Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10923/8806
Type: masterThesis
Title: Estrutura populacional e diversidade genética do golfinho-nariz-de-garrafa Tursiops truncatus (Montagu, 1821) na costa brasileira
Author(s): Fraga, Lúcia Darsie
Advisor: Bonatto, Sandro Luis
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Graduate Program: Programa de Pós-Graduação em Zoologia
Issue Date: 2016
Keywords: CETÁCEOS
GENÉTICA ANIMAL
MORFOLOGIA
GOLFINHOS
ZOOLOGIA
Abstract: O golfinho-nariz-de-garrafa (Tursiops truncatus) tem distribuição mundial em diferentes habitats, alta plasticidade comportamental e grande variação genética e morfológica. No Brasil, T. truncatus ocorre de norte a sul, contudo os estudos de estruturação populacional da espécie no país ainda são restritos a algumas localidades. Existe também a proposta baseada na morfologia da existência de outra espécie, T. gephyreus, ao sul da distribuição, em simpatria parcial com T. truncatus. O objetivo deste estudo é avaliar os níveis de variabilidade genética e estrutura populacional da espécie ao longo da costa brasileira além da comparação parcial com a identificação morfológica. Para isso foram analisadas 110 amostras em seis áreas de ocorrência na costa do Brasil, além de espécimes da Guiana Francesa e do Arquipélago de São Pedro e São Paulo (ASPSP). Após a análise da região controladora do DNAmt e de sete loci de microssatélites, nós encontramos estruturação populacional significativa da espécie nos dois marcadores. Esses resultados apontaram a existência de três grupos genéticos geograficamente distintos: ASPSP (ASPSP mais Guiana Francesa), Nordeste (estados do Pará, Ceará, Rio Grande do Norte e Bahia) e Bacias de Campos e de Santos (BC/BS, estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Santa Catarina). A diversidade haplotípica e a riqueza alélica destes grupos foram altas assim como o grau de estruturação genética entre eles.Já no RS existem alguns indivíduos com alta probabilidade de pertencerem ao grupo BC/BS, e outros ao grupo Nordeste, além de vários indivíduos que compreendem um grupo genético muito diferenciado nos microssatélites e com haplótipos do DNAmt em um clado exclusivo, a maior parte deles identificados como T. gephyreus. Combinando estes resultados com outros estudos parciais, concluímos que o golfinho-nariz-de-garrafa do sudoeste do Oceano Atlântico é composto por, pelo menos, quatro unidades de manejo distintas geograficamente: i) ASPSP; ii) Nordeste; iii) BC/BS (que parece se estender até pelo menos o RS); e iv) Bahía San Antonio, Argentina. Por fim, possivelmente a partir de SC até o Uruguai, parece existir também uma entidade genética distinta, que não é o T. truncatus canônico, mas aparentemente simpátrica com este, e que está claramente associada à morfologia descrita como T. gephyreus, embora alguns aspectos desse quadro ainda não estejam claros o suficiente para que se tome uma decisão taxonômica formal.
The bottlenose dolphin (Tursiops truncatus) has worldwide distribution in different habitats, high behavioral plasticity, and large genetic and morphological variation. In Brazil, T. truncatus occurs from north to south, yet studies of population structure of the species in the country are still restricted to certain locations. There is also a proposal based on the morphology of the existence of another species, T. gephyreus, in the southern part of the distribution, in partial sympatry with T. truncatus. The goal of this study is to assess the levels of genetic variability and population structure of the species along the Brazilian coast and also compare the results with previous morphological identification. A total of 110 samples were analyzed in six areas of occurrence on the coast of Brazil, as well as specimens from French Guiana and Arquipélago de São Pedro e São Paulo (ASPSP). After analyzing the mtDNA control region and seven microsatellite loci, we found significant population structure of the species in the two markers. The results indicate the existence of three geographically distinct genetic groups: ASPSP (comprising samples from ASPSP and the French Guiana), Northeast (from states of Pará, Ceará, Rio Grande do Norte and Bahia) and Campos and Santos Basins (from BC/BS, the states of Rio de Janeiro, São Paulo and Santa Catarina). Haplotype diversity and allelic richness of these groups were high as well as their genetic structure.Samples from the RS state comprise some individuals with high likelihood to be part of the BC/BS group and others to the Northeast group. However, several individuals comprise a much differentiated genetic group in microsatellites and with mtDNA haplotypes from a unique clade, most of them identified as T. gephyreus. Combining these results with previous studies, we conclude that the bottlenose dolphin from the southwest Atlantic Ocean consists of at least four management units: i) ASPSP; ii) Northeast; iii) BC/BS (that seems to extends at least to RS); and iv) Bahía San Antonio, Argentina. Finally, from SC state to Uruguay it seems to exists a distinct genetic entity that is not the canonical T. truncatus, but sympatric to it, and that is associated with the T. gephyreus morphology, but the picture is not clear enough to propose a formal taxonomic decision.
URI: http://hdl.handle.net/10923/8806
Appears in Collections:Dissertação e Tese

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
000480019-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo1,49 MBAdobe PDFOpen
View


All Items in PUCRS Repository are protected by copyright, with all rights reserved, and are licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License. Read more.