Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/5400
Tipo: masterThesis
Título: História natural de Sporophila hypoxantha cabanis, 1851 (aves: emberizidae) em campos de altitude no sul do brasil
Autor(es): Franz, Ismael
Orientador: Fontana, Carla Suertegaray
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Zoologia
Data de Publicação: 2012
Palavras-chave: ZOOLOGIA
PÁSSAROS - BRASIL
AVES - HÁBITOS E CONDUTA
BIOLOGIA
Resumo: Estudamos a história natural do caboclinho-de-barriga-vermelha (Sporophila hypoxantha), uma espécie importante nos habitats campestres sul-americanos e pobremente conhecida do ponto de vista da sua biologia e ecologia. Dados foram coletados durante três temporadas reprodutivas (entre novembro e março de 2007/2008, 2008/2009 e 2009/2010) em áreas de campos secos íngremes ao longo do rio Lava- Tudo, localidades de Coxilha Rica (Lages) e Estância do Meio (São Joaquim), sudeste de Santa Catarina (28° 18’ S, 50º 17’ W; 800-1000m de altitude). Monitoramos 69 ninhos, revisando o conteúdo a cada 2-6 dias, e avaliamos aspectos da cronologia, territorialidade, nidificação, atributos dos habitats selecionados, características dos ninhos, ovos e ninhegos, cuidado parental, destino dos ninhos (sucesso reprodutivo) e sobrevivência diária. Machos imigram na primeira semana de novembro e logo iniciam o estabelecimento e defesa de territórios. Com a chegada das fêmeas, alguns dias após, inicia a seleção dos machos e escolha dos sítios de nidificação. O pico de ninhos ativos se deu na segunda quinzena de novembro. Fêmeas constroem os ninhos sozinhas, mas assistidas de perto pelos machos, atividade que leva 3-6 dias. A espécie selecionou sítios planos marcados por um denso estrato médio, ricos em arbustos como Vernonia chamaedrys, Eupatorium polystachyum, Baccharis caprariifolia e touceiras de Andropogon lateralis, evitando habitats com maior adensamento do estrado superior, maior declividade e ocorrência de pequenas árvores como Escallonia megapotamica. Esses ambientes preferenciais ocorrem em áreas de intensidade moderada de pastoreio e pouca queima.Os pequenos ninhos têm formato de tigela, feitos com pendões finos de capins como Eragrostis polytricha, sobre arbustos (principalmente V. chamaedrys e E. polystachyum, 66%), a uma altura média de 41,9 ± 0,8 cm em relação ao solo. A ninhada é de dois (91%) ou três ovos. A incubação, realizada apenas pela fêmea, dura 12 dias. Em 60% do tempo a fêmea permanece incubando e cada visita dura entre 20 e 31 min. Os ninhegos são alimentados pelas fêmeas nos primeiros dias de vida e, a partir do quinto, o macho passa a ajudar. São realizadas 4,6 ± 0,7 e 8,95 ± 1,8 visitas para alimentar ninhegos de 1-4 e 6-9 dias de vida, respectivamente. Com 30 dias os filhotes tornam-se independentes. Os parâmetros básicos da biologia reprodutiva encontrados assemelham-se aos disponíveis na literatura para as populações residentes da Província de Formosa, Argentina, salvo por apresentar temporada mais curta, construção de ninhos mais rápida e menor média de duração de visitas de cuidado aos ninhegos. De 55 ninhos que tiveram o status final confirmado, 40% tiveram sucesso. O sucesso Mayfield foi de 25%. Predação foi a principal causa de perda de ninhadas (55% dos ninhos insucesso), seguida de abandono, infestação por larvas subcutâneas de Philornis seguyi, pisoteio pelo gado e queima.A taxa de sobrevivência diária foi maior no período de incubação (0,945) do que de ninhego (0,927). Esse padrão também foi corroborado pela análise no programa MARK, que encontrou uma forte queda na sobrevivência diária ao longo dos 21 dias (12 de incubação e nove de ninhego) de ciclo de nidificação. Isso pode estar relacionado com a atividade no ninho (maior nas fases finais do ciclo), como prediz a hipótese de Alexander Skutch. Também ocorreu uma queda gradual na taxa de sobrevivência diária ao longo da temporada reprodutiva, que pode ser resultado de menor aptidão (fitness) nos reprodutores tardios, além da maior intensidade de infestação por Philornis, com aumento de temperatura. A produtividade média foi de 0,77 filhotes por casal, que produz apenas uma ninhada por estação (salvo dois casos de casais que perderam a ninhada e tentaram novamente). Por fim, analisamos um possível híbrido entre S. hypoxantha e S. melanogaster registrado por dois anos consecutivos na área de estudos e bem documentado. Esse apresentava vocalização completamente condizente com o padrão de S. hypoxantha e plumagem como em S. melanogaster, embora possa representar um típico caso de aprendizagem interespecífica de canto. Esse padrão nunca havia sido constatado.
