Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://hdl.handle.net/10923/2788
Tipo: masterThesis
Título: O papel do educador para o desenvolvimento afetivo-emocional do estudante
Autor(es): Souza, Karina Silva Molon de
Orientador: Santos, Bettina Steren dos
Editor: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Educação
Fecha de Publicación: 2008
Palabras clave: EDUCAÇÃO
EDUCADORES - FORMAÇÃO PROFISSIONAL
RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO
DESENVOLVIMENTO EMOCIONAL
ESTUDANTES - ASPECTOS PSICOLÓGICOS
Resumen: A presente pesquisa pretendeu investigar como o educador enfrenta os problemas afetivo-emocionais dos estudantes. O objetivo geral consistia em verificar como os docentes de Séries Iniciais do Ensino Fundamental resolvem questões afetivo-emocionais de seus alunos. Dentre os objetivos específicos estavam: investigar as estratégias pedagógicas que os docentes se utilizam para resolver situações de conflito interpessoal; elencar as características comportamentais dos estudantes que mais preocupam os docentes e analisar como ocorreu a formação em relação aos aspectos afetivo-emocionais dos alunos. A abordagem metodológica foi a do Estudo de Caso do tipo qualitativo. Os participantes da pesquisa foram cinco docentes e sua turma de estudantes. A análise dos dados ocorreu de maneira qualitativa, através da Análise de Conteúdo Bardin (2007). Concluí que os docentes estão sobrecarregados de tarefas educacionais e demonstram estar desorientados, confusos quanto ao seu papel na vida dos estudantes. O tempo de serviço pode ser positivo na aprendizagem de estratégias para resolver as dificuldades afetivo-emocionais dos estudantes. Todos os docentes demonstraram dificuldade em perceber que os saberes experienciais são tão importantes quanto os saberes mestres. Eles comentaram sobre o caráter temporal dos saberes docentes, quando referiram-se acreditar serem esses insuficientes para abarcar a complexidade dos problemas escolares. Neste sentido, os professores comentaram sobre as novas competências que vêm assumindo frente aos alunos, associando-as aos quatro pilares da educação. É interessante acrescentar que os entrevistados não fizeram menção sobre a necessidade de aprender a conhecer mais sobre si mesmos, sua formação existencial e humanística.As principais queixas dos docentes, quanto ao desenvolvimento afetivo-emocional dos estudantes, estava relacionada à agressividade, à hiperatividade e à indisciplina. Os docentes reconheceram que as estratégias que se utilizam para enfrentar esses problemas não contém as problemáticas dos alunos. Os professores que participaram dessa pesquisa percebem-se despreparados para atender alunos com necessidades educacionais especiais. O estudo identificou a dificuldade do educador em associar metodologias criativas, lúdicas, interativas/virtuais à afetividade e aos conteúdos. Foi possível compreender que os docentes acreditam na parceria da família com a escola como uma estratégia importante quando se trata de identificar e intervir nos problemas afetivo-emocionais. Ficou evidente que a relação entre professores e família interfere na auto-estima do educador. Os educadores desempenham um papel grandioso na vida dos estudantes, mas para que seja possível cumprir com o compromisso de uma educação integral, várias reformas são necessárias, em nossa sociedade. Precisamos (re) aprender a educar as crianças, deveríamos repensar sobre a formação de professores, sem perder de vista a formação humanística existencial, valorizá-los, mais, socialmente, oferecendo-lhes melhores condições estruturais/organizacionais no trabalho e de salários equivalentes à importância que representam na nossa vida. E essa luta deve partir não só da escola, porque esse assunto diz respeito a todos nós.
This research aimed at investigating how educators face students’ affective-emotional problems. The main purpose was to find out how the teachers from the Initial Years of Elementary School deal with their students affective-emotional matters. In the midst of the specific purposes there was: investigate the way teachers solve interpersonal conflict situations; list the students’ behavioral characteristics that most worry teachers and, to analyze how the formation concerning the students’ affective-emotional aspects occurred. The methodological approach was a Case Study of a qualitative type. The participants in the research were five teachers and their student’s classes. The data analysis was in a qualitative manner through Bardin’s (2007) Content Analysis. We concluded that teachers are overloaded with educational tasks and demonstrated to be disoriented and confused about their role in the student’s life. Service time may be positive in the learning of strategies to solve students’ affective-emotional difficulties. All teachers showed difficulties to perceive that experiential knowledge are as important as the master’s knowledge. They commented about the temporal character of the teachers’ knowledge when they referred to believe that this knowledge was not enough to comprehend the complexity of school problems. In this way, the teachers talked about the new competencies they are taking over in front of the students, associating them to the four education pillars. It is interesting to add did not mention anything about the necessity to learn to know more about themselves and, their existential and humanistic formation. The main complains the teachers had about the students’ affective-emotional development were related to aggressiveness, hyperactivity and indiscipline. The teachers recognized that the strategies they use to face these problems do not comprise the students’ problems.The teachers who participated in this research recognized themselves unprepared to attend students with special educational necessities. The study identified the difficulty the educator has to associate creative, amusing and, interactive/virtual methodologies to affection and to content. It was possible to understand that teacher believe in the partnership between family and school as an important strategy when dealing with identifying and intervene in affective-emotional problems. It became evident that the relationship between teachers and family interfere in the educator’s self steam. Educators play a great part in the student’s life but, to make it possible to fulfill with the commitment of an integral education, many reformations are needed in our society. We need to (re) learn to educate children, we should rethink about teachers education, without losing sight of the existential humanistic formation, value them more, socially, providing them better structural/organizational conditions at work and, a salary compatible to the importance they represent in our lives. And this struggle should begin not only at school, because this topic concern to all of us.
URI: http://hdl.handle.net/10923/2788
Aparece en las colecciones:Dissertação e Tese

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción TamañoFormato 
000408662-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo761,5 kBAdobe PDFAbrir
Ver


Todos los ítems en el Repositorio de la PUCRS están protegidos por derechos de autor, con todos los derechos reservados, y están bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional. Sepa más.