Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/3649
Tipo: masterThesis
Título: Aplicação da terapia celular em modelo experimental de enfisema pulmonar
Autor(es): Freitas, Paula Müssnich de
Orientador: Machado, Denise Cantarelli
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Biomédica
Data de Publicação: 2009
Palavras-chave: GERONTOLOGIA BIOMÉDICA
ENFISEMA PULMONAR
TERAPIA CELULAR
CÉLULAS-TRONCO
ENVELHECIMENTO
Resumo: Chronic obstructive pulmonary disease (COPD) is a major cause of mortality worldwide. In Brazil, every year 280 thousand patients are hospitalized with COPD. Since the adult lung cannot have a spontaneous growth or regenerate itself, the pulmonary emphysema is considered a progressive and irreversible disease. The aim of this study was to evaluate the effect of bone marrow mononuclear cells transplantation in the regeneration of emphysematous lung tissue in mice. The experimental model of pulmonary emphysema was induced in mice by intranasal instillation of 3. 5 mL/kg of papain in 0. 9% NaCl2 solution. The animals were divided into 2 groups: one control (n=8) that received normal saline, and the experimental group (n=8) that received 1x107 EGFP+ bone marrow cells through the tail vein. The animals were killed 45 days after transplant, and lungs were removed and perfused with 10% buffered formalin. The lungs were embedded in paraffin to obtain serial sections of 3 μm. Slides were stained with hematoxylin-eosin to evaluate lung morphology and with 0. 1% Evans Blue and DAPI to confirm the presence of EGFP+ cells in the lung epithelia. The analyses showed the presence of alveolar EGFP+ cells suggesting that the donors bone marrow cells are involved in the repair of lung tissue.
A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) é uma importante causa de mortalidade em todo mundo. No Brasil, a cada ano, são hospitalizados 280 mil pacientes com DPOC. Como o pulmão adulto não pode ter um crescimento espontâneo ou regenerar-se, o enfisema pulmonar é considerado uma doença progressiva e irreversível. O objetivo principal deste trabalho foi avaliar o efeito do transplante de células mononucleares de medula óssea na regeneração do tecido pulmonar enfisematoso de animais experimentais. O modelo experimental de enfisema pulmonar foi induzido em camundongos através de instilação intranasal de 3,5 mL/kg de papaína em solução de NaCl2 a 0,9%. Os animais foram divididos em dois grupos, sendo um controle (n=8) que recebeu somente soro, e o grupo experimental (n=8), cujos animais receberam 1x107 células de medula óssea EGFP+ através da veia caudal. Os animais foram sacrificados 45 dias após o transplante e os pulmões foram removidos e perfundidos com formol tamponado a 10%. Os fragmentos pulmonares foram incluídos em parafina para obtenção de cortes seriados de 3 Om. As lâminas foram coradas com Hematoxilina-eosina para avaliar a morfologia pulmonar e com Azul de Evans 0,1% e DAPI para a confirmação da presença de células EGFP+ no epitélio pulmonar. As análises demonstraram a presença de células alveolares EGFP+ sugerindo que as células de medula óssea dos animais doadores estão envolvidas no processo de reparo do tecido pulmonar.
URI: http://hdl.handle.net/10923/3649
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000413194-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo3,63 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.