Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://hdl.handle.net/10923/5762
Tipo: doctoralThesis
Título: Influência de infecções da via aérea inferior e de fatores perinatais na função e no crescimento pulmonares em lactentes prematuros
Autor(es): Chakr, Valentina Coutinho Baldoto Gava
Orientador: Jones, Marcus Herbert
Editor: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Pediatria e Saúde da Criança
Fecha de Publicación: 2014
Palabras clave: MEDICINA
PEDIATRIA
BRONQUIOLITE
ESPIROMETRIA
LACTENTE
PREMATUROS
Resumen: Objectives : To assess if lung function could be used to predict risk of viral lower respiratory tract infections in prematurely born infants. In addition, we want to assess the impact of number and severity of LRTI episodes on lung growth. Methods : Longitudinal measurements of lung function by raised volume rapid thoracic compression technique were obtained in the first 6 months of life and after one year of follow-up in preterm infants. Number and severity of LRTI were recorded prospectively. The main outcome is an association between lung function measurements and number and severity of LRTI episodes. Results : Lung function tests were obtained in 71 preterm infants. There was a negative association between lung function and LRTI. Compared with infants with one or no LRTI episode (n=41), those with two or more episodes of LRTI (n=30) had significantly lower expiratory flows at first test (p<0. 05 for zVEF0. 5 zFEF50, zFEF75, zFEF25-75 and zFEFV0. 5/FVC). No significant differences in gender distribution, gestational age, birth weight, school age siblings and smoke exposure were detected in relation to number or severity of LRTI. In the multivariate analysis, lung function and respiratory support in the neonatal intensive care unit was associated with higher number of LRTI. Severe LRTI was predicted by passive smoking and reduced zFEV0. 5. In the longitudinal analysis, the change in lung function, adjusted for length, sex and smoke exposure during pregnancy was not affected by the number and severity of LRTI. Lung growth in this preterm birth cohort was not significantly different from a reference control group composed of full term babies. Conclusion : Our data suggest that lung function is a direct factor that mediates respiratory morbidity in premature infants. Lung function was a better predictor of number of LRTI than gestational age, sex and social demographics factors. The findings suggest that prenatal factors, particularly those that promote premature birth, determine lung development early in life. Postnatal events, like viral LRTI, do not have a detectable effect on lung growth.
Objetivos : Avaliar se a função pulmonar (FP) pode ser usada para predizer o risco de infecção viral da via aérea inferior (IVAI) em lactentes prematuros. Avaliar o impacto do número e da gravidade das IVAI no crescimento pulmonar.Métodos : Medidas longitudinais da FP pela técnica de compressão torácica rápida a partir de volumes pulmonares elevados foram obtidas nos primeiros seis meses de vida e após um ano de seguimento. Número e gravidade das infecções das IVAI foram registrados prospectivamente. O desfecho principal foi a associação entre as medidas de FP e o número e a gravidade das IVAI. Resultados : Testes de FP foram obtidos em 71 lactentes. Houve uma associação negativa entre FP e IVAI. Comparados com lactentes que tiveram um ou nenhum episódio de infecção (n=41), aqueles com dois ou mais episódios (n=30) tiveram fluxos expiratórios mais baixos (p < 0. 05 para zVEF0. 5, zFEF50, zFEF75, zFEF25-75 and zFEFV0. 5/FVC) no primeiro teste (n=71). Não houve diferenças significativas quanto a sexo, idade gestacional, peso ao nascimento, irmãos na idade escolar e exposição ao tabaco em relação ao número e gravidade da IVAI. Na análise multivariada, recebimento de suporte respiratório na unidade neonatal e FP estiveram associadas a maior frequência de infecções. Hospitalização por IVAI pode ser predita por tabagismo passivo e zFEV0. 5 reduzido. Na análise longitudinal, a mudança na FP ajustada para comprimento, sexo e tabagismo gestacional não foi afetada pelo número e pela gravidade de IVAI. O crescimento pulmonar dessa coorte de prematuros não foi significativamente diferente do crescimento do grupo controle de referência composto de bebês a termo. Conclusão : Nossos resultados sugerem que a função pulmonar é um fator que medeia diretamente a morbidade respiratória em lactentes. A FP foi um melhor preditor do número de IVAI do que fatores perinatais e sócio-demográficos. Esses achados sugerem que fatores pré-natais, principalmente aqueles que promovem o parto prematuro, determinam o desenvolvimento pulmonar no início da vida. Eventos pós-natais, como IVAI virais, não apresentam um efeito detectável no crescimento pulmonar.
URI: http://hdl.handle.net/10923/5762
Aparece en las colecciones:Dissertação e Tese

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción TamañoFormato 
000457124-Texto+Parcial-0.pdfTexto Parcial579,16 kBAdobe PDFAbrir
Ver


Todos los ítems en el Repositorio de la PUCRS están protegidos por derechos de autor, con todos los derechos reservados, y están bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional. Sepa más.