Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://hdl.handle.net/10923/4086
Tipo: doctoralThesis
Título: A assibilação na formação de palavras em português: análise via teoria da marcação comparativa
Autor(es): Farias, Letícia Stander
Orientador: Bisol, Leda
Editor: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Letras
Fecha de Publicación: 2012
Palabras clave: LINGUÍSTICA
PORTUGUÊS - FONOLOGIA
MORFOLOGIA
Resumen: This study investigates the phenomenon through which the coronal stops /t/ and /d/, as well as the voiceless velar stop /k/, are converted to the sibilant fricative [s] before the suffixes –ia, –idade, –ismo and –ista, all of them beginning with the high vocoid /i/, as for example in dependente – dependên[s]ia, prático – prati[s]idade, místico – misti[s]ismo e mecâniko – mecani[s]ista. Such process, known as stop assibilation, has been discussed, in the light of Chomsky and Halle’s generative grammar, by authors like Pardal (1977), Villalva (1994) and Mateus & d’Andrade (2000). In the present work, the data are analyzed in a morphophonological perspective, in the light of Optimality Theory, via Comparative Markedness Theory (McCarthy, 2003), in search for an explanation that covers the largest number of cases. From the locus-of-violation function LocSIB, the markedness constraint SIB (ASSIBILATION) is assumed, in its old and new versions. Since assibilation is representative of the morphological type of derived environment effect, output-output correspondence relations are taken into account. High ranking of OO-NEWSIB explains the reason why stop assibilation takes place only when its conditions are met by virtue of material from two different morphemes. Non-assibilation in words in which the sequences ti or di are tautomorphemic is the result of Grandfather Effects, where a marked structure is permitted when it is in the input. The opposite ranking, with high-ranking of OO-OLDSIB, allows the comprehension of the underapplication pattern in those forms that do not undergo the process even though, on the surface, they present the adequate structural description to its application. At the end of the study, comparisons with alternatives are sketched, so as to justify the choice made in favor of Comparative Markedness Theory.
Este estudo investiga o fenômeno pelo qual as plosivas coronais /t/ e /d/, bem como a plosiva velar não sonora /k/, passam a fricativa sibilante [s] diante dos sufixos –ia, –idade, –ismo e–ista, todos iniciados pela vogal alta /i/, a exemplo de dependente – dependên[s]ia, prático –prati[s]idade, místico – misti[s]ismo e mecâniko – mecani[s]ista. Tal fenômeno, conhecido como assibilação da plosiva, já foi discutido, à luz da gramática gerativa de Chomsky e Halle, por autores como Pardal (1977), Villalva (1994) e Mateus & d’Andrade (2000). No presente trabalho, os dados do português são analisados em uma perspectiva morfofonológica, na linhada Teoria da Otimidade, via Teoria da Marcação Comparativa (McCarthy, 2003), na busca por uma explicação que atinja o maior número de casos. A partir da função LocSIB, assume-se a existência da restrição de marcação SIB (ASSIBILATION), em suas versões nova e velha. Por se tratar de efeito de ambiente derivado morfologicamente, a assibilação exige que relações de correspondência output-output sejam estabelecidas. A alta posição na hierarquia deOO-NEWSIB permite que se explique o motivo pelo qual a assibilação ocorre apenas quando suas condições são satisfeitas por material proveniente de dois morfemas diferentes. A não assibilação em palavras nas quais as sequências ti ou di são tautomorfêmicas é fruto do Efeito dos Avós, que permite estruturas marcadas presentes no input. O ordenamento inverso, com OO-OLDSIB altamente ranqueada, permite a compreensão do padrão de subaplicação nas formas que deixam de sofrer o processo embora, na superfície, estejam enquadradas na descrição estrutural adequada para sua aplicação. Ao final do estudo, comparações com alternativas de análise são esboçadas, justificando-se a opção feita pela Teoria da Marcação Comparativa.
URI: http://hdl.handle.net/10923/4086
Aparece en las colecciones:Dissertação e Tese

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción TamañoFormato 
000436217-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo803,95 kBAdobe PDFAbrir
Ver


Todos los ítems en el Repositorio de la PUCRS están protegidos por derechos de autor, con todos los derechos reservados, y están bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional. Sepa más.