Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/7955
Tipo: doctoralThesis
Título: Negação: um olhar semântico-argumentativo sobre os morfemas a-, i- e des-
Autor(es): Nunes, Érica Krachefski
Orientador: Barbisan, Leci Borges
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Letras
Data de Publicação: 2015
Palavras-chave: SEMÂNTICA
ARGUMENTAÇÃO
LINGUÍSTICA
Resumo: Esta tese tem como objetivo descrever e explicar o funcionamento semântico dos morfemas a-, i(m/n)- e des-, considerando seu sentido negativo. Para tanto, tal estudo está fundamentado na Teoria da Argumentação na Língua (ANL), desenvolvida por Oswald Ducrot e colaboradores. A ANL tem forte relação com a teoria saussuriana, principalmente no que concerne os conceitos de língua, fala, signo, valor e relação. É a partir de um exemplo apresentado no Curso de Linguística Geral (CLG), desfazer, que este trabalho tem seu princípio: explicar os diferentes valores argumentativos dos morfemas negativos. Para isso, foi necessário, além de estudar o legado deixado por Ferdinand de Saussure, verificar como a negação foi abordada desde o início da ANL. Esta pesquisa está ancorada na atual fase da ANL, a Teoria dos Blocos Semânticos (TBS), desenvolvida, desde 1992, por Marion Carel junto com Ducrot. Pela TBS, a negação é vista como uma forma de polifonia, em que o locutor, ao enunciar, coloca em cena enunciadores, tomando posição em relação a eles. No entanto, os autores estudam somente a negação comum e a negação metalinguística. Aqui, pretende-se explicar um caso diferente de negação ainda não apresentado pelos autores, chamado de negação desconstrutiva. Para tanto, foram analisados doze signos, sendo três do morfema a-, outros três com ocorrências de i(m/n)-, e seis com des-. Os casos do morfema des- foram divididos em dois tipos diferentes de negação. Após as análises, chegou-se à explicação de como a negação pode agir de forma diferente dependendo do signo com que os morfemas estão relacionados, especificamente, o morfema des-.
This thesis aims to describe and explain the semantic function of a-, i(m/n)- and des- morphemes, taking into account their negative sense. Therefore, this study is based on the Theory of Argumentation within Language (TAL), developed by Oswald Ducrot and colaborators. TAL has a strong relation with the saussurian theory, mainly about language, speech, sign, value and relation. It is from an example presented in Course of General Linguistics (CGL), desfazer (undo), that this work has its beginning: to explain the different argumentative values of the negative morphemes. For this purpouse, it was necessary, in addition to study what Ferdinand de Saussure has left, to verify how the negation theme was discussed since the beginning of TAL. This research is anchored in the current phase, Theory of the Semantic Blocks (TSB), developed, since 1992, by Marion Carel and Ducrot. For TSB, the negation is considered a way of poliphony, when the locutor, while enunciates, puts in scene enunciators, taking a stand about them. However, the authors study only the common negation and the metalinguistic negation. In this moment, it is intended to explain a different case of negation that has not been presented by the authores yet, and it is called deconstructive negation. So, twelve signs were analyzed, three of them are compounded by the morpheme a-, three other occurrences with i(m/n)-, and six with the morpheme des-. The cases with the morpheme des- were divided into two types of different negations. After the analysis, it was possible to explain how the negation can work in different ways, depending on the sign that the morpheme is related, especially, the morpheme des-.
URI: http://hdl.handle.net/10923/7955
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000477896-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo800,84 kBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.