Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://hdl.handle.net/10923/5421
Tipo: doctoralThesis
Título: Ecologia e comportamento do Bugio-Ruivo (Alouatta guariba clamitans Cabrera, 1940) em fragmentos florestais na depressão central do Rio Grande do Sul, Brasil
Autor(es): Fortes, Vanessa Barbisan
Orientador: Bicca-Marques, Júlio César
Editor: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Zoologia
Fecha de Publicación: 2008
Palabras clave: ZOOLOGIA
MACACOS
ANIMAIS - HÁBITOS E CONDUTA
HABITAT DOS ANIMAIS
Resumen: Os bugios (gênero Alouatta) estão entre as espécies de primatas mais freqüentemente encontradas em hábitats fragmentados. Sua dieta folívora e sua capacidade de usar áreas domiciliares pequenas favorecem a sobrevivência em tais hábitas. Todavia, sabe-se que a fragmentação pode ter efeitos deletérios sobre populações pequenas e isoladas, comprometendo, dessa forma, sua conservação. Esse trabalho teve como objetivos analisar os efeitos da fragmentação do hábitat sobre aspectos da ecologia e do comportamento do bugio-ruivo (Alouatta guariba clamitans). Foi realizado no Campo de Instrução de Santa Maria (CISM), no município de Santa Maria (29o43’-29o44’S; 53o42’-53o44’W), RS, Brasil. No período de março a dezembro de 2004, realizou-se um levantamento populacional em 20 fragmentos florestais. Foram identificados 378 indivíduos (63 grupos bissexuais, dois grupos unissexuais e oito indivíduos solitários) em 18 fragmentos. O tamanho médio de grupo foi semelhante ao observado para a espécie em grandes áreas contínuas: 5,8 indivíduos. Os grupos continham, em média, 1,4 machos adultos e subadultos, 2,5 fêmeas adultas e 1,9 imaturos (IFR= 0,7). Adicionalmente, analisou-se a influência das características da paisagem (área e distâncias de isolamento dos fragmentos) e da vegetação (riqueza e diversidade florísticas, altura, densidade e DAP médios das espécies arbóreas, densidade de árvores mortas, IVI, densidade e dominância totais das espécies alimentares, e densidade de Ficus spp. ) sobre as variáveis demográficas (abundância, densidade e tamanho de grupo) dos bugios. A abundância de bugios foi positivamente relacionada à área do fragmento (r=0,78; p<0,001), à distância média de isolamento (r=0,56; p<0,05) e à distância para o fragmento mais próximo (r=0,70; p<0,01).A densidade populacional foi inversamente relacionada à área (r=-0,52; p<0,05) e diretamente relacionada à área basal total das espécies alimentares (r=0,52; p<0,05). O tamanho de grupo não mostrou relação com quaisquer das variáveis analisadas. No período de janeiro a dezembro de 2005, estudou-se o padrão de atividades, o uso do espaço e a dieta de três grupos de bugios (P: 7 indivíduos; M: 6 indivíduos; G: 5 indivíduos), habitantes de fragmentos com 1,8, 20 e 977 ha, respectivamente. O método utilizado foi a amostragem de varredura instantânea, e o tempo total de acompanhamento foi de 54 dias (577 horas) para o grupo G, 58 dias (623 horas) para o grupo M e 59 dias (654 horas) para o grupo P. Os grupos G e M consumiram itens provenientes de 48 espécies (29 e 24 famílias, respectivamente) e o grupo P 52 espécies (27 famílias). A composição da dieta foi mais semelhante entre os grupos G e M (Índice de Horn Ro=0,61), cujos fragmentos também apresentaram a maior similaridade florística (Ro=0,60). Folhas compreenderam 78% dos registros alimentares do grupo G, 59% do M e 67% do P. Os frutos foram mais importantes na dieta do grupo M (35%) do que no G (9%) ou no P (18%). Os percentuais de alimentação (G=23%, M=19%, P=24%) e movimentação (G=6%, M=8%, P=5%) diferiram entre os grupos, ao passo que os percentuais de repouso (G=55%, M=58%, P=58%) e viagem (G=11%, M=9%, P=9%) não diferiram. O grupo M apresentou o maior (1. 463 m) e o menor (92 m) percursos diários. O tamanho da área domiciliar não diferiu entre os grupos (G=4,9 ha; M=5,0 ha; P=1,8 ha).O grupo M continha uma fêmea adulta de coloração excepcionalmente clara. No mesmo fragmento, outros três indivíduos (em dois outros grupos) também apresentaram coloração anormal, sendo esse um possível efeito do isolamento, a ser investigado. Esse estudo representa a maior base de dados sobre populações de A. g. clamitans vivendo em fragmentos em uma mesma microrregião. Os resultados sugerem que a área dos fragmentos e a qualidade da vegetação (disponibilidade alimentar) são os fatores mais influentes sobre a dinâmica da metapopulação de bugios no CISM.
