Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10923/7930
Type: doctoralThesis
Title: Avaliação das medidas de pressão arterial em gestantes com doença hipertensiva gestacional
Author(s): Vieira, Marisa Reginatto
Advisor: Costa, Bartira Ercília Pinheiro da
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Graduate Program: Programa de Pós-Graduação em Medicina e Ciências da Saúde
Issue Date: 2015
Keywords: PRÉ-ECLÂMPSIA
GESTAÇÃO DE ALTO RISCO
HIPERTENSÃO ARTERIAL
OBSTETRÍCIA
MEDICINA
Abstract: Objetivo: Analisar o comportamento da pressão arterial nas primeiras 8 horas de cuidados de emergência em mulheres grávidas com mais de 20 semanas de idade gestacional que chegam com hipertensão em uma unidade obstétrica.Métodos: A pressão arterial foi medida numa Unidade Obstétrica em uma coorte de 415 mulheres grávidas com pressão arterial elevada na avaliação inicial. Dados das primeiras 8 horas de leituras de pressão arterial foram analisadas por teste de Equações de Estimativas Generalizadas.Resultados: No momento da chegada à Unidade Obstétrica, a média foi 154,3 ± 16,5 mmHg e 98,0 ± 12,1 mmHg para a pressão arterial sistólica e diastólica, respectivamente. Até 8 horas todas as médias das aferições diminuíram a cada hora (p <0,001). As medidas da primeira hora foram 146,6+19,1 e 89,7+15,6, na segunda hora: 139,0+17,8 e 83,2+14,2, 3ª: 137,2+15,6 e 78,7+12,2, 4ª: 136,9+14,7 e 78,8+14,5, 5ª: 135. 9+16,6 e 78,2+14,1, 6ª: 135,6+16,3 e 77,9+13,5, 7ª: 133,3+14,2 e 75,7+11,9 e na 8ª hora 133,8+15,6 e 76,9+12. 9 mmHg para a pressão arterial sistólica e diastólica respectivamente. No tempo de três horas 55,3% das pacientes tiveram a pressão arterial estabilizada e abaixo de 140/90mmHg. A idade gestacional foi maior em gestantes que atingiram a estabilização em três horas (36,4+4,4 versus 34,3+4,9 semanas; p = 0,007).Conclusão: O estudo fornece evidências de que um intervalo de pelo menos três horas entre as medidas seja suficiente para estabelecer o diagnóstico de hipertensão gestacional em mulheres grávidas que apresentam pressão alta em uma unidade de obstetrícia.
Objective: To analyze the behaviour of blood pressure at the first 8 hours of emergency care in pregnant women who arrive with hypertension in an obstetric unit.Methods: Blood pressure was measured at an Obstetric Unit in a cohort of 415 pregnant women with high blood pressure at the initial evaluation. Data of the first 8 hours of blood pressure readings were analyzed by Generalized Estimated Equations test.Results: At baseline the means(+SD) were 154. 3±16. 5 mmHg and 98. 0±12. 1 mmHg for systolic and diastolic blood pressure, respectively. There was a significant reduction in blood pressure during follow-up (p<0. 001). Blood pressure means (SD) were: 1st hour: 146. 6+19. 1 and 89. 7+15. 6, 2nd: 139. 0+17. 8 and 83. 2+14. 2, 3rd: 137. 2+15. 6 and 78. 7+12. 2, 4th: 136. 9+14. 7 and 78. 8+14. 5, 5th: 135. 9+16. 6 and 78. 2+14. 1, 6th: 135. 6+16. 3 and 77. 9+13. 5, 7th: 133. 3+14. 2 and 75. 7+11. 9, and 8th hour 133,8+15. 6 and 76. 9+12. 9 mmHg for systolic and diastolic blood pressure, respectively. Blood pressure stabilized after the third hour.Conclusion: The study provides evidence that an interval of at least three hours between measurements is adequate to establish the diagnosis of gestational hypertension in pregnant women presenting with high blood pressure at an obstetric unit.
URI: http://hdl.handle.net/10923/7930
Appears in Collections:Dissertação e Tese

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
000477838-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo3,82 MBAdobe PDFOpen
View


All Items in PUCRS Repository are protected by copyright, with all rights reserved, and are licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License. Read more.