Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/10889
Tipo: masterThesis
Título: Sementes de diversidade brotando em meio às fissuras: autonomia campesina e a construção de uma pedagogia agroecológica em assentamentos na Pampa Sul-Riograndense
Autor(es): Oliveira, Letícia Paranhos Menna de
Orientador: Harres, João Batista Siqueira
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática
Data de Publicação: 2017
Palavras-chave: EDUCAÇÃO RURAL
ECOLOGIA AGRÍCOLA
EDUCAÇÃO POPULAR
EDUCAÇÃO AMBIENTAL
Resumo: Esta pesquisa se propõe, a partir de uma metodologia ancorada nos referenciais da pesquisa-ação crítica e colaborativa a analisar o desenvolvimento de uma proposta pedagógica que relacionou a valorização e o resgate de saberes populares regionais com a construção da soberania alimentar e da autonomia campesina. O desenvolvimento deste trabalho aconteceu em duas escolas públicas no município de Herval/RS que atendem cinco assentamentos da Reforma Agrária via Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra. O problema de pesquisa se concentra em torno da questão: Como mediar processos educativos de forma colaborativa que instiguem crianças e adolescentes a valorizarem os saberes populares regionais para fortalecer a soberania alimentar e a autonomia campesina? A resposta para essa pergunta foi a busca do coletivo educador-pesquisador que participou do desenvolvimento do projeto “Fortalecendo a Soberania Alimentar, Conservando Saberes e Preservando a Pampa”, fruto de uma parceria entre as organizações Amigos da Terra Brasil e Sítio Cultural Ibiekos (SCI). O embasamento teórico está apoiado em referenciais da Educação Popular, do Campo e Ambiental que SULearam os planejamentos, a ação e a avaliação das atividades. As práticas pedagógicas envolveram discussões sobre filmes, elaborações de paródias musicais, brincadeiras sobre cultura biodiversa e monocultura, dinâmicas que provocaram o debate sobre alimentação, identificação do território com o Google Earth e a montagem de um mapa do assentamento que culminou na construção de uma charge sobre o avanço e as mazelas do agronegócio na região. Também aconteceu uma visita ao SCI para aprofundamento sobre manejos agroecológicos que originou uma charge sobre agroecologia e práticas de defesa do território articuladas pela comunidade.Durante as atividades foi construído um Diário de Bordo aonde os familiares e educandos puderam registrar seus saberes que originaram o livro “Sabes saberes sabidos? Suleando os nossos sonhos”. O caminho percorrido pelo coletivo educador-pesquisador foi descrito a partir de uma narrativa que enfatiza desde as dificuldades estruturais como mobilidade, acesso à internet e um quadro de professores sobrecarregados, até as denúncias de violações de direitos humanos pelas monoculturas de eucalipto e soja que permeiam os assentamentos. Os educadores avaliam que as principais repercussões do projeto estão relacionadas à aproximação dos familiares dos educandos e de um grupo de agricultores que não possuem parentes na escola, mas articulam um processo regional de agroecologia naquele território, ampliando assim o conceito de comunidade escolar.
This research proposes, from a methodology anchored in the references of critical and collaborative action research, to analyze the development of a pedagogical proposal that related the appreciation and rescue of regional popular knowledge with the construction of alimentary sovereignty and peasant autonomy. The development of this work occurred in two public schools in the municipality of Herval/RS that serve five settlements of Agrarian Reform via the Landless Workers Movement. The research problem is centered around the question: How to mediate educational processes collaboratively that instilling children and adolescents to value regional popular knowledge to strengthen the food sovereignty and peasant autonomy? The answer to this question was the search for the collective educatorresearcher, who participated in the development of the project “Fortalecendo a Soberania Alimentar, Conservando Saberes e Preservando a Pampa”, result of a partnership between the organizations Amigos da Terra Brasil and Sítio Cultural Ibiekos (SCI). The theoretical basement is supported by reference to the Popular, Field and Environmental Education, SULearam (guided) the planning, action and the evaluation of the activities. The pedagogical practices involved discussions about films, elaborations of musical parodies, games about culture and monoculture, dynamics that caused the discussion about food, identification of the territory with the Google Earth and the assembly of a map of the settlement that culminated in the construction of a charge about the advancement and the agribusiness problems in the region. Also happened a visit to SCI for deepening on agroecological management, that originated a cartoon about agroecology and practices of territorial defense articulated by the community.During the activities, a Logbook was built where the relatives and students could register their knowledge that originated the book “Sabes Saberessabidos? Suleando os nossos sonhos”. The way traveled by the educator-researcher collective was described from a narrative that emphasizes the structural difficulties like mobility, access to the internet and a group of overloaded teachers, to the denunciations of human rights violations by the eucalyptus and soybean monocultures that permeate the settlements. The educators evaluate that the main repercussions of the project are related to the approximation of the relatives of the students and of a group of farmers who do not have relatives in the school, but they articulate a regional agroecology process in that territory, expanding, so, the concept of school community.
URI: http://hdl.handle.net/10923/10889
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000485772-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo6,18 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.