Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10923/4949
Type: masterThesis
Title: A qualidade de vida no idoso e sua relação com o lócus de controle
Author(s): Timm, Luciana de Almeida
Advisor: Argimon, Irani Iracema de Lima
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Graduate Program: Programa de Pós-Graduação em Psicologia
Issue Date: 2006
Keywords: PSICOLOGIA CLÍNICA
IDOSOS (PSICOLOGIA)
QUALIDADE DE VIDA
LOCUS DE CONTROLE - PSICOLOGIA
Abstract: A qualidade de vida na terceira idade é algo cada vez mais pesquisado pelo avanço da longevidade. No entanto, a questão é complexa, e existem diversas variáveis para serem exploradas no contexto brasileiro, onde as pesquisas iniciaram fortemente há duas décadas. Lócus de controle é um dos fatores do bem-estar subjetivo, o qual está inserido no conceito de qualidade de vida. Lemos e Medeiros (2002) defendem que a autonomia e a independência, entre os idosos, são ótimos indicadores de saúde. A incapacidade de alterar o meio físico e social deixa nas pessoas uma sensação de fracasso. Se atribuírem seu fracasso a deficiências pessoais, generalizadas e duradouras, serão acometidas de sensação de ineficácia. Isso depende de como os idosos enxergam sua vida: se vêem apenas perdas e declínio, ou se enxergam as reservas que ainda têm e o potencial de desenvolver novas habilidades, compensando as perdas. Assim, quanto maiores o senso de controle pessoal e a capacidade de decisão e comando, mais intensos são os sentimentos de satisfação; quanto menores, maiores as possibilidades de depressão, preocupação e desamparo. Com o objetivo de estudar esta temática foi elaborada esta dissertação, que está composta por dois artigos, sendo um de revisão teórica e um empírico. No artigo teórico foi realizada uma revisão de literatura com o objetivo de investigar os estudos das publicações indexadas nos últimos anos que versam sobre o tema qualidade de vida no idoso e sua possível relação com o lócus de controle. Os resultados demonstraram que vêm sendo pesquisadas diferentes variáveis que podem influenciar na qualidade de vida do idoso, inclusive o lócus de controle.No entanto, as pesquisas ainda priorizam abordagens onde já está instalado algum grau de patologia, esquecendo as intervenções preventivas que poderiam viabilizar uma longevidade com qualidade. O segundo artigo, empírico, responde ao projeto de pesquisa que deu origem a esta dissertação e objetivou verificar as relações existentes entre os tipos de lócus de controle e a qualidade de vida no idoso. Participaram 113 idosos entre 60 e 98 anos de idade. O delineamento foi de um estudo quantitativo, transversal, correlacional. Os instrumentos utilizados foram: Ficha de Dados Sociodemográficos, Escala de Lócus de Controle da Saúde (MHLC) e Instrumento Abreviado de Avaliação da Qualidade de Vida (WHOQOL-Bref). A análise quantitativa foi efetivada através do Statistical Package for the Social Sciences – versão 11. 5 para Windows, e estatísticas descritivas dos dados, incluindo média e desvio padrão, freqüências e percentuais, foram utilizadas para elaboração de um perfil sociodemográfico dos participantes. As análises estatísticas empregadas foram: coeficiente de correlação de Pearson, teste t de Student, Análise de Variância (ANOVA) e regressão linear múltipla. Os resultados indicaram que existe associação entre os tipos de lócus de controle e qualidade de vida no idoso. De um modo geral, os idosos que apresentaram como predominante o lócus de controle interno e, ao mesmo tempo, os que possuem uma vida mais ativa, evidenciaram uma vida com maior qualidade.
URI: http://hdl.handle.net/10923/4949
Appears in Collections:Dissertação e Tese

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
000389646-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo373,11 kBAdobe PDFOpen
View


All Items in PUCRS Repository are protected by copyright, with all rights reserved, and are licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License. Read more.