Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10923/10105
Type: masterThesis
Title: Relações comunitárias e aspectos psicossociais da imigração haitiana no Rio Grande do Sul
Author(s): Weber, João Luís Almeida
Advisor: Pizzinato, Adolfo
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Graduate Program: Programa de Pós-Graduação em Psicologia
Issue Date: 2017
Keywords: IMIGRANTES - ASPECTOS SOCIAIS
ACULTURAÇÃO
RACISMO
QUALIDADE DE VIDA
PSICOLOGIA SOCIAL
Abstract: A presente dissertação objetivou explorar o fenômeno da imigração haitiana do Rio Grande do Sul, quanto às orientações aculturativas, e como estas poderiam se relacionar com fatores sociodemográficos, de preconceito e qualidade de vida. Para tanto, foram realizados dois estudos empíricos de delineamento quantitativo transversal. O modelo teórico utilizado foi o Modelo Interativo de Aculturação, que aborda a temática tanto pela perspectiva dos imigrantes, neste caso os imigrantes haitianos, como também aborda o ponto de vista da população de acolhida que, nesta pesquisa, foi realizada em uma cidade no interior do estado do Rio Grande do Sul, onde reside o maior número de imigrantes em proporção à população local. O primeiro estudo, intitulado: “Imigração haitiana: aspectos psicossociais e orientações aculturativas”, contou com a participação de 67 imigrantes haitianos que imigraram entre os anos de 2010 e 2016. Os resultados demonstraram que este grupo de imigrantes é predominantemente composto por homens, com alta escolaridade e que falam o idioma português. A orientação aculturativa mais frequente é a de integração, a qual é mais presente entre homens; entre quem acessou o sistema de assistência social; entre os mais jovens; os com maior fluência em outros idiomas e os que chegaram há mais tempo no Brasil. Além disso, o preconceito percebido e a qualidade de vida foram melhores em comparação a estudos com a mesma população em outros países. O segundo estudo, intitulado “Orientações aculturativas e preconceito étnico-racial para com imigrantes haitianos no Brasil”, de maneira semelhante, explorou as mesmas questões – orientações aculturativas, preconceito e qualidade de vida – em uma comunidade brasileira de acolhida. Os resultados, demonstraram que esta comunidade também adota, em sua maioria, orientações aculturativas de integração para com os imigrantes.Foram, também, identificados os fatores preditivos para as orientações aculturativas abordadas. Percebeu-se que orientações apontadas como mais benéficas ao processo migratório, como integração, individualismo e transformação têm como fatores preditivos uma pontuação menor quanto ao racismo e maior quanto à qualidade de vida. Por outro lado, observou-se que as orientações aculturativas que são menos acolhedoras para com imigrantes – no caso assimilação, exclusão e segregação – têm como fatores associados um maior preconceito racial e uma menor qualidade de vida percebida. Também se identificou que o preconceito racial, em sua dimensão de negação do preconceito, é maior entre os homens, os quais também se apresentam mais propensos a adotar a orientação aculturativa de segregação. Os apontamentos dos dois estudos revelam que ambas as comunidades compartilham do predomínio da orientação aculturativa de integração. Ao adotarem consensualmente esta orientação, espera-se uma relação potencialmente mais harmoniosa entre os dois coletivos. O desenvolvimento da integração favorece atitudes de diversidade, equidade e a diminuição de preconceito e de conflitos. Por fim, os achados desta pesquisa oferecem um panorama, ainda que circunscrito e delimitado desta realidade, mas que pode servir de suporte para pensar políticas públicas e intervenções que visam tanto conscientizar a população brasileira no que tange a este tema tão emergente, quanto apresentar possibilidades de acolhimento e fomentação de direitos humanos para os grupos de imigrantes e refugiados que estão no Brasil.
The present thesis aimed to explore the phenomenon of haitian immigration in Rio Grande do Sul, regarding acculturation orientations, and how these could be related to sociodemographic factors, prejudice and quality of life. For that, two empirical studies were carried out, with a cross-sectional quantitative design. The theoretical model used was the Acculturation Interactive Model, which approaches the theme both from the perspective of the immigrants, in this case the haitian immigrants, and how it approaches from the host population, which in this research was carried out in a city in the countryside of the state of Rio Grande do Sul, where the largest number of immigrants resides in proportion to the local population. The first study, entitled "Haitian Immigration: Psychosocial Aspects and Acculturation Orientations", was composed by 67 Haitian immigrants who immigrated between 2010 and 2016. The results showed that this group of immigrants is predominantly composed of men, with high schooling and speakers of the Portuguese language. The most frequent acculturative orientation integration, which is more present among men; between those who accessed the social assistance system; among the youngest; the ones with more fluency in other languages, and the ones that have arrived in Brazil longer. In addition, perceived prejudice and quality of life were better compared to studies with the same population in other countries. The second study, entitled "Acculturative Orientations and Ethnic-Racial Prejudice toward Haitian Immigrants in Brazil," similarly explored the same issues - acculturation orientations, prejudice and quality of life - in a Brazilian host community. The results showed that this community also adopts, in its majority, acculturation orientations of integration towards the immigrants.The predictive factors for the acculturative orientations were also identified. It was noticed that orientations, identified as most beneficial to the migratory process, such as integration, individualism and transformation, have as predictive factors a lower score on racism and higher on quality of life. On the other hand, it was observed that the acculturation orientations that are less welcoming towards immigrants, in the case - assimilation, exclusion and segregation – have as associated factors a greater racial prejudice and a lower perceived quality of life. Also, it has been identified that racial prejudice, in its dimension of denial of prejudice, is greater among men, who are also more likely to adopt the acculturative orientation of segregation. The notes of the two studies reveal that both communities share the predominance of the acculturative orientation of integration. By consensually adopting this orientation, it is expected a potentially more harmonious relationship between the two collectives. The development of integration favors attitudes of diversity, equity and the reduction of prejudice and conflict. Finally, the findings of this research offer a panorama, although circumscribed and delimited of this reality, but that can serve as a support to think public policies and interventions that aim both to raise the awareness of the brazilian population as to this emerging theme, as to present reception possibilities and the promotion of human rights for immigrant and refugee groups in Brazil.
URI: http://hdl.handle.net/10923/10105
Appears in Collections:Dissertação e Tese

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
000483427-Texto+Parcial-0.pdfTexto Parcial1,15 MBAdobe PDFOpen
View


All Items in PUCRS Repository are protected by copyright, with all rights reserved, and are licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License. Read more.