Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://hdl.handle.net/10923/9611
Tipo: masterThesis
Título: Transtorno de acumulação de animais: caracterização do funcionamento cognitivo
Autor(es): Paloski, Luis Henrique
Orientador: Irigaray, Tatiana Quarti
Editor: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Psicologia
Fecha de Publicación: 2016
Palabras clave: PSICOLOGIA COGNITIVA
TRANSTORNOS DA PERSONALIDADE
PSICOLOGIA CLÍNICA
Resumen: Introdução: O transtorno de acumulação de animais caracteriza-se pelo acúmulo de animais e falha em proporcionar padrões mínimos de nutrição, saneamento e cuidados veterinários e em agir sobre a condição deteriorante dos animais (incluindo doenças, fome ou morte) e do ambiente. Objetivos: O presente estudo deu origem a dois artigos, cada um com a sua proposta. O artigo 1 teve como objetivo investigar sistematicamente a literatura sobre o transtorno de acumulação de animais. O artigo 2 teve como principal objetivo caracterizar o perfil cognitivo de acumuladores de animais. Buscou ainda verificar se variáveis sociodemográficas, sintomas depressivos e de ansiedade são preditores do funcionamento cognitivo de acumuladores de animais. Métodos: No artigo 1, foi feita uma revisão sistemática, conforme as recomendações da Declaração Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses. Realizou-se a busca de artigos, por dois juízes, nas bases de dados indexadas na Medline, PsycINFO, Embase e Web of Science. Dentre os 75 artigos encontrados, analisaram-se nove artigos. O artigo 2 teve um delineamento transversal exploratório. Foram avaliados 33 indivíduos com transtorno de acumulação de animais, com idades entre 29 a 84 (M = 61,39; DP = 12,69). Os indivíduos que concordaram em participar da pesquisa preencheram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido e responderam a uma Ficha de Dados Sociodemográficos, Miniexame do Estado Mental, Fluência Verbal-Animais, Figuras Complexas de Rey e ao Subteste Semelhanças da Escala Wechsler Abreviada de Inteligência. Os dados foram organizados em um banco, criado no programa Statistical Package for the Social Sciences. Foram realizadas análises estatísticas, descritivas, correlações parcial e de Spearman e Regressão Linear Múltipla com método Stepwise.Resultados: O artigo 1 verificou que, os acumuladores de animais, normalmente, eram do sexo feminino e acumulavam, em média, mais de 30 animais. As condições das habitações eram insalubres e os animais mais acumulados eram cães e gatos. Os resultados do artigo 2 demostraram que os acumuladores de animais possuem dificuldades cognitivas relacionadas à formação de conceitos verbais, raciocínio verbal abstrato e habilidade intelectual geral. Também apresentaram prejuízos nas capacidades de percepção, visuoconstrutiva, memória visual, planejamento, organização e estratégias de resolução de problemas. A idade e a escolaridade relacionaram-se significativamente com o desempenho cognitivo dos acumuladores de animais. Conclusões: A partir do estudo teórico, pode-se verificar que existem poucos estudos empíricos que avaliaram indivíduos com transtorno de acumulação de animais. Os resultados do estudo empírico apontam que indivíduos com transtorno de acumulação de animais apresentam dificuldades cognitivas relacionadas, principalmente, às funções executivas. Sugere-se a realização de novos estudos, pois o transtorno de acumulação de animais ainda é pouco explorado em estudos empíricos.
Introduction: The animal hoarding disorder is characterized by the hoarding of animals and failure to provide minimum standards of nutrition, sanitation and veterinary care and to act upon the deterioration of the animals (including diseases, hunger or death) and environment. Objectives: Two articles were made from this study, each with its own proposal. The first article’s goal was to systematically investigate the literature about animal hoarding disorder. The second article’s main goal was to characterize the cognitive profile of animal hoarders. This article has also researched the sociodemographic variants; depressive and anxiety symptoms are predictors of the cognitive function of animal hoarders. Methods: A systematic review was made on the first article, as per recommendations of the Declaration of Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses. Two judges have also searched for articles in the index databases of Medline, PsycINFO, Embase and Web of Science. Among the 75 articles that were found, nine were analysed. The second article had an exploratory transversal delineating. 33 individuals aged between 29 to 84 (M = 61,39; DP = 12,69) with animal hoarding disorder were assessed. The individuals who agreed to participate in this research filled out the Free and Informed Consent form and answered to a Sociodemographic Data Form, to a Mini-Mental State Examination, Verbal (Animal) Fluency, Rey Complex Figure and the Wechsler Abreviated Scale of Intelligence similarities subtest. A data base was created in the Statistical Package for the Social Sciences program. Statistic and descriptive analysis, partial and Spearman correlations and Multiple Linear Regression with Stepwise method were performed.Results: The first article verified that animal hoarders were usually females and hoarded an average of 30 animals. The conditions of hygiene within the housing poor and most of the animals were cats and dogs. The results of the second article showed that the animal hoarders have cognitive difficulties related to the formation of verbal concepts, abstract verbal reasoning and general intellectual ability. They also showed damage in their abilities of perception, constructive visual, visual memory, planning, organization and problem-solving strategies. Age and level of education were significantly related to the cognitive performance of the animal hoarders. Conclusions: From the theory study, it was possible to verify that there aren’t many empirical stus psidies which have assessed individuals with animal hoarding disorder. The results of the empirical study show that individuals with animal hoarding disorder present cognitive difficulties related mainly to the executive functions. We suggest that new studies be performed, since the animal hoarding disorder is very seldom explored in empirical studies.
URI: http://hdl.handle.net/10923/9611
Aparece en las colecciones:Dissertação e Tese

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción TamañoFormato 
000482393-Texto+Parcial-0.pdfTexto Parcial523,57 kBAdobe PDFAbrir
Ver


Todos los ítems en el Repositorio de la PUCRS están protegidos por derechos de autor, con todos los derechos reservados, y están bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional. Sepa más.