Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/15831
Tipo: doctoralThesis
Título: O contato português-pomerano na produção dos grupos [Cɾ] e [ɾC]: o caso das vogais suarabácticas
Autor(es): Silva, Felipe Bilharva da
Orientador: Brescancini, Cláudia Regina
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Letras
Data de Publicação: 2019
Palavras-chave: FONOLOGIA
LINGUÍSTICA
Resumo: O presente trabalho investiga a suarabácti, um elemento vocálico de curta duração que ocorre no interior de grupos consonantais em línguas como o português, geralmente apresentando qualidade vocálica similar à da vogal nuclear da sílaba. Com base em uma perspectiva gestual (BROWMAN; GOLDSTEIN, 1986; 1989; 1992) para o fenômeno, busca-se avaliar o comportamento das vogais suarabácticas na produção das sequências consonantais [Cɾ] e [ɾC] do português falado por mulheres bilíngues ‒ português/pomerano ‒ na cidade de São Lourenço do Sul, no Rio Grande do Sul. Para tanto, são investigadas as produções de dez participantes, com idades acima de 42 anos, que se dividem em dois grupos: bilíngues, composto por cinco participantes nascidas e residentes no município de São Lourenço do Sul, que têm o pomerano como língua dominante; monolíngues, composto por cinco participantes residentes na zona urbana do município de Pelotas, que não utilizam em seu cotidiano outra língua além do português. Para a coleta de dados, foram desenvolvidos três experimentos. No primeiro, as participantes observavam cinco figuras, extraídas do livro Avaliação Fonológica da Criança (YAVAS; HERNANDORENA; LAMPRECHT, 1991), e produziam o nome do maior número de objetos que encontrassem. No segundo experimento, as participantes observavam figuras isoladas na tela um notebook e produziam seus nomes no interior da frase-veículo Digo _____ cada vez.Por fim, no terceiro experimento, as participantes liam a representação ortográfica das mesmas palavras apresentadas no segundo experimento, igualmente no interior da frase-veículo. Os dados de áudio foram coletados com o recurso de um microfone Zoom H4N e tratados acusticamente por meio do software Praat (BOERSMA & WEENINK, 2016), versão 6.0.28, enquanto a análise estatística foi realizada com o software SPSS Statistics, versão 20.0. Os resultados revelaram a presença elevada de vogais suarabácticas nas produções dos dois grupos, embora as bilíngues tenham apresentado índice significativamente inferior dessas produções. As durações da vogal suarabáctica foram afetadas pela atuação das variáveis experimento, posição silábica, vozeamento e local de constrição da consoante adjacente ao tepe, tonicidade e vogal nuclear. Na produção das bilíngues, foram verificadas vogais suarabácticas mais longas na posição inicial de sílaba, o que pode indicar uma coordenação gestual mais lenta entre o gesto consonantal e o gesto alveolar do tepe. Além disso, as participantes bilíngues produziram número significativamente menor de tepes em posição pós-vocálica, empregando, nessa posição, variantes róticas como vibrantes múltiplas, fricativas palato-alveolar desvozeadas e aproximantes alveolares, o que pode ser motivado pelo padrão fonotático do pomerano, que não apresenta tepes em posição final de sílaba. Por fim, concluímos que as vogais suarabácticas mais longas no pomerano constituem a consequência de um timing da organização gestual dos grupos consonantais específico da língua, que é refletido na fala das participantes bilíngues.
The present work investigates svarabhakti, a short-duration vocalic element that occurs within consonantal clusters in languages such as Portuguese, normally showing similar vowel quality to that of syllable-nuclear vowel. Based on a gestural approach (BROWMAN; GOLDSTEIN, 1986; 1989; 1992) of the phenomenon, we intend to evaluate svarabhaktic vowels behavior in Portuguese clusters [Cɾ] and [ɾC] produced by bilingual women ‒ speakers of Portuguese and Pomeranian ‒ in the city of São Lourenço do Sul, in the state of Rio Grande do Sul. To do so, we analyze the productions of ten subjects, aged above 42 years, divided into two groups: bilinguals, formed by five participants born and living in São Lourenço do Sul city, who have Pomeranian as dominant language; monolinguals, formed by five participants living in the urban area of Pelotas, who do not speak in their everyday life other language than Portuguese. For the data collect, three experiments were designed. In the first experiment, participants observed five images, taken from the book Avaliação Fonológica da Criança (YAVAS; HERNANDORENA; LAMPRECHT, 1991), and were instructed to produce the largest number of objects they could find. In the second experiment, participants observed isolated pictures on a laptop screen and were instructed to say their names in the carrier sentence Digo ______ cada vez ‒ I say _____ each time.In the last experiment, participants were asked to read the orthographic representation of the same words presented in the second experiment, also in the carrier sentence. Audio data were collected using a microphone Zoom H4N and treated acoustically using Praat software (BOERSMA & WEENINK, 2016), 6.0.28 version. The statistical analysis was performed with SPSS Statistics software, version 20.0. The results showed a high frequency of svarabhaktic vowels in the productions of the two groups, although the bilinguals showed significantly fewer cases of such phenomenon. Svarabhaktic vowels durations were affected by the variables experiment, syllabic position, voicing and constriction location of the consonant adjacent to tap, stress and nuclear vowel. In bilingual production, longer svarabhaktic vowels were found in the initial position of the syllable, which may indicate a slower gestural coordination between consonantal gesture and tap’s alveolar gesture. Furthermore, bilingual participants produced significantly fewer number of taps in post-vocalic position, producing in that position rhotic variants such as trills, unvoiced alveolo-palatal fricatives and alveolar approximants, which can be motivated by phonotactic pattern of Pomeranian, in which there is no tap in final-syllabic position.. Finally, we conclude that the longest svarabhaktic vowels in the Pomeranian are the consequence of language-specific timing in the gestural organization of the consonant groups, which is reflected in the speech of bilingual participants.
URI: http://hdl.handle.net/10923/15831
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000495769-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo4,42 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.