Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://hdl.handle.net/10923/10599
Tipo: doctoralThesis
Título: Imprensa e rupturas institucionais: narrativas do vivido e do imaginário sobre o Golpe Civil-Militar de 1964 no Brasil e a Revolução de 25 de abril de 1974 em Portugal
Autor(es): Kieling, Camila Garcia
Orientador: Silva, Juremir Machado da
Editor: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social
Fecha de Publicación: 2017
Palabras clave: IMPRENSA - BRASIL - HISTÓRIA
IMAGINÁRIO
DITADURA MILITAR, 1964-1985 - BRASIL
COMUNICAÇÃO
Resumen: Nossa tese apresenta uma análise das narrativas de jornais representativos das imprensas hegemônicas brasileira e portuguesa em dois momentos de ruptura institucional: o Golpe Civil-Militar de 1964 no Brasil e a Revolução de 25 de Abril de 1974 em Portugal. No primeiro caso, ocorre a derrubada do presidente João Goulart e o início de uma ditadura militar que durou 21 anos. No segundo, a queda de um regime autocrático que já se prolongava por 48 anos e o começo de um processo revolucionário que consolidou a democracia naquele país. Constituem o nosso corpus de pesquisa, no Brasil, O Estado de S. Paulo e Jornal do Brasil e, em Portugal, Diário de Notícias e República. Em nossa abordagem, as rupturas institucionais são eventos que dão acesso – através das narrativas midiáticas – à consciência histórica, porque expressam modos particulares de apreensão da mudança, tendo em vista a centralidade dos meios de comunicação na concepção contemporânea de acontecimento, conforme observado por Nora (1979). Através do percurso das narrativas do vivido e do imaginário (SILVA, 2006; 2010) buscamos o desvelamento de nosso objeto de pesquisa através do recobrimento teórico-metodológico. Para tanto, realizamos uma reflexão acerca da categoria acontecimento, tendo como referências principais Nora (1979) e Sodré (2009).Com o método comparativo de Detienne (2004), nossa técnica de análise foi direcionada pela Análise Crítica da Narrativa voltada ao jornalismo, tal como proposta por Motta (2013). Compreendendo a narrativa jornalística como produto de uma tecnologia do imaginário (SILVA, 2006) que interpela os fatos por meio de sua espetacularização, nossa análise é conduzida por categorias comparáveis, as quais nos permitiram compreender a dimensão imaginária das narrativas jornalísticas analisadas sobre os referidos episódios de ruptura institucional, a saber: a composição da intriga, as personagens, as repercussões midiáticas, o léxico e as expressões do tempo.
This thesis presents an analysis of newspapers narratives representing Brazilian and Portuguese hegemonic presses in two moments of institutional breakdowns: the civil-military coup of 1964 in Brazil and the revolution of April 25, 1974 in Portugal. In the first case, the result was the overthrow of President João Goulart and the beginning of a military dictatorship that lasted 21 years; in the second, the fall of an autocratic regime that existed for 48 years and the beginning of a revolutionary process that consolidated the country democracy. The research corpus is O Estado de S. Paulo and Jornal do Brasil in Brazil and Diário de Notícias and República in Portugal. In our approach institutional breakdowns are events that give access – through media narratives – to historical consciousness for they express particular modes of grasping changes regarding the mass media centrality in the modern conception of an event, according to Nora (1979). Through the narratives of the lived and the imaginary (SILVA, 2006; 2010) we seek to unveil the object of our research through theoretical-methodological covering. Therefore we reflected upon the event category, having Nora (1979) and Sodré (2009) as the major references.With the comparative method of Detienne (2004), our analysis approach was oriented by the Critical Narrative Analysis focused on journalism, as proposed by Motta (2013) Understanding the journalistic narrative as a product of the technology of the imaginary (SILVA, 2006) through which facts are challenged through its spectacularisation, our analysis has been conducted by comparable categories that enabled us to acquire an understanding of the imaginary dimension of the journalistic narratives used to report those episodes of institutional rupture, namely: the composition of intrigue, the characters, the media repercussions, the lexicon and the expressions of time.
URI: http://hdl.handle.net/10923/10599
Aparece en las colecciones:Dissertação e Tese

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción TamañoFormato 
000484647-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo2,73 MBAdobe PDFAbrir
Ver


Todos los ítems en el Repositorio de la PUCRS están protegidos por derechos de autor, con todos los derechos reservados, y están bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional. Sepa más.