Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://hdl.handle.net/10923/3918
Tipo: masterThesis
Título: Seguindo ordens, cruzando campos: o governador e capitão-general Dom Diogo de Souza e a política do Império Português para o Rio da Prata (1808-1811)
Autor(es): Costa, Alex Jacques da
Orientador: Abrão, Janete Silveira
Editor: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em História
Fecha de Publicación: 2010
Palabras clave: PORTUGAL - HISTÓRIA
RIO DA PRATA - HISTÓRIA
POLÍTICA
Resumen: This study examines the policy of the Portuguese Empire in relation to neighboring platinum, taking as one of his references the administration of Governor and Captain-General Don Diogo de Souza, the Captaincy-General of the Rio Grande de São Pedro, between 1809 and 1811. During this period, worth mentioning, that were in full boiling the processes of political sovereignty dispute of the Hispano-American colonies, which represented a major threat to the integrity of the Portuguese Empire in the far south of America. Don Diogo, to take over the administration of Rio Grande de São Pedro do Sul, in 1809, had assigned itself an important mission: to ensure the integrity of the territories from Portugal front to the threat posed by the beginning of independence processes in the Hispano-American colonies, especially in the Rio da Prata, which sought to enforce a number of projects to relocate their sovereignty, as Spain had its royal family imprisoned by Napoleon. In this sense, the delimitation of time, it is worth noting, was chosen from the time he met the Collection of the Historical Archive of the Foreign Ministry and the National Archive in Rio de Janeiro, extensive manuscript and printed material that connects Don Diogo de Souza to a variety of characters related to the administration of the Portuguese Empire, headquartered since 1808 in Rio de Janeiro. As already said, in this period the Portuguese attempt to secure possession of the southern region of Rio Grande as part of the Portuguese intensified, also in view of the tensions caused by the independence movements of the Spanish colonies. To this end, various manuscript sources, letters, decrees and reports sent and received by Don Diogo were analyzed, and made possible the accurate interpretation of many webs of political, social, cultural and economic relationships maintained by the governor and captain-general. Thus, it was possible to verify, for example, how winding was bragantina policy in relation to neighboring, very susceptible to what happened in politics and economy outside Portugal. Moreover, it is worth mentioning the treatment of discussions about the intervention occurred in the Banda Oriental do rio Uruguai, which had been treated in the historiography, including contemporary as an invasion to purely expansionary. This, however, was much more complex, involving discussions between the managers of Portuguese politics that at times, showed how tenuous the lines that dictated the agenda for the governance of the Rio Grande and the Portuguese Empire were.
O presente estudo analisa política do Império português em relação aos vizinhos platinos, tomando como uma de suas referências a administração do governador e capitão-general dom Diogo de Souza, na capitania-geral do Rio Grande de São Pedro, de 1809 a 1811. Nesse período, vale ressaltar, estavam em plena ebulição os processos pela disputa da soberania política das colônias hispano-americanas, as quais representavam uma grande ameaça à integridade do Império português no extremo sul da América. Dom Diogo, ao assumir a administração do Rio Grande de São Pedro do Sul, em 1809, tinha confiada em si uma importante missão: garantir a integridade dos territórios de Portugal diante da ameaça gerada pelos processos de independência iniciados nas colônias hispano-americanas, especialmente na região do Rio da Prata, que buscavam fazer valer inúmeros projetos para realocar sua soberania, já que a Espanha tivera sua família real aprisionada por Napoleão. Nesse sentido, a delimitação temporal, vale ressaltar, foi escolhida a partir do momento que se encontrou no Acervo do Arquivo Histórico do Itamaraty, bem como no Arquivo Nacional, no Rio de Janeiro, vasto material manuscrito e impresso que liga dom Diogo de Souza aos mais variados personagens relacionados à administração do Império Português, sediado desde 1808 no Rio de Janeiro. Como já fora dito, é neste período que se intensifica a tentativa portuguesa de assegurar a posse da região sul da Capitania do Rio Grande como parte do território português, tendo em vista também as tensões geradas pelos movimentos de independência das colônias espanholas. Para isso, foram analisadas várias fontes manuscritas, ofícios, decretos e informes emitidos e recebidos por dom Diogo que, após análise acurada possibilitaram a interpretação das inúmeras teias de relacionamento político, social, cultural e econômicas mantidas pelo governador e capitão-general. Dessa maneira, foi possível verificar, por exemplo, o quanto foi sinuosa a política bragantina em relação aos vizinhos platinos, bastante suscetível ao que ocorria na política e na economia externas a Portugal. Além disso, vale ressaltar o tratamento dado às discussões acerca da intervenção ocorrida na Banda Oriental do rio Uruguai, a qual fora na tratada na historiografia, inclusive contemporânea, como uma invasão com fins puramente expansionista. Isso, todavia, mostrou-se muito mais complexo, englobando discussões entre os próprios dirigentes da política portuguesa que, em certos momentos, demonstrava o quanto eram tênues as linhas que ditavam a ordem do dia para a governabilidade do Rio Grande e do Império português.
URI: http://hdl.handle.net/10923/3918
Aparece en las colecciones:Dissertação e Tese

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción TamañoFormato 
000427710-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo1,73 MBAdobe PDFAbrir
Ver


Todos los ítems en el Repositorio de la PUCRS están protegidos por derechos de autor, con todos los derechos reservados, y están bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional. Sepa más.