Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/10989
Tipo: doctoralThesis
Título: Efeitos do exercício físico sobre a função cognitiva e os níveis plasmáticos de BDNF em mulheres idosas
Autor(es): Vedovelli, Kelem
Orientador: Bromberg, Elke
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Biomédica
Data de Publicação: 2017
Palavras-chave: ATIVIDADES MOTORAS
COGNIÇÃO
DEPRESSÃO
GERONTOLOGIA BIOMÉDICA
MEDICINA
Resumo: Introdução: A atividade física tem sido proposta como uma intervenção promissora para melhorar a cognição e diminuir o risco de demência em adultos mais velhos. O fator neurotrófico derivado do cérebro (BDNF) parece mediar, pelo menos parcialmente, esses efeitos do exercício. Entretanto, os estudos de intervenção dos efeitos de exercícios multimodais sobre o desempenho cognitivo e os níveis de BDNF são escassos e compostos por pequenas amostras. Assim, a generalização das conclusões destes estudos depende da reprodutibilidade dos resultados. Objetivo: avaliar os efeitos de uma intervenção de atividade física composta pelo fortalecimento muscular e condicionamento aeróbico nos níveis de BDNF e cognição em mulheres idosas, de modo a contribuir para o avanço científico na área. Métodos: Idosas independentes e não demenciadas (≥ 75 anos) foram submetidas a uma intervenção de três meses de atividade física (n = 22, sessões de exercícios de 60 min três vezes por semana, sendo 30 min de fortalecimento muscular e 30 min de atividade aeróbia) ou a uma condição de controle (n = 10, sem exercício). Foram avaliados os parâmetros clínicos (sintomas de ansiedade e depressão), neuropsicológicos (testes de Span de Dígitos, Stroop, Trail Making e Memória Contextual), físicos (força dos membros superiores e inferiores, condicionamento aeróbico) e fisiológicos (BDNF sérico) no início do protocolo, 1 e 3 meses após o início da intervenção. Resultados: O grupo controle apresentou níveis estáveis ao longo do tempo para todas as variáveis medidas, ao passo que o grupo de intervenção melhorou a aptidão física, sintomas depressivos, desempenho cognitivo e níveis de BDNF. Além disso, uma regressão linear identificou uma associação entre o condicionamento aeróbio e os níveis de BDNF.Conclusão: A combinação de fortalecimento muscular e condicionamento aeróbio foi capaz de melhorar o desempenho cognitivo e aumentar os níveis de BDNF. O condicionamento aeróbio parece ser um importante mediador desses resultados.
Introduction: Physical activity has been proposed as a promising intervention to improve cognition and decrease the risk of dementia in older adults. Brain-derived neurotrophic factor (BDNF) seems to mediate, at least partially, these effects of exercise. However, intervention studies of the effects of multimodal exercises on cognition and BDNF levels are scarce and composed by small samples. Thus, the generalization of the conclusions of these studies depends on the reproducibility of the results. Objective: to contribute to the knowledge on the field, the present study evaluated the effects of a physical activity intervention composed by muscle strengthening and aerobic conditioning on BDNF levels and cognition in older women. Methods: Twenty-two independent and non-demented subjects (≥ 75 years) were assigned to a three-month physical activity intervention (60 min exercise sessions three times a week, 30 min of muscle strengthening and 30 min of aerobic activity) or to a control condition (n= 10, no exercise). The clinical parameters (anxiety and depression symptoms), neuropsychological (Digit Span, Stroop, Trail Making and Contextual Memory tests), physical (upper and lower limb strength, aerobic conditioning) and physiological (serum BDNF) parameters were evaluated immediately before, one and three-months after starting intervention. Results: the control group had stable levels for all measured variables, whereas the intervention group improved on physical fitness, depressive symptoms, cognitive performance and BDNF levels. Moreover, a linear regression identified an association between aerobic conditioning and BDNF levels. Conclusion: The combination of muscle strengthening and aerobic conditioning was able to improve cognitive performance and increase BDNF levels. Aerobic conditioning seems to be an important mediator of these results.
URI: http://hdl.handle.net/10923/10989
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000487149-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo2,53 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.