Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/10771
Tipo: masterThesis
Título: Resposta da comunidade de aves ao uso do fogo nos campos de altitude do sul do Brasil
Autor(es): Bettio, Maurício
Orientador: Fontana, Carla Suertegaray
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Zoologia
Data de Publicação: 2017
Palavras-chave: ECOSSISTEMA - CONSERVAÇÃO
FAUNA - BRASIL
AVES
ZOOLOGIA
Resumo: Ecossistemas campestres constituem paisagens abertas com predomínio de vegetação herbácea/arbustiva, frequentemente entremeada por cursos d’água, banhados, pântanos e até formações florestais. Os Grasslands, como são chamados, dominam praticamente 40% da superfície terrestre e estão entre as formações naturais mais suscetíveis a intervenções humanas. Os campos de altitude localizados no sul do Brasil são considerados relictos naturais mantidos historicamente por distúrbios, como fogo e herbivoria. A presença de distúrbios naturais é uma característica intrínseca e necessária aos ecossistemas campestres, sendo uma força evolutiva que forjou a paisagem selecionando plantas e animais, especialmente onde as condições climáticas e de solo são propensas ao desenvolvimento de florestas. Embora o fogo seja considerado uma forma de distúrbio natural nos campos de altitude do sul do Brasil, seu regime tem sido alterado desde a chegada dos humanos, especialmente após a introdução da pecuária no século XVII. Avaliamos neste estudo a resposta da comunidade de aves em duas situações distintas de manejo da vegetação campestre no sul do Brasil: áreas com histórico de queimadas anuais ou bianuais e áreas excluídas de fogo por um período entre 10-15 anos. Dedicamos dois capítulos para explorar este tema, focando no primeiro a resposta das aves e vegetação às duas situações antagonistas de manejo e, no segundo, explorando um evento de incêndio acidental sobre a vegetação com histórico de exclusão de queima, para verificar alterações nos parâmetros da comunidade em relação a áreas frequentemente queimadas e para discutir a importância dos distúrbios na manutenção de uma avifauna diversa bem como do ecossistema campestre no sul do Brasil. Realizamos a coleta de dados na época reprodutiva, entre a primavera/verão de 2015 e 2016.Constatamos que a diversidade da comunidade de aves não foi alterada significativamente entre os tipos de manejo, indicando que os principais efeitos da presença frequente ou ausência das queimadas tendem a ser verificados sobre as espécies, ao menos num curto espaço de tempo. Houve, portanto, significativa modificação na composição de espécies. A estrutura do habitat, como altura da vegetação, número de plantas lenhosas e porcentagem de cobertura do solo por rochas e vegetação foi responsável por 80% da variação total da comunidade de aves, demonstrando que a avifauna responde intensamente às alterações do ambiente. Quando comparamos o período pré e pós queima com áreas queimadas periodicamente constatamos modificações expressivas na estrutura da vegetação, como a diminuição de altura e densidade, além de uma grande quantidade de solo exposto nas áreas pós queima em relação aos campos periodicamente queimados e ao período pré queima. Novamente, a avifauna respondeu significativamente somente em relação a composição de espécies, indicando que a alteração da dinâmica de manejo é capaz de selecionar as espécies de aves, de modo a beneficiar ou prejudicar a ocorrência de parte da comunidade. Espécies ameaçadas de extinção como Xanthopsar flavus, Anthus nattereri e Cinclodes pabsti tiveram uma preferência em ocupar campos queimadas com vegetação baixa, enquanto Scytalopus iraiensis e Sporophila melanogaster ocuparam campos excluídos de queima onde a vegetação era alta e densa. Nossos resultados indicam claramente que a comunidade de aves responde significativamente aos diferentes tipos de manejo empregados sobre a vegetação campestre.Estudos que levem em consideração uma variação temporal maior do que a avaliada neste trabalo são um gargalo no sentido de verificar a resiliência das espécies de aves campestres especialistas em relação aos eventos de fogo ou sua ausência. O manejo dos campos demonstrou ser de grande importância para a manutenção de aves, incluindo táxons globalmente ameaçados. Apesar da aplicação do fogo ter impedimentos legais, seu uso controlado parece ser uma ferramenta de manejo estratégica na manutenção da diversidade de aves nos campos de altitude sul-brasileiros.
Grassland ecosystems compound open landscapes with predominance of grass/forb/shrub vegetation, frequently interspersed by streams, wetlands, peatbogs and forest formations. Grasslands dominate practically 40% of the terrestrial surface and they are between the more suscetible natural formations to human interventions. The highland grasslands of southern Brazil are considered natural relicts historically maintened by disturbance, as fire and herbivory. The presence of natural disturbances is an intrinsic and necessary characteristic of grasslands ecosystems, being an evolutive force that forged the landscape, selecting plants and animals, especially where the climatic and soil conditions are prone to forest development. Although fire is considered a natural disturbance into highland grasslands of southern Brazil, its regime has been altered since the arrival of humans and especially after cattle introduction, in the XVII century. In this study, we evaluate the responses of the avian community in two different situations of management of the grassland vegetation in southern Brazil: areas with annualy or biennialy burns and areas where burns were excluded/suppressed since 10-15 years ago. We dedicate two chapters to explore this subject, focusing on: (1) the avian and vegetation responses to two distinct management situations (fire vs. fire exclusion); and: (2) exploring how an accidental burning event in areas with fire exclusion for many years affected community parameters, compared to frequently burned areas. We also discuss the importance of fire disturbance to maintain a diverse avifauna and grassland ecosystems in south Brazil. We conduct samplings during the breeding season, in spring/summer 2015 to 2016.We verified that diversity of birds was not significantly different between the two management practices studied, indicating that the main effects of the frequently presence or absence of burns tend to be verifyed mainly on species composition, at least in short term. The habitat structure, measured as height of vegetation, number of woddy plants and percent of ground cover by rocks and vegetation was responsible by 80% of total variation on the composition and adundance of bird community. When we compare pre and post burn state of areas usually no burned with periodically burned areas, we verify expressive modifications, such a decrease of vegetativon height and density, a larger quantity of exposed soil into post burned areas in relation to periodically burned grasslands and the pre burned time of the usually not burned areas. Again, the avifauna differs only in relation to species composition, indicating that alteration on management dynamic is able to select bird species, benefiting or harming the occurrence of a part of community. Threatened species as Xanthopsar flavus, Anthus nattereri and Cinclodes pabsti had preference for burned grasslands with short vegetation, while Scytalopus iraiensis and Sporophila melanogaster occupied excluded grasslands where vegetation was tall and dense. Our results clearly indicate that bird communities respond significantly to different types of management employed on grassland vegetation. Studies that consider a greater temporal variation than ours, would be necessary and complementary in order to verify the resilience of grassland-specialists bird species in relation to fire events or their absence.The management with fire in grasslands has proven to be important to maintenance of birds, including globally threatened taxa. Although application of fire has legal impediments, its controlled use seems to be a strategic management tool for maintenance of bird diversity in the south brazilian highland grasslands.
URI: http://hdl.handle.net/10923/10771
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000485045-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo4,36 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.