We studied the natural history of the Tawny-bellied Seedeater (Sporophila hypoxantha), an important and poorly known species from South American grasslands, regarding its biology and ecology. Data were collected during three breeding seasons (from November to March in 2007/2008, 2008/2009 and 2009/2010) on steep dry fields along the Lava-Tudo River at Coxilha Rica (Lages) and Estância do Meio (São Joaquim) in southeastern Santa Catarina State, Brazil (28° 18’ S, 50º 17’ W; 800-1000 m a. s. l. ). We monitored 69 nests, every 2-6 days, to evaluate aspects of the chronology; territoriality; nesting; habitat selection; features of the nest, eggs and nestlings; parental care; nest fate (reproductive success or failure) and daily nest survival. Males arrive in the first week of November and then initiate the establishment and defense of their territories. With the arrival of females some days later, the selection of mates and nesting sites begins. The number of active nests peaked in the second half of November. Females construct the nest by themselves, with the males watching close by, over a period of 3-6 days. Selected sites are located on flat terrain and are characterized by the presence of a rich middle vegetation stratum such as shrubs of Vernonia chamaedrys, Eupatorium polystachyum, and Baccharis caprariifolia and clumps of Andropogon lateralis. Habitats with a dense high stratum, steep slope and small trees such as Escallonia megapotamica were avoided. The preferred habitats occur in areas of moderate intensity of grazing and little burning.The small nests are in the shape of an open cup, made with thin stems of grasses such as Eragrostis polytricha, on bushes (mainly V. chamaedrys and E. polystachyum, 66%), at a mean height of 41. 9 ± 0. 8 cm from the ground. Clutch size is two (91%) to three eggs. Incubation, performed by the female, lasts for 12 days. During this period, the female incubates for 60% of the time, and each visit takes between 20 and 31 min. Nestlings are fed by the female during the first days of life, and from the fifth day, the male begins to assist with feeding. A mean of 4. 6 ± 0. 7 and 8. 95 ± 1. 8 visits were performed to feed nestlings 1-4 and 6-9 days old, respectively. Juveniles become independent after 30 days. The basic parameters of reproductive biology resemble those described for the resident population of the province of Formosa, Argentina, except for having a shorter season, building nests more rapidly, and shorter mean durations of visits and parental care. Forty percent of 55 nests were successful. Mayfield success was 25%. Predation was the main cause of nest failure (55%), followed by abandonment, subcutaneous infestation by larvae of Philornis seguyi, cattle trampling, and grass burning.The daily survival rate (DSR) was higher in the incubation period (0. 945) than in the nestling period (0. 927). This pattern was corroborated by analysis using the MARK program, which found a sharp decrease in DRS during the 21 days of nesting (12 incubation days plus 9 nestling days). This may be related to the nesting activity (increased during the final stages of the cycle) as predicted by the hypothesis of the Alexander Skutch. There was a gradual decline in DSR during the breeding season, which may be a result of lower fitness of late breeders, as well as the effect of the intensity of Philornis infestation, with the temperature increase. The mean productivity was 0. 77 young per pair, producing a single brood per breeding season (with the exception of two pairs that lost their brood and tried twice). Finally, we analyze the existence of hybrids between S. hypoxantha and S. melanogaster based on one individual monitored for two consecutive years at the study site. This individual had vocalizations completely consistent with the pattern of S. hypoxantha and plumage as in S. melanogaster, although it may represent a typical case of interspecific song learning. This pattern has never been observed previously.
URI: http://hdl.handle.net/10923/5400
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000438916-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo3,36 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.