Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/15252
Tipo: masterThesis
Título: Um novo experimento para os efeitos dos instrumentos fiscais na economia brasileira: uma análise de equilíbrio geral computável
Autor(es): Beppler, Lucas Souza
Orientador: Moraes, Gustavo Inácio de
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Economnia do Desenvolvimento
Data de Publicação: 2019
Palavras-chave: FINANÇAS PÚBLICAS
POLÍTICA FISCAL
MATRIZES (ECONOMIA)
MACROECONOMIA
ECONOMIA
Resumo: Este trabalho reproduz, quantitativamente, as duas categorias de política fiscal, expansionista e contracionista, e seus dois instrumentos de execução, gastos e tributos, a partir do modelo de Equilíbrio Geral Computável, ORANI-G, adaptado à Matriz Insumo Produto brasileira de 2015, para avaliação dos efeitos de políticas fiscais distintas em uma economia nacional. Objetiva-se analisar os resultados obtidos à luz de literatura fiscal selecionada das últimas três décadas. Estabelece-se, por consequência, neste experimento, um novo posicionamento a respeito da relação entre políticas fiscais e crescimento econômico. Os resultados macroeconômicos e setoriais não comprovam a existência de um caráter de expansão de políticas fiscais contracionistas, indo de encontro às ideias de Alberto Alesina, entusiasta de ajustes fiscais de expansão via redução dos gastos governamentais. O instrumento dos gastos governamentais, em políticas fiscais expansionistas e contracionistas, se mostrou com efeito econômico limitado. O crescimento econômico efetivo só foi realizado através do instrumento da diminuição dos impostos, visto que a redução da tributação suscitou crescimentos consideráveis das variáveis macroeconômicas e microeconômicas observadas. Os resultados, portanto, vão ao encontro das ideias desenvolvidas por Robert Lucas, entusiasta da eliminação dos tributos sobre capital. No cenário econômico brasileiro de 2015, aparentemente, a deterioração fiscal e econômica não permite que ajustes fiscais tenham efeitos expansionistas, contrariamente ao observado no panorama econômico brasileiro de 2010.
This study reproduces, quantitatively, two categories of fiscal policy, expansionary and contractionary, and its two instruments of execution, expenditure and taxes, based on a Computable General Equilibrium model, ORANI-G, adapted to the Brazilian Input-Output Table of 2015, to evaluate the effects of different fiscal policies in a national economy. The aim of this study is to analyze the results obtained in light of selected fiscal literature of the last three decades. Consequently, in this experiment, a new position is established regarding the relationship between fiscal policies and economic growth. The macroeconomic and sectoral results do not testify in favor of expansionary effects of fiscal consolidation, opposing itself to the ideas of Alberto Alesina, enthusiastic of expansionary fiscal adjustments based on government expenditures reduction. The instrument of government expenditure in expansionary and contractionary fiscal policies was shown to have limited economic effect. The effective economic growth was only realized through the instrument of tax reduction. The reduction in taxation has led to considerable increases in macroeconomic and microeconomic variables. The results, therefore, converges to ideas developed by Robert Lucas, enthusiast of the elimination of capital taxes. In the Brazilian economy of 2015, apparently, the fiscal and economic deterioration does not allow that fiscal adjustments have expansionary effects, contrary to whats is observed in the Brazilian economy of 2010.
URI: http://hdl.handle.net/10923/15252
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000495329-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo1,67 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.