Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://hdl.handle.net/10923/3616
Tipo: masterThesis
Título: Avaliação da força muscular (torque muscular) de flexores e extensores de joelho em indivíduos idosos socialmente ativos
Autor(es): Wibelinger, Lia Mara
Orientador: Schneider, Rodolfo Herberto
Editor: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Biomédica
Fecha de Publicación: 2007
Palabras clave: MEDICINA
GERIATRIA
GERONTOLOGIA
ENVELHECIMENTO
IDOSOS
APTIDÃO FÍSICA
FORÇA MUSCULAR
Resumen: Introduction: The aging brings obtains many phisiological manifestations, amongst these, the loss of muscular force, as well as the ability of the muscle to exerting force quickly. From the 60 years old this loss becomes more severe and is responsible for limitations in the functionality, deficits of balance and risk of falls. Objective: this research had as objective to evaluate the muscular force (muscular torque) of flexors and extensors of knee in socially active aged individuals. Participants: 100 socialy active aged individuals with age between 60 and 87 years old had participated of the research, of both sorts, that frequented the regional Center of Applied Studies to third age of the University of Passo Fundo, in the city of Passo Fundo, in the period of March to June of 2007, being excluded of the study the individuals that presented cognitive defict and that did not obtain the flexion of knee. Methodology: For the accomplishment of this research the isocinethic dynamometer Biodex Multi Joint 3 was used, in the speeds of 120°, 180° and 240°, in the movements of flexion and extension. Initially the participants had carried through a heating of 5 minutes in ergometric bicycle, and after they had been submitted to a series of three repetitions of movements, being considered the average of the three repetitions. The evaluations had happened at the Laboratory of Biomechanics in the College of Physical Education and Physioterapy at the University of Passo Fundo – UPF –Result Step: In our study it was possible to observe that in the comparison between the lower limbs right and left, the muscular unbalance had only exceeded 10% in the sample with more than 80 years, in the masculine sex, what we cannot only consider significant due to this sample to be composed for two individuals in each sort. In the average of the peak of torque for the individuals of the masculine sex 240° with p<0,03 is possible to verify the significance of the flexion movement, 0,03 when analyzed all the sample, and for the individuals of 60-69 years in the extension movement 120° with p<0,04. One comparing the different sorts is verified that the individuals of the masculine sex, they are the raised peaks of torque more elevated. Conclusion: The muscular force (muscular torque) is bigger in the individuals of the masculine sex; the extensors muscles of the knee (quadriceps) are strongest. The flexors muscles not present relacion velocity peak of tork. The presence of osteoarticular illness, mainly in the woman, can be influenced in the lesser peak of torque of individuals.
Introdução: O envelhecimento traz consigo várias manifestações fisiológicas, dentre estas a perda de força muscular, assim como a habilidade do músculo para exercer força rapidamente. A partir dos 60 anos de idade esta perda se torna mais severa e é responsável por limitações na funcionalidade, déficits de equilíbrio e risco de quedas. Objetivo: esta pesquisa teve como objetivo avaliar a força muscular (torque muscular) de flexores e extensores de joelho em indivíduos idosos socialmente ativos. Participantes: participaram da pesquisa 100 indivíduos idosos socialmente ativos nas faixas etárias entre 60 e 87 anos de idade, de ambos os sexos, que freqüentavam o Centro regional de Estudos Aplicados a Terceira Idade da Universidade de Passo Fundo-UPF, no município de Passo Fundo-RS, no período de março a junho de 2007, sendo excluídos do estudo os indivíduos que apresentavam déficit cognitivo e que não conseguissem realizar flexão de joelho. Metodologia: para a realização desta pesquisa foi utilizado o dinamômetro isocinético Biodex Multi Joint 3, nas velocidades de 120º, 180º e 240º; nos movimentos de flexão e extensão. Inicialmente os participantes realizaram um aquecimento de 5 minutos em bicicleta ergométrica, e após foram submetidos a uma série de três repetições dos movimentos, sendo considerado a média das três repetições. As avaliações aconteceram no Laboratório de Biomecânica da Faculdade de Educação Física e Fisioterapia da Universidade de Passo Fundo-UPF. Resultados: Em nosso estudo foi possível observar que na comparação entre os membros inferiores direito e esquerdo os desequilíbrios musculares somente ultrapassaram 10 % na amostra com mais de 80 anos, no sexo masculino, o que não podemos considerar devido a esta amostra ser composta somente por dois indivíduos em cada gênero. Na média do pico de torque dos indivíduos do sexo masculino é possível verificar a significância do movimento de flexão a 240º com p<0,03 quando analisada toda a amostra, e nos indíviduos de 60-69 anos no movimento de extensão a 120º com p<0,04. Ao comparar os diferentes gêneros, verifica-se que nos indivíduos do sexo masculino estão os picos de torque mais elevados. Conclusão: A força muscular (torque muscular) é maior nos indivíduos do sexo masculino; os músculos extensores do joelho (quadríceps) são os mais fortes. Os músculos flexores não apresentam relação entre velocidade e pico de torque. A presença de doença osteoarticular, principalmente nas mulheres, pode ter influenciado no menor pico de torque destes indivíduos.
URI: http://hdl.handle.net/10923/3616
Aparece en las colecciones:Dissertação e Tese

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción TamañoFormato 
000409600-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo940,47 kBAdobe PDFAbrir
Ver


Todos los ítems en el Repositorio de la PUCRS están protegidos por derechos de autor, con todos los derechos reservados, y están bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional. Sepa más.