Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/7076
Tipo: masterThesis
Título: O despertar de Cthulhu na cibercultura: as ressignificações do personagem de H. P. Lovecraft realizadas por fãs no facebook
Autor(es): Kurtz, Gabriela Birnfeld
Orientador: Gutfreind, Cristiane Freitas
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: COMUNICAÇÃO SOCIAL
CIBERCULTURA
REDES SOCIAIS
LOVECRAFT, HOWARD PHILIPS - CRÍTICA E INTERPRETAÇÃO
Data de Publicação: 2015
Resumo: O presente trabalho tem por objetivo compreender as apropriações e ressignificações de fãs (Jenkins, Hills, Jenson) acerca do personagem Cthulhu, criação de Howard Phillips Lovecraft, no contexto da cibercultura (Lévy, Manovich, Castells, Santaella). Lovecraft, nascido em Providence, Estados Unidos, viveu entre 1890 e 1937, e escreveu contos e poemas do gênero da literatura fantástica. Suas criações sobreviveram ao tempo, sendo modificadas e reinterpretadas em diversas esferas do entretenimento e, na cibercultura, apropriadas pelos fãs em grande escala ao redor do mundo. Por meio da análise de postagens e conversações dentro da página “Cthulhu”, no Facebook, objetivou-se compreender quem é o Cthulhu dos fãs. Também, desejou-se investigar quais seriam as diferenças entre essas ressignificações para o conto de Lovecraft, “O Chamado de Cthulhu”, em um contexto onde as novas mídias e os Sites de Redes Sociais amplificam e facilitam as formas de produção e difusão de conteúdo entre o fandom. As metodologias escolhidas foram a análise documental e a análise de conversação em redes sociais, sendo realizadas em conjunto e relacionadas posteriormente com os aportes teóricos escolhidos. Por meio da pesquisa constatou-se que o personagem, antes um monstro temível e irracional, ganhou dos fãs personalidade, traços humanos, fundiu-se a memes e transcendeu seu propósito além do conto original – o de destruir a humanidade -, tornando-se uma criatura socializante.
The present work has as objective to comprehend fans’ appropriations and reframing (Jenkins, Hills, Jenson) of the character Cthulhu, Howard Phillips Lovecraft’s creation, in the context of cyberculture (Lévy, Manovich, Castells, Santaella). Lovecraft, born in Providence, United States, lived between 1890 and 1937, and wrote short stories and poems on the fantastic genre of literature. His creations survived time, being modified and reinterpreted in different entertainment spheres and, in cyberculture, appropriated by fans in large scale around the world. By the analysis of posts and conversations in the page “Cthulhu”, on Facebook, it was objectified to comprehend who is the fans’ Cthulhu. In addition, it was aimed to investigate what would the differences be between these reframings and Lovecraft’s short story, “The Call of Cthulhu”, in a context where the new media and the Social Network Websites amplify and facilitate content’s production methods and its propagation among the fandom. The methodologies chosen were the documental analysis and the conversation analysis in social media, being done together and later on related with the theoretical approaches chosen. Through the research, the character, before a terrible and irrational monster, gained from the fans personality, human traits, merged with memes and transcended its purpose beyond the original short story – destroying humanity -, becoming a socializing creature.
URI: http://hdl.handle.net/10923/7076
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese (Comunicação Social)

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000466516-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo3,4 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.