Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://hdl.handle.net/10923/5127
Tipo: doctoralThesis
Título: Entre rebeldia e conformismo: a luta do Movimento Nacional de Luta pela Moradia (MNLM) pelo acesso à moradia no Rio Grande do Sul
Autor(es): Oliveira, Fabiana Aguiar de
Orientador: Couto, Berenice Rojas
Editor: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Serviço Social
Fecha de Publicación: 2011
Palabras clave: SERVIÇO SOCIAL
MOVIMENTOS SOCIAIS
DESIGUALDADE SOCIAL
HABITAÇÃO - RIO GRANDE DO SUL - ASPECTOS SOCIAIS
CAPITALISMO
Resumen: This study has as its subject the urban social movements linked to the working class and as object the National Movement of Struggle for Housing (MNLM) in Rio Grande do Sul, since 1990. Has the objective of analyzing the ways the Brazilian urban social movements, mainly the MNLM, manifest (or not) while poles of resistance and rebellion in the capitalist society and its contribution for facing social inequalities, in order to support processes that leverage the strength of themselves as members of the historic bloc of counter-hegemony. The study is the result of a mixed survey type Transformative Strategy Concomitantly, and oriented transversely, by the Dialectic-Critical Method. As techniques and collection instruments, bibliographic and documentary researches were used, through the report about the housing deficit in Brazil prepared by João Pinheiro Foundation and sites such as Fundação de Economia e Estatística do Rio Grande do Sul and the Ministry of Cities, among others, and field research, in which interviews with leaders are conducted, camped, settled of MNLM and spokesmen of organizations that support the movement. The study reveals that socio-territorial inequalities linked to urban exploitation, among them, the denial of adequate housing and the access to the city, are the result of the social structure of capitalist society. However, the city is not just space of these manifestations, but also the locus of resistance and rebellion. The urban as a space of leisure allows unravel the complex and dynamic relationship between town and country, in which both are subordinated to the needs of capital appreciation, however, however the hegemony is of the city. On this stage of tension and contradictions, MNLM appears as a collective subject that represents the interests of the working class, both in reform achieving that improve the living conditions of workers in cities and in the formation of a counter-hegemonic historical bloc composed by diversity of resistance forms in face of growing inequalities which expand with the winds of capitalist accumulation.
O presente estudo tem como tema os movimentos socais urbanos ligados à classe trabalhadora e como objeto o Movimento Nacional de Luta Pela Moradia (MNLM) no Rio Grande do Sul, a partir de 1990. Objetiva analisar de que maneira os movimentos sociais urbanos brasileiros, especificamente o MNLM, efetivam-se (ou não) enquanto polos de resistência e de rebeldia na sociedade capitalista e sua contribuição para o enfrentamento das desigualdades sociais, visando subsidiar processos que potencializem o fortalecimento dos mesmos enquanto integrantes do bloco histórico de contra-hegemonia. O estudo é fruto de uma pesquisa mista, do tipo Estratégia Transformativa Concomitante, e orientado, de forma transversal, pelo Método Dialético-Crítico. Como técnicas e instrumentos de coleta, foram utilizadas pesquisas bibliográfica e documental, através do relatório sobre o déficit habitacional no Brasil elaborado pela Fundação João Pinheiro e de sites como o da FEE e o do Ministério das Cidades, dentre outros, além da pesquisa de campo, na qual se realizaram entrevistas com lideranças, acampados, assentados do MNLM e represente de organizações que apoiam o movimento. O estudo revela que as desigualdades socioterritoriais, ligadas à espoliação urbana, dentre elas, a negação de moradia digna e do acesso à cidade, são fruto da estrutura social da sociedade capitalista. No entanto, a cidade não é apenas espaço dessas manifestações, mas também lócus de resistência e rebeldia. O urbano como espaço de fruição permite desvendar a complexa e dinâmica relação estabelecida entre cidade e campo, na qual ambos são subordinados às necessidades de valorização do capital, entretanto a hegemonia é da cidade. Nesse palco de tensão e contradições, o MNLM entra em cena como sujeito coletivo que representa os interesses da classe trabalhadora, tanto na conquista de reformas que melhorem as condições de vida dos trabalhadores das cidades quanto na formação de um bloco histórico contra-hegemônico composto pela diversidade de formas de resistência frente às crescentes desigualdades que se expandem ao sabor dos ventos da acumulação capitalista.
URI: http://hdl.handle.net/10923/5127
Aparece en las colecciones:Dissertação e Tese

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción TamañoFormato 
000431041-Texto+Completo-0.pdfTexto Parcial309,09 kBAdobe PDFAbrir
Ver


Todos los ítems en el Repositorio de la PUCRS están protegidos por derechos de autor, con todos los derechos reservados, y están bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional. Sepa más.