no seu desenvolvimento. Indica que esta é uma temática pouco estudada em nosso meio, que merece maior atenção e investigações para uma melhor compreensão do processo desenvolvimental adolescente. O SEGUNDO ARTIGO, o empírico, intitulado AUTONOMIA NA ADOLESCÊNCIA E SUA RELAÇÃO COM OS ESTILOS PARENTAIS, apresenta os resultados advindos da investigação, a partir da percepção do jovem a respeito dos estilos educativos adotados pelos seus pais. A pesquisa seguiu um delineamento descritivo transversal, visando conhecer as variáveis independentes associadas aos estilos parentais. Participaram deste estudo 168 estudantes de ambos os sexos, de nível socioeconômico alto, com idade entre 14 e 15 anos, residentes num município da Grande Porto Alegre. Para tal, foi elaborado um instrumento composto por três escalas, o qual foi aplicado em escola de ensino fundamental e médio.A partir das análises descritivas foi observado que o estilo negligente é preponderante sobre os demais, seguido pelo estilo autorizante, indulgente e por último autoritário. Os resultados da análise da variância (Anova) demonstram que não existe associação entre estilos educativos adotados pelos pais e a autonomia dos adolescentes, se considerarmos ambos, pai e mãe conjuntamente. Porém, se considerarmos somente a mãe, podemos identificar associação entre autonomia funcional e estilo educativo materno. Neste caso, quando a mãe se mostra autoritária, controladora, os jovens demonstram dificuldade em encontrar formas para realizar suas metas. Estes resultados apontam a diversificada demanda que a família contemporânea tem na educação dos filhos adolescentes em termos do desenvolvimento da sua autonomia.
URI: http://hdl.handle.net/10923/4891
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000385373-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo410,57 kBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.