Howler monkeys (genus Alouatta) are known for their ability to live in fragmented habitats. Their folivorous diet and capacity to use small home ranges play an important role in this adaptability. However, habitat fragmentation may hamper long-term persistence of small and isolated populations through deleterious effects. This study aimed at evaluating the effects of habitat fragmentation on the ecology and behavior of brown howler monkeys (Alouatta guariba clamitans) at the Campo de Instrução de Santa Maria (CISM), Santa Maria (29o43’-29o44’S; 53o42’-53o44’W), State of Rio Grande do Sul, Brazil. A population survey conducted from March to December 2004 recorded 378 individuals (63 bisexual groups, two unisexual groups and eight solitary individuals) living in 18 out of 20 forest fragments. Mean group size (5. 8 individuals) was similar to that observed in brown howler populations living in continuous forests. Groups contained on average 1. 4 adult and subadult males, 2. 5 adult females and 1. 9 immature individuals (IFR=0. 7). Analyses of the influence of landscape (fragment size and isolating distances) and vegetation (species richness and diversity, tree height, density and mean DBH, dead trees density, total IVI, density and dominance of food sources, and density of Fícus spp. ) characteristics on howler monkey demographic variables (abundance, density and group size) indicated howler monkey abundance was positively related to fragment size (r=0. 78, p<0. 001), mean isolating distance (r=0. 56, p<0. 05) and distance to the nearest fragment (r=0. 70, p<0. 01). Population density was inversely related to fragment size (r=-0. 52, p<0. 05) and directly related to total basal area of food sources (r=0. 52, p<0. 05). On the other hand, there was no relationship between group size and any variable.From January to December 2005, the activity budget, use of space and diet of three social groups inhabiting fragments varying in size were studied by the instantaneous scan sampling method. Group P (7 individuals) was studied during 59 days (654 hours) in a 1. 8 ha fragment, group M (6 individuals) was studied during 58 days (623 hours) in a 20 ha fragment, whereas group G (5 individuals) inhabited the largest forest tract at the study site (977 ha) and was followed for 54 days (577 hours). Both groups G and M fed on 48 plant species belonging, respectively, to 29 and 24 families, whereas group P used 52 species (27 families) as food sources. Diet similarity was highest between groups G and M (Horn index, Ro=0. 61), whose fragments also showed more similar plant compositions (Ro=0. 60). Leaves composed the bulk of the diet of all groups (G: 78%; M: 59%; P: 67%), whereas fruit showed the greatest contribution to the diet of group M (35%) compared to P (18%) and G (9%). Feeding (G: 23%; M: 19%; P: 24%) and moving (G: 6%; M: 8%; P: 5%) differed among groups, whereas resting (G: 55%; M: 58%; P: 58%) and travel (G: 11%; M: 9%; P: 9%) did not. The longest (1,463 m) and shortest (92 m) day ranges were performed by group M. Home range was similar among all groups (G: 4. 9 ha; M: 5. 0 ha; P: 1. 8 ha). Group M contained an adult female showing an uncommonly lighter pelage color. Three other howler monkeys belonging to two additional groups inhabiting the same fragment also showed abnormal pelage colors.The spatial isolation of this population is a putative cause of this trait that requires further investigation. The present research represents the largest database of A. g. clamitans populations inhabiting fragments within the same microregion. Fragment size and vegetation quality (related to food availability) are suggested as the most important environmental variables affecting brown howler monkey metapopulation dynamics at the study area.
URI: http://hdl.handle.net/10923/5421
Aparece en las colecciones:Dissertação e Tese

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción TamañoFormato 
000400984-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo3,43 MBAdobe PDFAbrir
Ver


Todos los ítems en el Repositorio de la PUCRS están protegidos por derechos de autor, con todos los derechos reservados, y están bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional. Sepa más.