Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://hdl.handle.net/10923/7452
Tipo: masterThesis
Título: Doenças crônicas não transmissíveis e sinais e sintomas de depressão e de declínio cognitivo em idosos na atenção primária à saúde
Autor(es): Silva, Amanda Ramalho
Orientador: Silva Filho, Irênio Gomes da
Editor: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Biomédica
Fecha de Publicación: 2015
Palabras clave: MEDICINA
GERIATRIA
GERONTOLOGIA
IDOSOS
ENVELHECIMENTO
MEMÓRIA
COGNIÇÃO
DEPRESSÃO
Resumen: Objective: To investigate the non-communicable chronic diseases with symptoms of depression and of cognitive deficit in elders attended by family health strategy. Methods: It is conducted a cross-sectional, quantitative and descriptive study with 1. 391 elders attended by 21 family health strategy under PUCRS jurisdiction, Porto Alegre. Data were collected from the formulary of PENCE. It was used for tracking of the symptoms of depression the geriatric depression scale (GDS15), and it was used the Vellore for the tracking of cognitive deficit symptoms. Results: Only 18,7% out of the analyzed did not present chronic disease and 47,5% presented 2 or more. It was noticed a greater frequency of chronic diseased with advanced age (P<0,001) and lower level of education (P=0,004) and lower frequency of chronic diseases among singles (P=0,001). The GDS result was normal in approximately 72% of the elder without chronic disease and 56% of those with some chronic disease (P<0,001). The Vellore result was normal in approximately 58% and 49% of the elders with or without chronic diseases respectively (P<0,001). The following diseases showed significant association (P<0,05) as the result of the depression symptoms scale as the cognitive symptoms scale: hypertension, diabetes, coronary disease, heart failure and cerebral vascular accident. Conclusion: The results suggest that, among the chronic diseases, cardiovascular and cerebrovascular have a clearer Independent association, both with depression as with cognitive decline, supporting the hypothesis of a possible relationship of depression as a risk factor for vascular disease and with this commitment brain associated with cognitive decline and perhaps also to depression.
Objetivos: Investigar as doenças crônicas não transmissíveis associadas com sintomas de depressão e sinais de deficit cognitivo em idosos atendidos pela Estratégia Saúde da Família.Métodos: Estudo transversal com 1. 391 idosos atendidos no Programa de Envelhecimento Cerebral (PENCE) da Estratégia Saúde da Família do Município de Porto Alegre (RS). Os dados foram coletados a partir do prontuário do PENCE, que contém informações sociodemográficas e doenças crônicas autorreferidas, além de instrumentos utilizados para triagem de depressão e declínio cognitivo. Para o rastreio dos sintomas de depressão, foi utilizada a Escala de Depressão Geriátrica (GDS-15), e, para o rastreio dos sintomas de deficit cognitivo, foi utilizado o Vellore, que contém 10 questões para um informante e testagem breve realizada com o idoso. Resultados: Apenas 18,7% dos idosos não referiram doença crônica e 47,5% referiram duas ou mais. Foi observada maior frequência de doença crônica com idade avançada (P<0,001) e menor escolaridade (P=0,004); e menor frequência de doença crônica entre os solteiros (P=0,001). O resultado da GDS foi alterado em aproximadamente 28% dos idosos sem doença crônica e 44% daqueles com alguma doença crônica (P<0,001). Já o resultado do cognitivo foi alterado em aproximadamente 42% e 51% dos idosos sem e com doença crônica, respectivamente (P<0,001). A maior prevalência de sintomas depressivos foi no sexo feminino e nos idosos com doença coronariana, insuficiência cardíaca e AVC; e menor prevalência naqueles com 1o grau completo, que vivem com parceiro e nos viúvos. Já a presença de sinais de deficit cognitivo foi prevalente entre os que tinham 80 anos ou mais, nos idosos da raça negra e naqueles que apresentavam doença coronariana e acidente vascular encefálico; e foi menos prevalente, quanto maior a escolaridade e entre os idosos que referiram reumatismo/artropatia. Conclusão: Os resultados sugerem que, entre as doenças crônicas, as cardiovasculares e as cerebrovasculares têm associação independente mais evidente, tanto com depressão quanto com declínio cognitivo, corroborando a hipótese de uma possível relação da depressão como fator de risco para doença vascular e desta com comprometimento encefálico associado ao declínio cognitivo e, talvez, também com a depressão.
URI: http://hdl.handle.net/10923/7452
Aparece en las colecciones:Dissertação e Tese

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción TamañoFormato 
000471684-Texto+Parcial-0.pdfTexto Parcial1,61 MBAdobe PDFAbrir
Ver


Todos los ítems en el Repositorio de la PUCRS están protegidos por derechos de autor, con todos los derechos reservados, y están bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional. Sepa más.