Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://hdl.handle.net/10923/3706
Tipo: masterThesis
Título: A influência do trabalho na qualidade de vida do idoso e na sintomatologia depressiva
Autor(es): Torelly, Ivana Werner de Oliveira
Orientador: Silva Filho, Irênio Gomes da
Editor: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Biomédica
Fecha de Publicación: 2008
Palabras clave: GERONTOLOGIA
ENVELHECIMENTO
IDOSOS - TRABALHO
QUALIDADE DE VIDA
DEPRESSÃO
TRABALHO
Resumen: Introduction: The continuity of a productive and active life, the search for a new conception of ageing which seeks renewal and envisages opportunities, as well as senior's integration into social life have been pointed as factors that can contribute to quality of life and to a lower incidence of depressive symptoms. Objective: The present study seeks to evaluate the importance of work in senior's lives. It also has these specific objectives: to verify that the seniors' group that continue working after sixty years of age have a more satisfactory level of quality of life and a lower index of depressive symptoms. Methods: It is a transversal study of 51 senior that remained working after 60 years of age and 53 seniors that had paid employment and ceased working at 60 years of age, selected from a sample of the population base of the municipal district of Porto Alegre. Socio-demographic data were collected and the questionnaires WHOQOL-BREF and WHOQOL-OLD and the Scale of Geriatric Depression (GDS) were applied. Additionally they were surveyed, for qualitative analysis, about the significance and importance of the quality of life and of work. Results: A higher average quality of life was observed in the domains physical and psychological of WHOQOL-BREF and in the domain social participation of WHOQOL-OLD and a lower average of depressive symptoms in the seniors that continued working after sixty years of age. The analysis, stratified by sex, verifies these same results amongst the women, and, in addition, there also appears a significant difference in the total values of the two quality of life questionnaires, that showed only a tendency in significance in the general analysis, and in the domain of past, present and future activities in WHOQOL-OLD. Those differences were not observed in the men, showing a higher average quality of life in the autonomy domain of WHOQOL-OLD among the ones that ceased working. The results of the qualitative research reveal that both seniors groups consider two factors as being important for quality of life: health maintenance followed by interpersonal relationships It was observed that work has great importance for the two groups, mainly by bringing satisfaction and accomplishment. 54. 72% of those that ceased work would like to return to professional activities if given the opportunity. Conclusions: The study points to an association with being professionally active, a lower number of depressive symptoms and with a better quality of life, principally in the physical, psychological and social participation domains. This association was verified in the feminine sex, suggesting that the women that continue working show a better quality of life and less depression. It is also observed that work has an intrinsic, broad and fundamental value. Its representation in the people's life is greater than financial earnings, being more a source of satisfaction and accomplishment.
Introdução. A continuidade de uma vida produtiva e ativa, a busca de uma nova concepção do envelhecimento que visa a renovação e vislumbra oportunidades e a inserção do idoso na vida social têm sido apontados como fatores que podem contribuir para a qualidade de vida e para a menor incidência de sintomas depressivos. Objetivos. O presente estudo busca avaliar a importância do trabalho na vida do idoso. Tem como objetivos específicos, verificar se idosos que permanecem trabalhando após os sessenta anos têm níveis mais satisfatórios de qualidade de vida e menores índices de sintomas depressivos. Métodos. Trata-se de um estudo transversal em 51 idosos que permanecem trabalhando após os 60 anos e 53 idosos que tinham trabalho remunerado e pararam de trabalhar após os 60 anos, selecionados a partir de uma amostra de base populacional do município de Porto Alegre. Foram coletados dados sócio-demográficas e aplicados os questionários WHOQOL-BREF, WHOQOL-OLD e a Escala de Depressão Geriátrica (GDS). Adicionalmente foi questionado, para análise qualitativa, o significado e importância da qualidade de vida e do trabalho. Resultados. Foi observada uma média maior de qualidade de vida nos domínios físico e psicológico do WHOQOLBREF e no domínio participação social do WHOQOL-OLD e uma média menor de sintomas depressivos nos idosos que seguem trabalhando após os sessenta anos. Na análise estratificada por sexo, verificam-se estes mesmos resultados entre as mulheres, sendo que aparece também uma diferença significativa nos valores totais dos dois questionários de qualidade de vida, que na análise geral mostrou apenas uma tendência a significância, e no domínio atividades passadas, presentes e futuras do WHOQOL-OLD. Nos homens, não foram observadas essas diferenças, mostrando apenas uma média maior de qualidade de vida no domínio autonomia do WHOQOL-OLD entre os que pararam de trabalhar. Os resultados da análise qualitativa revelam que, nos dois grupos, os idosos consideram importante para ter qualidade de vida, fatores associados à manutenção da saúde, seguidos das relações interpessoais. Observou-se que o trabalho tem grande importância para os dois grupos, principalmente por trazer satisfação e realização e 54,7% dos que pararam de trabalhar, gostariam de voltar a exercer atividades profissionais se tivessem oportunidade. Conclusões. O estudo aponta uma associação entre estar ativo profissionalmente com menor número de sintomas depressivos e com melhor qualidade de vida, principalmente nos domínios físico, psicológico e participação social. Essa associação foi verificada apenas no sexo feminino, sugerindo que as mulheres que continuam trabalhando apresentam melhor qualidade de vida e menos sintomatologia depressiva. Observou-se também que o trabalho tem um valor intrínseco, abrangente e fundamental. Sua representação na vida das pessoas vai muito além dos ganhos financeiros, sendo também uma fonte de satisfação e realização.
URI: http://hdl.handle.net/10923/3706
Aparece en las colecciones:Dissertação e Tese

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción TamañoFormato 
000407623-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo623,84 kBAdobe PDFAbrir
Ver


Todos los ítems en el Repositorio de la PUCRS están protegidos por derechos de autor, con todos los derechos reservados, y están bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional. Sepa más.