Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/10813
Tipo: masterThesis
Título: A dinâmica sócio-histórica brasileira sob o galope contido da política de assistência social no meio rural
Autor(es): Martins, Paulo Roberto
Orientador: Guimarães, Gleny Terezinha Duro
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Serviço Social
Data de Publicação: 2017
Palavras-chave: SERVIÇO SOCIAL RURAL
POLÍTICA SOCIAL
SERVIÇO SOCIAL
Resumo: O tema deste estudo é a política de assistência social voltada para o meio rural, delimitando-se a análise no município de Alegrete no Rio Grande do Sul, especificamente no assentamento do MST “Novo Alegrete”. O objetivo geral desta dissertação é investigar a materialização da política de assistência social, considerando a dinâmica sócio-histórica brasileira no meio rural, através do acesso aos seus serviços públicos oferecidos a população rural, afim de contribuir na possível ampliação e no planejamento de ações para esta política. Busca-se responder ao seguinte problema de pesquisa: Qual o impacto da dinâmica sócio-histórica capitalista na materialização da política de assistência social no meio rural? A pesquisa é de tipo qualitativa, de caráter exploratória, referencia-se no método dialético crítico, bem como suas categorias análise (historicidade, contradição e totalidade) enquanto base teórica. Enquanto categorias explicativas da realidade utiliza-se processo de subsistência; necessidade de infraestrutura e serviços; preconceito; dinâmica estrutural de atendimento; prestação dos serviços da política assistência social e condições de trabalho dos profissionais; que emergiram da análise das dos (as) participantes da pesquisa. A coleta de dados se deu através da entrevista semi-estruturada com gestor, profissional técnico da política de assistência social e usuários que vivem no meio rural, onde utilizou-se a análise de conteúdo enquanto técnica para captar elementos emergidos das falas dos sujeitos entrevistados.No que se refere aos resultados da pesquisa, demonstraram que o impacto da dinâmica sócio-histórica brasileira no meio rural brasileiro é a manutenção da desigualdade social, principalmente da concentração da propriedade nas mãos de poucos proprietários, além disso, os indicadores sociais revelam que pobreza é estruturante ao próprio desenvolvimento do capitalismo. O pacto com as elites agrárias vem mantendo-se e com isso os projetos que visam democratizar a sociedade ainda estão “maneados”, contidos pelas forças conservadoras que sustentam seus interesses através da reprodução da pobreza do campo. Esse dinâmica influencia diretamente na materialização da política de assistência social para o meio rural, onde ainda se vê a de sua inserção no meio rural, restringindo suas atividades a atendimento individuais, os (as) profissionais têm que dividir-se entre a população urbana e do campo, que devido a intensa demanda dos primeiros, acabam ficando em segundo plano.
URI: http://hdl.handle.net/10923/10813
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000486219-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo1,25 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.