Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10923/13870
Type: doctoralThesis
Title: Entre idas e vindas: uma diversidade de sentidos para a escola de EJA
Author(s): Santos, Juliana Silva dos
Advisor: Pereira, Marcos Villela
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Graduate Program: Programa de Pós-Graduação em Educação
Issue Date: 2018
Keywords: EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS
MOTIVAÇÃO (EDUCAÇÃO)
CURRÍCULO - ENSINO MÉDIO
EDUCAÇÃO
Abstract: A Educação de Jovens e Adultos (EJA) é tema de debates, de controvérsias, de ações políticas e sociais dirigidas a uma parcela da população que, em muitos casos, foi excluída da escola regular. Este estudo buscou problematizar a diversidade de sentidos para a escola de EJA, na visão de sujeitos jovens e adultos que frequentam uma escola de Ensino Médio. Tivemos por objetivo central analisar os sentidos atribuídos a escola de EJA, no que concerne à continuidade dos estudos. Em adjacência, buscamos compreender as razões para retornarem à escola, procuramos dar visibilidade a como concebem o conceito de tempo, verificamos a perspectiva de planejamento de futuro desses sujeitos, bem como identificamos as concepções de currículo vislumbradas por esses cidadãos. A produção de dados ocorreu a partir de um questionário com 56 questões respondido por 198 sujeitos frequentadores das turmas de 1º, 2º e 3º anos da Escola Estadual de Ensino Médio Pedro Agrônomo Pereira, em Porto Alegre/RS. Para a tabulação dos dados utilizou-se o programa SPSS-18. Participaram 118 mulheres, 79 homens e um não respondente, e a faixa etária mais expressiva foi entre 18 e 29 anos, contabilizando 144 sujeitos. Como razões para frequentar a EJA, 87 sujeitos apontam a aceleração dos estudos como principal motivação, 38 indicam as exigências do trabalho e 28 sujeitos apontam a incompatibilidade de idade como aspecto que os levaram para EJA.Como fatores de motivação para continuar os estudos, apontam as relações com amigos e professores, o desejo em obter mais conhecimento e, muitos, uma perspectiva de futuro que está atrelada aos estudos e sua relevância. Ao tratarmos da ideia de tempo, para esses sujeitos, muitos apontam para a continuidade dos estudos como sendo parte das decisões que se dão com a maturidade, a o qual se denominou momento de inflexão. Assim, nesse momento, esses sujeitos projetam-se a frente, como parte da sua autodeterminação e eventualmente outros projetos pessoais são colocados à parte, e as demandas sociais em continuar na escola tornam-se necessárias para planos futuros. Quanto às concepções de currículo versadas pelos respondentes, identificamos três eixos: um currículo voltado ao trabalho, um com viés propedêutico e um currículo voltado à cidadania.Como fatores de motivação para continuar os estudos, apontam as relações com amigos e professores, o desejo em obter mais conhecimento e, muitos, uma perspectiva de futuro que está atrelada aos estudos e sua relevância. Ao tratarmos da ideia de tempo, para esses sujeitos, muitos apontam para a continuidade dos estudos como sendo parte das decisões que se dão com a maturidade, a o qual se denominou momento de inflexão. Assim, nesse momento, esses sujeitos projetam-se a frente, como parte da sua autodeterminação e eventualmente outros projetos pessoais são colocados à parte, e as demandas sociais em continuar na escola tornam-se necessárias para planos futuros. Quanto às concepções de currículo versadas pelos respondentes, identificamos três eixos: um currículo voltado ao trabalho, um com viés propedêutico e um currículo voltado à cidadania.Os sujeitos demonstram saber o que buscam e o que necessitam da escola, e também apontam para alternativas e espaços de educação que frequentaram ao longo da vida. Concluímos que dentro do processo de subjetivação de cada respondente há uma pluralidade de sentidos para a escola de EJA. Alguns desses sentidos reforçam as funções reparadora, equalizadora e de educação permanente, previstas como política pública voltada à modalidade EJA. Outros sentidos têm o viés da oportunidade - não como sendo efeito de um favor que o Estado oferece aos excluídos da escola na idade adequada, mas no sentido de vivenciar o direito de estudar e fazer parte de uma comunidade escolar. Por fim, utiliza-se a metáfora da EJA como sendo uma "porta para o futuro", que bem define o sentido da EJA como oportunidade de tentar novamente, de almejar um futuro melhor e de ser a alternativa que restou no momento de inflexão de cada sujeito respondente.
Youth and Adult Education is a topic of debates, controversies, as well as political and social actions addressed to a part of the population that in many cases has already been excluded from regular school. This study aimed to problematize the meanings of diversity for a Youth and Adult Education School in the perspective of young and adult subjects that attend this school. The main objective was to analyze the meanings attributed to Youth and Adult Education schools and the continuity of their studies. Additionally, the present study sought to comprehend the reasons why these individuals return to school in an attempt to give visibility to their concept of time. Furthermore, their perspective regarding their plans and their curriculum conceptions were verified. For data collection, 198 subjects attending 9th, 10th, and 11th grades of Youth and Adult Education at Agrônomo Pedro Pereira State High School in Porto Alegre/RS responded a questionnaire with 56 questions.The program SPSS-18 was used to tabulate data. The participants were 118 women, 79 men, and one non-respondent. The age of 144 subjects ranged from 18 to 29. As some of the reasons to return to school, 87 of the subjects reported graduating faster as the main reason, 38 subjects indicated job-related issues, and 28 subjects pointed to age incompatibility as being an aspect for attending a Youth and Adult Education School. As motivational reasons to keep studying, subjects reported the relationship with their friends and teachers, the desire to obtain more knowledge, and for many, the perspective of a better future linked to studying projects and their relevance. Considering the concept of time for these subjects, many of them revealed that their decision to continue their studies was due to their maturity, which they named moment of inflexion. At this moment, the subjects projected themselves into the future as part of their self-determination. As a result, in order to maintain their studies, other personal projects and some social demands were put aside.Regarding the curriculum conceptions outlined by the respondents, three axes were identified: a curriculum towards work, propaedeutic reasons, and citizenship duties. The subjects demonstrated knowing what they search for and need from school and reported alternative places of education they have attended throughout their life. Along the process of subjectivity of each respondent, there is a plurality of meanings to Youth and Adult Education school. Some of these meanings reinforce the goals of compensation, equalization, and permanent education seen as a public policy towards the Youth and Adult Education model. Other meanings are related to opportunities, not as an effect of a favor that the State should provide for the excluded from school during the proper age, but in a sense of living the right of studying and being part of a scholar community. The metaphor of the Youth and Adult Education model was used as ‘a door to the future’ that defines the sense of Youth and Adult Education as an opportunity to try again, desire a better future, and be the alternative that was left in the moment of inflexion of each of the subjects.
URI: http://hdl.handle.net/10923/13870
Appears in Collections:Dissertação e Tese

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
000492328-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo3,25 MBAdobe PDFOpen
View


All Items in PUCRS Repository are protected by copyright, with all rights reserved, and are licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License. Read more.